Michel Platini

Platini, além de craque genial e líder dentro de campo, sempre teve uma conduta impecável do lado de fora, a simpatia, o sorriso inabalável e os modos gentis,O jogador (21/6/1955-) nasceu em Joeuf, França. Filho de um casal de italianos, foi justamente na Itália que Platini anos depois foi mostrar seu imenso talento. Na infância, o apelido de Platini era "Anão". Filho de um ex-jogador de futebol, desde cedo aprendeu com o pai que, se não tinha físico privilegiado, deveria compensar com muita técnica. Treinava com afinco nos fundos de casa todos os fundamentos, especialmente dribles, chutes e passes. Aos 13 anos, jogando no Joeuf, clube amador de sua cidade, enfrenta os primeiros problemas. Por seu talento, é sempre promovido para as equipes mais velhas. Por seu físico, acabava ficando na reserva. Aos 16 anos, jogando na equipe sub-18, faz uma partida espetacular, decidindo o jogo contra o Metz, clube da Primeira Divisão francesa. Levado para o Metz, é reprovado pelos médicos, que diagnosticam "corpo franzino e capacidade respiratória insuficiente". Acaba indo para o Nancy, clube da Segunda Divisão, onde, aos 18 anos, é titular da equipe principal e lidera o time na subida à Primeira no ano seguinte. Aos 21 anos, Platini estréia na Seleção Francesa contra a Tchecoslováquia. A França vencia por 1 x 0 quando houve uma obstrução próxima à área. O estreante encosta em Henri Michel (craque que depois seria seu técnico na Seleção), diz: "Encosta pra mim que eu mando pra rede" e cumpre a promessa. Estava iniciada a era Platini. Naquele ano, com 28 gols em 35 partidas pelo Nancy, é o capitão da Seleção Francesa que vence o Torneio Pré-Olímpico e disputa as Olimpíadas de Montreal. Em 1978, joga sua primeira Copa do Mundo e leva o Nancy ao seu único título da história, o de campeão da Copa da França. Vai então para o Saint-Étienne, já como o maior jogador do país. Depois de um título francês, transfere-se para a Juventus de Turim. Lá, Platini é duas vezes o artilheiro do Campeonato Italiano, campeão europeu e mundial interclubes, recebendo por três vezes consecutivas a Bola de Ouro de melhor jogador da Europa, até hoje o único jogador a conseguir tal feito (Cruyff e Van Basten também ganharam três, mas não em anos seguidos). Na Seleção, classifica a França para a Copa da Espanha, só perdendo nas semifinais para a Alemanha Ocidental. A decepção pela eliminação foi compensada dois anos mais tarde com a conquista da Eurocopa, até então o maior título do futebol francês. Platini faz nove gols em cinco jogos. Após passar na semifinal por Portugal, a Seleção da França derrota a Espanha na decisão, por 2 x 0, com um gol de falta de Platini, em Paris. Na Copa do México, Platini volta a brilhar. Fez o gol da França no empate em 1 x 1 nas quartas-de-final. Os franceses acabam eliminando o Brasil, porém acabam perdendo para a Alemanha. Michel Platini abandona os campos aos 32 anos. Torna-se técnico da Seleção Francesa (de 1988 a 1992), depois dirigente da federação e presidente do Comitê Organizador da Copa de 1998.


publicado por LUCIANO às 08:34