Rubem Fonseca


Romancista, contista e roteirista mineiro. José Rubem Fonseca (11/5/1925-) nasce em Juiz de Fora mas vive no Rio de Janeiro desde os 8 anos. Em 1948, forma-se em direito e trabalha no Departamento Federal de Segurança Pública de 1950 a 1958. Em 1954, cursa administração e relações públicas na Fundação Getúlio Vargas (FGV) do Rio e passa a lecionar na instituição. Estréia na literatura com o livro de contos Os Prisioneiros (1963) e inova ao tratar da violência com extremo realismo e linguagem cinematográfica. Seus personagens retratam o submundo da Zona Sul carioca: lutadores de boxe, policiais, ninfomaníacas, assassinos. Em 1965, lança A Coleira do Cão. Vence o concurso de contos da Fundação Educacional do Paraná, em 1969, com o livro Lúcia MacCartney. Seu livro Feliz Ano Novo (1975) é proibido pelo regime militar. No início dos anos 90, adapta para o cinema seu romance A Grande Arte (1983). Em 1993, a TV Globo transforma em minissérie o romance Agosto (de 1990). O livro de contos Histórias de Amor e o romance E do Meio do Mundo Prostituto Só Amores Guardei ao Meu Charuto são lançados ambos em 1997. Em 2000, lança a novela O Doente Molière e, no ano seguinte publica o livro de contos Secreções, Excreções e Desatinos. Em 2003, lança seu 23º livro, Diário de um Fescenino. No mesmo ano, é agraciado com o prêmio Luís de Camões, principal prêmio de literatura da língua portuguesa, e recebe em Guadalajara, no México, o prêmio Juan Rulfo de Literatura Latino-Americana.


publicado por LUCIANO às 04:33