LEÃO III - LYON III


Imperador bizantino (675-741), responsável pela implantação da doutrina iconoclasta, que condena a veneração de imagens religiosas. Nasce de uma família abastada em Germanicéia, atual Turquia. Ainda jovem, é nomeado assistente do imperador Justiniano II, que desconfia de sua conduta e o envia para uma missão nas fronteiras, apostando que ele jamais voltaria. A despeito dos perigos, Leão mantém-se vivo e, sob o comando do imperador subseqüente, Anastasius II, chega a comandante de um distrito militar do império, na Ásia Menor. Depois de uma revolta militar, em 715, Anastasius é deposto. Enquanto isso, exércitos árabes invadem a Ásia Menor. Leão ilude os árabes, dos quais se finge aliado para utilizar sua tecnologia militar, e torna-se imperador em março de 717. Influenciado pelas seitas iconoclastas orientais, pelo judaísmo e pelo islamismo, proíbe a veneração das imagens de Cristo, dos santos e de outros ícones religiosos nas igrejas, e ordena sua destruição. Conhecida como Querela das Imagens, a medida leva ao rompimento do Império Bizantino com a Igreja de Roma e à perda da Itália. Reorganiza a administração das possessões bizantinas na Ásia Menor e na Grécia, instalando as thematas, sistema pelo qual as divisões administrativas do império são identificadas pelo nome dos regimentos nelas acampados. Morre em Constantinopla.



publicado por LUCIANO às 19:46