FERNANDO SABINO

Escritor mineiro (12/10/1923-11/10/2004). É considerado um dos mais importantes cronistas do país, ao lado de Paulo Mendes Campos, Rubem Braga e Carlos Drummond de Andrade. Nasce em Belo Horizonte, cidade em que vive até os 21 anos. Participa ativamente de concursos literários e estréia em livro em 1942, com Os Grilos Não Cantam Mais, trabalho que chama a atenção de Mário de Andrade. Quando publica a novela A Marca, em 1944, Mário o elogia novamente, dizendo-lhe que está "escrevendo tão bem como Machado de Assis". Muda-se para o Rio de Janeiro nesse ano e passa a estudar na Faculdade Nacional de Direito. Em 1946 vai para Nova York, nos Estados Unidos, onde trabalha como auxiliar no escritório comercial do Brasil e continua escrevendo. De volta ao país, publica a coletânea de crônicas "americanas" A Cidade Vazia (1950). A consagração chega em 1956, com o romance O Encontro Marcado, obra que tem mais de 70 edições no Brasil, além de traduções para o inglês, o alemão e o holandês. Seguem-se vários livros de contos, entre eles O Homem Nu (1960), que tem duas versões no cinema. No final da década de 70 publica seu segundo romance, O Grande Mentecapto, novo sucesso de crítica e de público. Depois da publicação do malfadado Zélia, Uma Paixão (1991), biografia da ex-ministra da Economia Zélia Cardoso de Mello escrito por encomenda, Sabino torna-se bastante recluso. Em 1996 lança suas Obras Reunidas, em três volumes. Em julho de 1999, recebeu da Academia Brasileira de Letras o prêmio Machado de Assis – o maior prêmio literário nacional - pelo conjunto de sua obra. O dinheiro é doado pelo autor a instituições que cuidam de crianças carentes. Em 2000, saem as crônicas Cara ou Coroa? e a obra Duas Novelas de Amor. Em 2001, publica as crônicas Páginas Soltas ao Longo do Tempo. No mesmo ano, sua correspondência com a escritora Clarice Lispector entre 1946 e 1969 é publicada no livro Cartas Perto do Coração. Em 2002, publica Cartas na Mesa, sua correspondência com Paulo Mendes Campos, Otto Lara Resende e Hélio Pellegrino. Em 2003 lança o infantil Os caçadores de mentira, e no ano seguinte publica Os Movimentos Simulados, romance escrito quando tinha 22 anos. Fernando Sabino falece em 2004, em decorrência de câncer no fígado

publicado por LUCIANO às 20:49