JOSÉ MARIA

Líder messiânico. Pregador e curandeiro, atrai grande número de fiéis que deflagram a campanha do Contestado. Miguel Lucena Boaventura (?-22/10/1912) deserta do Exército do Paraná em 1911 e começa a pregar no município catarinense de Campos Novos, já com o nome de José Maria. Nada se sabe sobre sua vida antes dessa data. Afirma ser irmão e sucessor do monge João Maria - religioso e andarilho que se tornou famoso na região em 1896. Sua fama como curandeiro se espalha rapidamente e, em pouco tempo, cerca-se de uma multidão de adeptos: parte deles pertence a famílias que ficaram sem moradia nem emprego após o fim da obra da estrada de ferro SP-RS. Ele não aprecia penitências ou o celibato, tornando-se companheiro de algumas de suas seguidoras. Como Antônio Conselheiro, líder de Canudos, ele prega a restauração da monarquia, organiza acampamentos e cria uma guarda pessoal. Com o aumento do número de fiéis e a agitação social na região, instala-se nas proximidades do Rio Corrente, em Curitibanos. Atacado pelas autoridades de Santa Catarina, que temem perturbações, parte para Campos do Irani, atual município de Palmas, no Paraná, território então chamado de Contestado e reivindicado pelos governos dos dois estados. Lá organiza grupos armados para evitar novos ataques do governo. Sua atitude é considerada início de rebelião, e o governo decide reprimir o movimento. Dessa vez, José Maria morre fuzilado. Sua morte provoca o começo de uma série de violentos conflitos na região, que duram até 1916, envolvem 20 mil rebelados e causam 3 mil mortes.



publicado por LUCIANO às 05:37