Maurício de Nassau


Militar e administrador holandês de origem alemã. Sob sua administração, Recife vive um período de florescimento cultural, liberdade religiosa e reformas urbanas. Johann Mauritius van Nassau-Siegen (17/6/1604-20/12/1679) nasce no Castelo de Dillemburg. É membro da casa de Nassau, família aristocrática que disputava os tronos da Alemanha e da Holanda. Em 1618, durante a Guerra dos Trinta Anos, ingressa no Exército da Holanda e participa de várias campanhas. Em 1632 se estabelece na cidade de Haia, onde contrai muitas dívidas para construir o Palácio Mauritius. De acordo com os historiadores, é por esse motivo que aceita, em 1636, a proposta da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais para administrar a recém-conquistada colônia holandesa no Brasil, que se estende do litoral de Sergipe ao do Maranhão. Desembarca no Recife em 1637 e passa sete anos na colônia. Consegue a simpatia dos senhores de terra ao propor financiamentos para a recuperação de engenhos e plantações de açúcar. Em sua administração, promove melhorias urbanísticas na vila do Recife, assegura a liberdade de culto e atrai para a colônia artistas e cientistas de diversas áreas, entre eles o pintor Frans Post. Desentende-se com a Companhia das Índias e pede demissão em 1644. Volta à Holanda, onde ocupa cargos diplomáticos e militares importantes. Em 1652 recebe o título de príncipe do Império Germânico. Retira-se da vida pública em 1674 e morre cinco anos depois em Kleve, na Alemanha.



publicado por LUCIANO às 14:14