FRANCISCO ALVES

Cantor fluminense. Conhecido como o rei da voz, é um dos maiores intérpretes da música popular brasileira nas décadas de 30 e 40. Francisco de Morais Alves (19/8/1898- 27/9/1952) nasce no Rio de Janeiro, filho mais velho de um casal de imigrantes portugueses. Abandona os estudos para trabalhar como engraxate e, mais tarde, como operário em uma fábrica de chapéus. Inicia sua carreira aos 20 anos, apresentando-se em circos. No ano seguinte, convidado por João Gonzaga, filho de Chiquinha Gonzaga e proprietário da gravadora Disco Popular, lança seu primeiro disco, em que interpreta as marchas Pé de Anjo e Fala Meu Louro, compostas por Sinhô. Na década de 20 atua em diversas companhias do teatro musicado, ao lado de intérpretes como Vicente Celestino. Casa-se com Célia Zenatti, sua companheira durante 28 anos. Em 1930 passa a fazer dupla com Mário Reis, gravando 12 discos, entre os quais Se Você Jurar (1930) e Fita Amarela (1933). Nessa época dirige um programa na Rádio Cajuti e nele lança o cantor Orlando Silva, que se torna seu principal rival artístico. Em sua carreira, interpreta quase mil músicas, entre marchas carnavalescas, sambas, boleros, valsas e tangos. Alguns de seus maiores sucessos são Adeus, Cinco Letras Que Choram (1947), de Silvino Neto, Serra da Boa Esperança (1937), de Lamartine Babo, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso. Atua em filmes musicais como Alô, Alô, Brasil! (1934) e Laranja da China (1940). Em 1952 grava suas últimas canções, entre elas a marcha Confete e a valsa Canção da Criança. Morre em um acidente de automóvel na rodovia Presidente Dutra.



publicado por LUCIANO às 19:45