JOHN MAYNARD KEYNES


Economista inglês (5/6/1883-21/4/1946). Um dos pensadores econômicos mais influentes deste século. Nasce em Cambridge e estuda na universidade local, onde passa a lecionar. Em 1919 renuncia ao cargo de delegado britânico na Conferência do Tratado de Versalhes, por discordar das indenizações exorbitantes impostas à Alemanha no pós-guerra. Expõe suas críticas no livro As Conseqüências Econômicas da Paz (1919). Seu principal trabalho, A Teoria Geral do Emprego, do Juro e do Dinheiro (1936), é considerado a base da chamada "revolução keynesiana". Nele, o economista contraria a teoria clássica segundo a qual as economias tenderiam para o equilíbrio e o pleno emprego. Sustenta que o desemprego pode perdurar indefinidamente se os governos não fizerem gastos para estimular a economia e o crescimento. Em 1944 representa o Reino Unido na Conferência de Bretton Woods, que define a instituição do Fundo Monetário Internacional (FMI) para regular a economia ocidental no pós-guerra. É freqüentador assíduo, em 1907, do chamado grupo de Bloomsbury, nome do bairro em que residia a escritora Virginia Woolf e em cuja casa reuniam-se destacados intelectuais londrinos, como o romancista E.M. Forster e o poeta T.S. Eliot. Morre em Firle, no condado de Sussex.



publicado por LUCIANO às 19:57