LUÍS DE GÔNGORA Y ARGOTE

Poeta espanhol, líder da corrente literária autodenominada cultismo, desenvolve um estilo, o gongorismo, marcado pelo uso acentuado de hipérboles, metáforas obscuras e dubiedades. Luís de Gôngora y Argote (11/7/1561-23/5/1627) nasce em Córdoba e começa a estudar direito em Salamanca. Em 1581 retorna à cidade natal e logo conquista fama com seus romances, letrillas e sonetos. É protegido por um tio, Francisco de Gôngora, capelão real, sob a condição de receber as ordens menores. Inicia então os estudos religiosos, mas só é ordenado sacerdote aos 56 anos. Começa a freqüentar a corte de Filipe III e passa a levar vida mundana. Cria algumas inimizades literárias, entre elas com Francisco de Quevedo y Villegas, adeptos do conceptismo – culto à sutileza dos conceitos, mais do que à complexidade da forma poética. No fim da vida passa por crises financeiras e chega a ser ameaçado de prisão pelos credores. Em 1626, mal restabelecido do que parece ter sido uma congestão cerebral, retorna a Córdoba, onde morre no ano seguinte. Não chega a ver a primeira edição completa de seus poemas, que fica pronta no mesmo ano, sob o título Obras em Versos do Homero Espanhol.



publicado por LUCIANO às 12:38