ÊNIO SILVEIRA


Editor e sociólogo paulista. Responsável por lançar no mercado clássicos da literatura e das ciências políticas. Tem papel destacado na luta contra o regime militar. Ênio Silveira (18/11/1925-11/1/1996) nasce em São Paulo. Estuda sociologia na Universidade de São Paulo e na Universidade de Columbia, em Nova York, onde também cursa editoração. Em 1944 integra a equipe de Monteiro Lobato na Companhia Editora Nacional, da qual se torna diretor editorial. Funda a revista Atualidades Pedagógicas. Em 1951 muda-se para o Rio para comandar a editora Civilização Brasileira. Sob forte censura do regime militar, dirige a Revista Civilização Brasileira a partir de 1965. Em pouco tempo é reconhecido nacionalmente como grande editor. Lança no mercado uma nova geração de autores, como Fernando Sabino, Nelson Werneck Sodré, Stanislaw Ponte Preta, Millôr Fernandes, Thiago de Mello, Chico Buarque, Dias Gomes, Antonio Calado e Carlos Heitor Cony. Filiado ao Partido Comunista Brasileiro, aglutina intelectuais na resistência ao regime militar. Perseguido por sua atuação política de esquerda e por editar "obras subversivas", é preso e processado várias vezes sob acusação de crimes contra a segurança nacional. Sócio fundador da editora Paz e Terra, em 1966, logo se desliga da empresa. Em 1968 tem os direitos políticos suspensos por dez anos. Várias publicações da Civilização Brasileira são proibidas. Atentados a bomba destroem a sede da editora e seu depósito de livros. Na década de 80, com problemas financeiros, associa-se a Manuel Boullosa e deixa de ser acionista majoritário da empresa, mas permanece no cargo de diretor editorial. Morre no Rio de Janeiro.



publicado por LUCIANO às 19:48