ERNESTO SABATO


ísica e se doutora pela Universidade de La Plata em 1937. Estagia no Laboratório Curie, em Paris, no ano seguinte, e no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos (EUA), em 1939. De volta à Argentina em 1940, leciona física teórica na Universidade de La Plata e começa a escrever para a revista Sur e para o jornal La Nación. Deposto do cargo de professor por fazer oposição ao governo de Juan Domingo Perón, em 1945, passa a dedicar-se exclusivamente à literatura. O sucesso chega nesse ano com Nós e O Universo, coletânea de aforismos, relatos e observações pessoais sobre temas políticos, filosóficos e sociais. Ganha projeção internacional no ano seguinte com o romance O Túnel. Interessado em política, dirige a revista Mundo Argentino (1955) e publica em 1956 os livros A Outra Face do Peronismo e O Caso Sábato, nos quais analisa a violência da política argentina e pede a reconciliação entre as forças peronistas e antiperonistas que dividem o país. Escreve ainda os romances Sobre Heróis e Tumbas (1961), O Escritor e Seus Fantasmas (1963) e Abaddón, o Exterminador (1974). Por sua obras, recebe em 1984 o Prêmio Miguel de Cervantes, a mais prestigiosa premiação literária espanhola.Em novembro de 2000, lança no Brasil Antes do Fim, um relato autobiográfico, e O Túnel, ficção de 1953 que inicialmente foi desprezada por todas as editoras a quem ele oferecera a obra para publicação. Em 2003, é lançado no Brasil a tradução de O Escritor e Seus Fantasmas. Morando em Buenos Aires, dedica-se à pintura.



publicado por LUCIANO às 14:01