mais sobre mim

subscrever feeds

tags

todas as tags

Visitas Hoje

Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Vinicius de Moraes


Poeta, compositor e diplomata fluminense. É um dos mais importantes poetas do modernismo pós-1930 e letristas da bossa novaMarcus Vinicius da Cruz de Mello Moraes (19/10/1913 - 9/7/1980) nasce na cidade do Rio de Janeiro. Forma-se oficial da reserva no serviço militar e conclui o curso de direito em 1933. Em 1928 compõe com os irmãos Tapajós, iniciando-se na música popular antes mesmo do primeiro livro, a coletânea de poemas O Caminho para a Distância (1933). Publica também Forma e Exegese (1935) e Ariana, a Mulher (1936). Em 1938 vai estudar na Inglaterra e lança Novos Poemas. De volta ao Brasil, ingressa no Ministério das Relações Exteriores em 1943. Assume o primeiro posto diplomático em 1946 em Los Angeles e permanece nos Estados Unidos até 1950. Em 1953 compõe o primeiro samba, Quando Tu Passas por Mim, e publica a peça Orfeu da Conceição em 1954. Em 1956 conhece Tom Jobim, que faz as músicas para a peça Orfeu. Publica o Livro de Sonetos em 1957. Duas de suas primeiras composições com Tom Jobim (Chega de Saudade e Outra Vez) são gravadas por Elizeth Cardoso no disco Canção do Amor Demais (1958), com acompanhamento ao violão de João Gilberto, e são consideradas o marco inicial da bossa-nova. É de Vinicius a letra de Garota de Ipanema, a música brasileira mais executada e conhecida em todo o mundo. Entre 1955 e 1956, prepara o roteiro do filme Orfeu Negro, do diretor francês Marcel Camus, que ganha o Oscar de Hollywood de 1959 como melhor filme estrangeiro. No início dos anos 60, começa a compor com outros músicos, como Pixinguinha, Carlos Lyra, Edu Lobo, Francis Hime e Dorival Caymmi. Com Baden Powell, cria afro-sambas famosos, como Canto de Ossanha e Berimbau. É aposentado do serviço diplomático em 1968, supostamente por motivos políticos. A partir de 1969, torna-se parceiro do violonista Toquinho, com quem faz shows no Brasil e no exterior, até morrer, no Rio de Janeiro.



publicado por LUCIANO às 17:00
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Virgílio

Poeta romano (15/10/70 a.C.-21/9/19 a.C.). Um dos maiores nomes da poesia latina, sua obra serve de modelo para todos os poetas ocidentais até o século XVIII. Publius Vergilius Maro nasce em Andes, atual Pietole, perto de Mântua. De família pobre, é educado em Cremona. Vai depois para Roma, onde estuda filosofia e retórica com grandes mestres e passa a freqüentar os círculos eruditos da cidade. Protegido do ministro Mecenas, é nomeado poeta oficial do imperador Augusto. Em algumas obras, como Bucólicas e Geórgicas, utiliza elementos da cultura helênica. Revela notável habilidade na composição dos versos. Seu estilo é imitado por todos os grandes poetas épicos dos séculos XVI e XVII, como Camões, Tasso e Milton. Escreve a Eneida, atendendo a uma encomenda de Augusto, na qual narra a viagem do troiano Enéias, encarregado pelos deuses de lançar na região do Lácio a pedra fundamental da cidade sagrada de Roma. Leva cerca de dez anos para escrever a Eneida e, antes de considerá-la finalizada, morre em Brundisium, hoje Brindisi.



tags:
publicado por LUCIANO às 16:57
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Virginia Woolf

Escritora inglesa. Uma das grandes renovadoras da novela moderna. Adeline Virginia Stephen (25/1/1882-28/3/1941) nasce em Londres. De saúde frágil, dedica-se à leitura na biblioteca do pai, um erudito editor de livros. Começa a escrever cedo e aos 20 anos colabora no jornal inglês Times. Com a morte do pai tem a primeira das muitas crises nervosas que enfrentaria. Muda-se para Bloomsbury, em Londres, e sua casa se torna ponto de encontro da intelectualidade londrina. Ali conhece Leonard Woolf, jornalista e ensaísta com quem se casa em 1912. O casal vive entre Sussex e Londres, onde funda uma editora. Virginia inova a ficção com um estilo poético e impressionista, baseado na técnica do fluxo da consciência, e desenvolve seus enredos com base em impressões subjetivas dos personagens. Seus livros mais conhecidos são A Senhora Dalloway (1925) e Orlando (1928), que retrata as mudanças da sociedade inglesa do século XVI até 1928, por meio de um personagem que nasce homem e no decorrer da história se transforma em mulher. Também faz crítica literária. Suicida-se em um rio em Sussex.

publicado por LUCIANO às 16:54
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Visconde de Cairu


Jurista, economista e político baiano. Tem papel fundamental na introdução do liberalismo econômico no Brasil.José da Silva Lisboa (16/7/1756-20/8/1835) nasce em Salvador e forma-se em direito e filosofia na Universidade de Coimbra. Em Portugal, publica o livro Princípios do Direito Mercantil (1801), a primeira obra sobre economia política editada em português. De volta ao Brasil, ensina filosofia moral, grego e economia durante mais de 20 anos em sua cidade natal. Como deputado e secretário da mesa de inspeção da província da Bahia, acompanha o príncipe regente dom João em sua viagem de Salvador ao Rio de Janeiro, em 1808, quando a família real se transfere para o Brasil. Alguns historiadores atribuem a ele a autoria da idéia de abertura dos portos brasileiros às nações amigas, em 1808. Escreve os livros Observações sobre o Comércio Franco e O Conciliador do Reino Unido, sobre economia política. Neste último defende as vantagens da monarquia constitucional. Após a independência do Brasil, é eleito deputado à Assembléia Constituinte de 1823 e propõe a criação de uma universidade no Rio de Janeiro. Recebe o título de barão em 1825 e o de visconde no ano seguinte. Morre no Rio de Janeiro.

publicado por LUCIANO às 14:58
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Visconde de Mauá

Empresário gaúcho. É considerado um dos maiores empreendedores do século XIX e o precursor da industrialização no Brasil.Irineu Evangelista de Souza (28/12/1813-21/10/1889) nasce em Arroio Grande, órfão de pai, e muda-se para o Rio de Janeiro em 1822. Trabalha num armarinho até 1830, quando se emprega em uma importadora. Sete anos depois já é sócio da firma. Abre, em 1846, uma pequena fábrica de navios em Niterói (RJ), que, no ano seguinte, se torna a maior do país. De 1852 a 1856 funda empresas de navegação e cria a primeira ferrovia brasileira, entre Petrópolis e Rio de Janeiro. Monta uma companhia de gás para a iluminação da capital federal e inaugura o trecho inicial da primeira rodovia pavimentada do país, entre Petrópolis e Juiz de Fora. Participa da construção de três ferrovias e da instalação dos primeiros cabos telegráficos submarinos entre Brasil e Europa. Por volta de 1860 cria o Banco Mauá, Mac-Gregor & Cia. Deputado liberal, abolicionista e contra a Guerra do Paraguai, entra em atrito com as autoridades imperiais. Suas fábricas sofrem sabotagem e os negócios são abalados pela sobretaxação de importações. Em 1875, o Banco Mauá vai à falência. Vende a maioria das empresas e, até morrer, em Petrópolis, ocupa-se com o pagamento de suas dívidas.



publicado por LUCIANO às 14:56
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Vital Brazil


Médico e cientista mineiro. Pioneiro no país na pesquisa dos efeitos dos venenos de cobras e na produção de soros antiofídicos. Vital Brazil Mineiro da Campanha (25/4/1865 - 8/5/1950) nasce em Campanha, de onde vem seu sobrenome. Era costume de seu pai, José Manoel dos Santos Pereira Júnior, agregar o nome da cidade natal ao de cada um dos oito filhos. Estuda medicina no Rio de Janeiro e se especializa em pesquisa clínica em Paris. Muda-se para São Paulo em 1892 e, três anos depois, instala-se em Botucatu, no interior paulista, como médico clínico. Após atender a vários casos de envenenamento ofídico, decide pesquisar o tema. Dois anos depois trabalha no Instituto Bacteriológico de São Paulo, sob a direção do médico e cientista fluminense Adolfo Lutz, no preparo dos primeiros soros eficientes contra a picada de cobras peçonhentas, como cascavel, surucucu e jararaca. Em 1899, por sugestão de Lutz, o governo do estado cria o Instituto Soroterápico e chama Vital Brazil para chefiá-lo. Essa é a origem do atual Instituto Butantã, estabelecido oficialmente em 1901. No mesmo ano, em 11 de junho, entrega para consumo os primeiros lotes de soros antiofídicos. Em 1919, o próprio médico funda o Instituto Vital Brazil em Niterói, no Rio de Janeiro. Escreve três obras fundamentais: Contribuição para o Estudo do Envenenamento Ofídico (1901), um catálogo com a descrição das principais espécies venenosas brasileiras; Tratamento do Ofidismo (1903); e O Ofidismo no Brasil (1906), até hoje um importante manual sobre o assunto. Morre no Rio de Janeiro aos 85 anos.

publicado por LUCIANO às 14:52
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Vitor Brecheret

Escultor paulista. Fundador da escola modernista brasileira de escultura. Vitor Brecheret (22/2/1894 - 18/12/1955) nasce em São Paulo, onde cursa o Liceu de Artes e Ofícios. Entre 1913 e 1919 estuda arte em Roma. É influenciado pelos escultores Ivan Mestrovic (croata), Auguste Rodin e Emile-Antoine Bourdelle (franceses). De volta ao Brasil cria a medalha comemorativa do centenário da independência. Continua expondo na Europa e é premiado no Salão de Outono de Paris, em 1921. Liga-se a Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Di Cavalcanti e Menotti del Picchia e ajuda a fundar o movimento modernista. Expõe 20 esculturas na Semana de Arte Moderna de 1922. No ano seguinte realiza o Monumento às Bandeiras, por encomenda do governo de São Paulo. Em 1951 é premiado como o melhor escultor nacional na 1ª Bienal de São Paulo. Com uma obra de cunho nacionalista, na última década de vida funde a arte indígena com o abstracionismo europeu. Em sua produção destacam-se Ídolo (1921), Depois do Banho (1945), O Índio e Sasuapara (1951). Morre em São Paulo.


publicado por LUCIANO às 14:50
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Vitor Meireles

Pintor catarinense. Um dos principais pintores históricos brasileiros, é autor da tela A Primeira Missa no Brasil (1861).Vítor Meireles Lima (18/8/1832-22/3/1903) nasce em Desterro, atual Florianópolis. Recebe as primeiras aulas de pintura ainda na infância, do artista argentino Marciano Moreno. Com os estudos custeados pelo conselheiro Joaquim Francisco Coelho, matricula-se, em 1847, na Academia Imperial de Belas-Artes, no Rio de Janeiro, na qual freqüenta o curso de pintura histórica. Em 1852 conquista o prêmio da Academia Imperial com a tela São João Batista no Cárcere e recebe uma bolsa para estudar na Europa. Fixa-se em Roma em 1853 e, mais tarde, muda-se para Milão e, depois, para Paris. No exterior executa uma de suas principais obras, A Primeira Missa no Brasil (1861), apresentada no Salão de Paris. Retorna ao Brasil no mesmo ano e é nomeado titular da cátedra de pintura histórica da Academia Imperial, cargo que exerce até 1890. No período, produz as obras Moema (1863), A Batalha dos Guararapes (1875) e Juramento da Princesa Isabel (1875) e recebe a encomenda oficial das telas O Combate Naval de Riachuelo (1866) e A Passagem de Humaitá (1866). Também leciona no Liceu de Artes e Ofícios do Rio, onde renova os métodos do ensino de desenho. Além da pintura histórica, dedica-se aos retratos - entre os quais se destacam os de dom Pedro II e os da imperatriz Teresa Cristina - e aos temas sacros, como a tela Flagelação de Cristo. Inicia, em 1875, a pintura de um panorama circular sobre o Rio de Janeiro que permite a um espectador imóvel, ao olhar através de um cilindro giratório, contemplar as imagens. Morre no Rio, aos 70 anos.

publicado por LUCIANO às 14:47
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Vittorio De Sica


Ator e cineasta italiano (7/7/1901-13/11/1974). Um dos principais representantes do neo-realismo italiano. Nascido em Sora, na região do Lácio (centro da Itália), estréia no cinema em 1922 atuando em Gli Uomini, che Mascalzoni!, de Mario Camerini. Na década de 30 torna-se galã popular nas comédias do mesmo diretor. Começa a dirigir filmes em 1940. A maioria deles em parceria com o roteirista Cesare Zavattini, com quem realiza algumas das maiores obras do movimento neo-realista, entre elas Ladrão de Bicicleta (1948), Milagre em Milão (1950) e O Teto (1956). O fracasso de bilheteria de seus filmes obriga-o a trabalhar também como ator: na década de 50 participa de várias produções, entre elas Anna de Brooklyn (1958) e Che Impressione (1952). Recebe três Oscar de melhor filme estrangeiro por Ontem, Hoje e Amanhã (1963), Casamento à Italiana (1964) e O Jardim dos Finzi Contini (1971), este último sobre a perseguição aos judeus na Itália fascista. Sua última realização é Viagem Proibida (1974), com Sophia Loren e Richard Burton.

publicado por LUCIANO às 14:45
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Vitus Bering


Navegador dinamarquês. Descobridor da região hoje conhecida como estreito de Bering. Vitus Jonassen Bering (1681-19/12/1741) nasce na cidade de Horsens. Ingressa na frota do czar Pedro, o Grande e, em 1724, é nomeado líder de uma expedição para determinar se Ásia e América do Norte são ligadas por terra (em 1648, o russo Semyon Dezhnyov já navegara pelo estreito de Bering, mas o fato permaneceu desconhecido até 1736). Sai da península da Sibéria em 13 de julho de 1728 e, no mês seguinte, chega ao estreito que levaria seu nome, no oceano Ártico. O mau tempo impede observações mais cuidadosas. Contudo, ao não avistar a costa da América, Bering conclui que os dois continentes não estão unidos. De volta à Rússia, realiza uma segunda expedição durante o reinado da imperatriz Anna, na qual mapeia grande parte da costa ártica da Sibéria. Em junho de 1741, a bordo do St. Peter, parte novamente da península da Sibéria, dessa vez acompanhado por Aleksey Chirikov, que comanda o navio St. Paul. Os dois navios são separados por uma tempestade e, enquanto Chirikov descobre várias das ilhas Aleutas, Bering navega pelo golfo do Alasca. Vítima de escorbuto, é incapaz de conduzir o navio na volta, naufragando perto da península de Kamchatka.

publicado por LUCIANO às 14:41
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Vladimir Herzog


Jornalista brasileiro de origem iugoslava. Sua morte por asfixia, nas dependências do DOI-Codi, em São Paulo, provoca manifestações de protesto contra a ditadura militar. Vladimir Herzog (1937-1975) nasce em Osijek, na Croácia, filho único de uma família judia. Chega ao Brasil com os pais aos 9 anos, procedente da Itália, onde vive de 1940 até 1945, quando começa a II Guerra Mundial. Forma-se em filosofia na Universidade de São Paulo (USP) em 1961. Começa a carreira de jornalista no final da década de 50, no jornal O Estado de S. Paulo e, mais tarde, torna-se editor da revista Visão. Exerce a direção do departamento de jornalismo da TV Cultura paulista, em 1975, quando é chamado para depor no DOI-Codi, órgão do 2º Exército encarregado da repressão aos movimentos de esquerda na época. A convocação tem por base sua suposta ligação com o Partido Comunista Brasileiro (PCB). Herzog é encarcerado, submetido a torturas e morre nas dependências do DOI-Codi - de acordo com o Exército, vítima de suicídio por enforcamento. A família entra com processo exigindo a classificação de sua morte como crime de assassinato. Em outubro de 1978, a Justiça declara a União responsável por sua morte. Um decreto assinado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, em 1997, com base na Lei dos Desaparecidos Políticos, concede uma indenização de 100 mil reais aos familiares do jornalista.

publicado por LUCIANO às 14:36
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Vladimir Mayakovski


Poeta e dramaturgo russo (19/7/1893-14/4/1930). Brilhante na combinação de palavras para elaborar seus poemas, renova a poesia russa no século XX e é um dos principais participantes do movimento futurista em seu país. Vladimir Vladimirovich Maiakovski nasce em Bagdadi, na Geórgia. Aos 15 anos une-se ao Partido Social Democrata dos Trabalhadores e é preso por atividades subversivas. Na prisão começa a escrever poesias em 1909. Libertado, entra para a Escola de Arte de Moscou, onde lidera o grupo dos futuristas russos. São dessa fase os poemas A Nuvem de Calças (1915) e A Flauta de Vértebras (1916). Com a Revolução Russa faz sucesso como propagandista dos ideais bolcheviques em poemas e peças de teatro. Porta-voz do Partido Comunista, trabalha na Agência Telegráfica Russa como criador de cartazes, para os quais faz rimas e slogans, além de livrinhos didáticos com os princípios da Revolução para crianças. A partir de 1925 viaja por Europa, Estados Unidos, México e Cuba. Escreve roteiros para filmes e peças satíricas, como Klop (1929) e Banya (1930). Uma decepção amorosa e a crítica de escritores mais ortodoxos o levam ao suicídio, em Moscou.

publicado por LUCIANO às 14:33
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Vladimir Nabókov


Romancista, poeta e crítico russo naturalizado norte-americano (22/4/1899-2/7/1977). Vladímir Vladimirovitch Nabókov nasce em São Petersburgo, em uma família aristocrática. Aos 17 anos escreve seu livro Poemas. Em 1919, após a Revolução Russa, muda-se com os pais para a Inglaterra e gradua-se pela Universidade de Cambridge (1922). No ano seguinte vai para a Alemanha e, sob o pseudônimo de Vladimir Sirin, publica poemas no jornal da colônia russa em Berlim. Sua primeira novela, Mashenka, é escrita em 1926. A principal obra desse período é o romance O Presente, de 1937, no qual cria a fórmula que marcará seus escritos posteriores: o uso da paródia com objetivos sérios. Em 1940 muda-se para os Estados Unidos, obtendo a cidadania norte-americana em 1945. Bend Sinister, sua primeira novela em inglês, é publicada em 1947. Como crítico, escreve um trabalho sobre o escritor russo Nikolai Gogol (1944) e um alentado comentário ao livro Eugene Onegin, de Pushkin (1964). Seu romance mais conhecido é Lolita (1955), história da paixão doentia de um intelectual de meia-idade por uma menina de 12 anos. Em 1959 muda-se para a Suíça. Morre em Montreux.

publicado por LUCIANO às 14:30
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Vladimir Palmeira

Economista e político alagoano. Importante líder estudantil durante o Regime Militar e deputado constituinte em 1986. Vladimir Gracindo Soares Palmeira (11/12/1944-) nasce em Maceió, em família de marcante atuação política. Seu pai, Rui Palmeira, participou da elaboração da Constituição de 1946. Um de seus irmãos, Guilherme Palmeira, governou Alagoas e outro, Miguel Palmeira, foi deputado estadual. Inicia a militância ainda na juventude, no Rio de Janeiro. Estudante de direito, é eleito em 1967 presidente da União Metropolitana dos Estudantes (UME) e, em junho de 1968, lidera a organização da Passeata dos 100 Mil. O ato, que reúne estudantes, intelectuais, operários, profissionais liberais e religiosos, foi uma das primeiras grandes manifestações contra a ditadura militar. Em outubro de 1968, participa do encontro clandestino organizado pela União Nacional dos Estudantes (UNE) em Ibiúna (SP). Acaba preso juntamente com centenas de universitários, mas fica detido por causa de sua atuação na liderança do movimento. É libertado em setembro de 1969 com outros 14 presos políticos, em troca do embaixador norte-americano Charles Elbricke, seqüestrado por guerrilheiros de esquerda. Viaja para o exílio. Dez anos depois, com a anistia, retorna ao Brasil e participa da criação do Partido dos Trabalhadores (PT). Em 1986, é eleito deputado federal pelo Rio de Janeiro e participa da elaboração da nova Constituição. Em 1998, chega a ser escolhido pelo diretório estadual do PT como candidato ao governo fluminense, mas a direção nacional do partido intervém e não permite sua candidatura, alegando que ela pode quebrar a aliança política mantida com o PDT, o que provoca protestos da ala mais radical do partido. No mesmo ano, é publicado o livro que escreve com o companheiro de partido José Dirceu, Abaixo a Ditadura, sobre o movimento estudantil de 1968.

publicado por LUCIANO às 14:27
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Voltaire


Filósofo e escritor francês (21/11/1694-30/5/1778), um dos principais nomes do iluminismo na França. François-Marie Arouet, conhecido como Voltaire, nasce em Paris. De família rica, estuda com os jesuítas no Colégio de Clermont, e revela-se um aluno brilhante. O contato prematuro com o ambiente libertino da intelectualidade parisiense, como o círculo formado pela Société du Temple, é fundamental para a sua formação. Influenciado pelo grupo, escreve em 1717 a sátira em versos sobre o trabalho do francês Philippe d’Orléans. Considerada ofensiva, a obra leva-o à prisão por um ano na Bastilha. Em 1723 volta a ser preso por ofensas ao príncipe Rohan-Chabot. Exila-se na Inglaterra no Reino Unido e conhece as idéias iluministas. Retorna a Paris e publica Cartas Filosóficas, ou Cartas sobre os Ingleses (1734), em que compara a tolerância religiosa e a liberdade de expressão no Reino Unido com o atraso do clero e da sociedade franceses. Seu romance mais conhecido é Cândido, ou O Otimismo (1759), crítica irreverente ao otimismo do século XVIII. Escreve ainda Tancredo (1760), Dicionário Filosófico (1764) e O Ingênuo (1767).

tags:
publicado por LUCIANO às 14:24
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Vsevolod Emilievich Meyerhold


Diretor de teatro russo (9/2/1874-2/2/1940). Um dos mais originais da dramaturgia russa. Vsevolod Emilievitch Meyerhold nasce em Penza. Entre 1898 e 1902 trabalha como ator, sob a direção de Konstantin Stanislavski, no Teatro de Arte de Moscou. Adere ao comunismo depois da Revolução de 1917 e é indicado por Stanislavski para dirigir o Teatro de Petrogrado. Encena várias peças de Vladimir Maiakovski e ganha o título de artista nacional da URSS em 1923. Nos anos seguintes torna suas montagens cada vez mais bem elaboradas, inovando de forma ousada e criativa: usa o cinema como recurso, convida o espectador a subir ao palco e, às vezes, põe os atores representando no meio do público. Seu estilo desagrada aos ideólogos da Revolução, que o criticam e o perseguem a partir de 1934. Recusa-se a reconhecer seus desvios ideológicos e a fazer autocrítica, mesmo sob pressão do regime. Intensifica os ataques à política oficial do Partido Comunista e denuncia a decadência do teatro soviético. Em 1939 é preso pela polícia stalinista após uma conferência teatral. Morre num campo de trabalhos forçados em 1942. Acredita-se que tenha sido executado.

publicado por LUCIANO às 14:21
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Walt Disney


Desenhista e produtor cinematográfico norte-americano (5/12/1901-5/12/1966). Walter Elias Disney nasce em Chicago, Illinois, mas cresce em uma fazenda no Missouri. Interessado em desenho desde pequeno, aos 7 anos já vende seus primeiros esboços aos vizinhos. Em 1918 tenta alistar-se no Exército, mas é rejeitado por ter apenas 16 anos. Entra então para a Cruz Vermelha e passa um ano dirigindo uma ambulância – cuja carroceria ele cobre de desenhos e cartuns. Depois da guerra, inicia uma carreira de cartunista publicitário. Em 1920 cria o primeiro filme de animação e, três anos depois, vai tentar a sorte em Hollywood, onde abre um pequeno estúdio com o irmão Roy. Em 1925 casa-se com uma funcionária, Lillian Bounds, com quem tem duas filhas. Em 1928 cria o personagem Mickey Mouse, que faz imenso sucesso em tiras de histórias em quadrinhos. Com uma equipe de desenhistas, inventa novos personagens, entre eles Pato Donald, Pluto, Pateta e Tio Patinhas. Em 1935, com Branca de Neve, começa a desenvolver desenhos animados de longa-metragem. Em meados da década de 40, seu estúdio está consolidado como um dos maiores produtores de filmes para cinema e TV, e premiado com mais de trinta Oscar. Em 1955 inaugura um grande parque de diversões, a Disneylândia, em Los Angeles. Antes de morrer, em Burbank, na Califórnia, inicia a construção do Walt Disney World, em Orlando, Flórida, que começa a funcionar em 1971.


publicado por LUCIANO às 14:18
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Walt Whitman


Poeta norte-americano, revolucionário na forma e na temática de sua poesia, defende a abolição da escravatura, os direitos da mulher, o amor livre e o desenvolvimento tecnológico.
Walt Whitman (31/5/1819-26/3/1892) nasce em West Hills, estado de Nova York. Em 1823 muda-se com a família para a cidade de Nova York e estuda em uma escola pública do Brooklyn. Trabalha como tipógrafo e jornalista. Após a Guerra Civil Americana, consegue um cargo no Ministério do Interior, mas é demitido pouco depois porque o titular da pasta se indigna com Leaves of Grass (Folhas de Relva), livro de poemas de Whitman publicado pela primeira vez em 1855 e reeditado com revisões e ampliações durante anos. A obra, repudiada pelos críticos de então, introduz o verso livre e dá tratamento poético a coisas e fatos do cotidiano, como o progresso técnico e o sexo. Em 1871 expõe seus pontos de vista políticos no ensaio Democratic Vistas, que tem grande repercussão. Em 1873 uma doença vascular o deixa parcialmente paralítico. Passa então a morar em Camden, Nova Jersey, com a família. Em fins de 1891 publica a última edição de Leaves of Grass e morre poucos meses depois.


publicado por LUCIANO às 14:14
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Walter Benjamin

Pensador alemão (15/7/1892-26/9/1940). Considerado um dos mais importantes críticos literários da Alemanha do início do século. Nasce em Berlim e estuda filosofia em Freiburg, Berlim, Munique e Berna. Fixa-se em Berlim em 1920 e trabalha como crítico e tradutor. É um dos expoentes da escola de Frankfurt, ao lado de Theodor Adorno e Max Horkheimer. Interrompe a carreira acadêmica quando, em 1928, a Universidade de Frankfurt rejeita sua tese de doutorado sobre A Origem do Drama Trágico Alemão, considerada pouco convencional. Filho de judeus, deixa a Alemanha em 1933, em virtude da ascensão do nazismo, e muda-se para Paris. Continua a escrever ensaios e artigos para jornais de literatura até a invasão da França pelos nazistas, quando foge para o sul da Europa com a intenção de escapar para os Estados Unidos pela Espanha. Preso pela polícia da cidade de Port-Bou, na fronteira franco-espanhola, e informado de que seria entregue à Gestapo, suicida-se. Sua obra rende-lhe reconhecimento póstumo. Os ensaios contendo suas reflexões filosóficas sobre literatura são densos e entremeados de observações poéticas. A originalidade deles pode ser apreciada em artigos como As Afinidades Eletivas de Goethe, de 1924-1925.

publicado por LUCIANO às 14:10
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Walter Clark


Comunicador paulista. Diretor-geral da TV Globo nas décadas de 60 a 80, período em que a emissora se torna líder de audiência. Walter Clark (14/7/1936-24/3/1997) nasce na cidade de São Paulo, no tradicional bairro da Bela Vista, e desde menino se envolve com comunicação. Seu pai conserta rádio, e a casa vive cheia de aparelhos ligados. Além disso, um de seus amigos de rua é filho do porteiro do cine Paulista e ele pode assistir aos filmes sem pagar. Em 1940, aos 12 anos de idade, a família se muda para o Rio de Janeiro. Ainda adolescente, começa sua carreira no rádio, trabalhando como apresentador. Aos 16, assiste à televisão pela primeira vez. Pouco depois ingressa na extinta TV Rio. Nessa época, sustenta a família. Faz sucesso e em 1962 é convidado por Roberto Marinho para assumir a TV Globo. Sua missão é mudar a programação, para tirar a emissora do patamar de 9% de audiência. Ele reformula a programação, investe mais em telenovelas e nos programas de jornalismo, e começa a criação do padrão Globo de qualidade em suas produções. Em apenas cinco anos a TV Globo passa a ser líder de audiência. Fica 25 anos no comando da emissora. Sai em 1987, quando é substituído por José Bonifácio Sobrinho. Escreve um livro de memórias, O Campeão de Audiência (1989), e continua a trabalhar, primeiro na TV Bandeirantes de São Paulo e, a seguir, na TV Educativa do Rio, de onde sai em 1992. Morre aos 61 anos, de insuficiência cardíaca, no apartamento em que morava sozinho no Rio, quando trabalhava em um projeto sobre a vida do músico e compositor Tom Jobim. Casado por três vezes, teve cinco filhos.

publicado por LUCIANO às 14:06
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Walter Gropius


Arquiteto alemão (18/5/1883-5/7/1969). Conhecido por dar nova aplicação funcional à arte e desenvolver novos métodos e materiais destinados à construção. Nascido em Berlim, estuda em Munique e, em 1910, trabalha como assistente de Peter Behrens. No ano seguinte constrói a Fábrica Fagus, em Alfeld-an-der-Leine, considerada a primeira obra em estilo moderno. Em 1919, já diretor da Escola de Weimar, funda a Bauhaus, primeira escola de desenho industrial moderno. Em 1925 muda a escola para Dessau, ocupando um prédio desenhado por ele. Dirige a Bauhaus até 1928, chefiando uma equipe de professores composta de artistas consagrados, como o norte-americano Lyonel Feininger, o suíço Paul Klee e o russo Vassíli Kandínski. Pressionado pelo nazismo, abandona o país em 1934 e vai para a Inglaterra, onde projeta fábricas e prédios estatais. Em 1937 é nomeado professor da Universidade de Havard, nos Estados Unidos, país no qual se fixa e executa várias obras, algumas em colaboração com Marcel Breuer, seu antigo aluno. Em 1944 torna-se cidadão norte-americano. Morre em Boston.


publicado por LUCIANO às 14:03
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Walter Hugo Khouri

Cineasta paulista (21/10/1929-27/06/2003). Nasce na cidade de São Paulo e, aos 6 anos, perde o pai. É criado pelo avô, um arquiteto descendente de nobres que costuma levá-lo ao cinema e presenteá-lo com livros. Começa a estudar filosofia na Universidade de São Paulo (USP), mas desiste do curso para dedicar-se à arte. Na década de 50, produz e dirige teleteatros para a TV Record e trabalha como crítico e jornalista. Começa no cinema em 1951, na pré-produção de O Cangaceiro, de Lima Barreto, rodado pelos estúdios Vera Cruz. Estréia como diretor em 1952, com O Gigante de Pedra. Em 1958, lança Estranho Encontro, seu primeiro sucesso. Cria a produtora Kâmera Filmes em 1962, mas continua na Vera Cruz, onde produz O Anjo Mau, do diretor Roberto Santos, em 1964. Influenciados por Ingmar Bergman, seus filmes abordam os problemas existenciais da classe média alta, em geral por meio do personagem Marcelo, alter ego do diretor, presente em diversas obras. Seus trabalhos mais importantes são Noite Vazia (1964), Corpo Ardente (1965), O Anjo da Noite (1974), O Prisioneiro do Sexo (1979), Amor Estranho Amor (1982) e Eu (1986). Em 1984, faz ficção científica em Amor Voraz, no qual conta a história do amor de uma jovem sensitiva por um extraterrestre, que aporta, vindo das águas, em sua mansão junto a uma grande represa. Na década de 90, realiza apenas três filmes: Forever – Juntos para Sempre (1991), As Feras (1995) e Paixão Perdida (1998). Em 2001, é homenageado com o lançamento do livro O Equilíbrio das Estrelas, de Renato Pucci Jr, um estudo sobre sua obra.Autor de 27 filmes, Khouri morre em 2003, vítima de um infarto.

publicado por LUCIANO às 14:00
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Walter Kohn


Cientista austríaco (9/3/1923-). Prêmio Nobel de Química de 1998, com o britânico John Pople, é um dos autores da teoria sobre a densidade das moléculas, que inaugurou uma nova forma de estudo de seu funcionamento. Nasce na cidade de Viena, mas muda-se ainda jovem para o Canadá. Em 1945, forma-se em matemática e física pela Universidade de Toronto, onde, no ano seguinte, termina o mestrado em matemática aplicada. Vai para os Estados Unidos e ingressa na Universidade Harvard, obtendo o doutorado em física. Começa a pesquisar nessa época a estrutura da matéria. Seu trabalho é fundamental para o conhecimento dos cientistas em relação à estrutura eletrônica dos átomos, moléculas e materiais sólidos. Com o advento dos supercomputadores, sua teoria da densidade funcional das moléculas permite simular substâncias químicas com a ajuda da informática, como alternativa a trabalhos práticos, mais difíceis e demorados. Entre 1979 e 1984, chefia o Instituto de Física Teórica da Universidade da Califórnia, em Santa Bárbara. É professor do departamento de física da Universidade da Califórnia e autor de mais de 200 artigos científicos.


publicado por LUCIANO às 13:57
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Mullah Mohammed Omar

Mullah Mohammed Omar
Líder do Taliban e sogro de Bin Laden. Cerca de 500 combatentes talibans são mortos em novembro, numa ofensiva da Aliança do Norte apoiada por forças norte-americanas. Em seguida, a aliança toma Mazar-e-Sharif e Cabul. O mulá Omar foge de Qandahar em dezembro e sela a última etapa da era taliban. Os EUA não capturam Bin Laden nem Omar. Os afeganes comemoram o fim do regime. Cinemas e emissoras de TV são reabertos. As mulheres retomam o direito de não usar a burca e de trabalhar e estudar.


publicado por LUCIANO às 06:53
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Ahmad Shah Massud

Lider Político Afegão Ahmad Shah Massud
Em agosto de 1998, o Taliban domina 90% do território ao tomar Mazar-e-Sharif, última grande cidade da oposicionista Aliança do Norte, liderada pelo ex-ministro da Defesa Ahmad Shah Massud, cujas tropas ficam restritas ao extremo norte do território. Em 9 de setembro de 2001, Shah Massud é morto num atentado atribuído a Bin Laden.


publicado por LUCIANO às 06:44
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Burhanuddin Rabbani

Burhanuddin Rabbani
O governo pró-Moscou renuncia em 1992, e facções guerrilheiras rivais iniciam nova fase da guerra. Uma Loya Jirga – tradicional conselho de notáveis formado por líderes tribais, autoridades religiosas e anciãos – instala um governo islâmico moderado, liderado por Burhanuddin Rabbani. Mas o poder de fato fica com chefes militares regionais corruptos e bandos armados.

publicado por LUCIANO às 06:41
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Ahmad shah Durrani

Ahmad shah Durrani Monarca Afegão
Só em 1747 o monarca Ahmad Shah Durrani unifica a região e consolida o Estado, fundando uma dinastia que se mantém no poder até 1973. Em 1880, a monarquia é posta sob tutela inglesa, que dura até a independência, em 1919.

publicado por LUCIANO às 06:34
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Walter Salles Jr


Cineasta fluminense. Diretor de Central do Brasil, a produção brasileira mais premiada no exterior. Walter Salles Junior (12/4/1956-) nasce na cidade do Rio de Janeiro. Filho do banqueiro e ex-embaixador Walther Moreira Salles, é herdeiro de um grupo de empresas lideradas pelo Unibanco. Dos 3 aos 6 anos, mora em Washington, nos Estados Unidos. Depois estuda na França até os 13, volta para o Rio de Janeiro e forma-se em economia na Pontifícia Universidade Católica (PUC), mas não segue a carreira financeira. Em 1979, matricula-se no curso de comunicação visual da Universidade do Sul da Califórnia. Começa a carreira na publicidade, na qual realiza mais de 250 filmes. A partir de 1983, passa a produzir para a televisão. Dirige a série Conexão Internacional, documentários e programas musicais. Em 1991, lança seu primeiro longa-metragem, A Grande Arte, baseado no romance de Rubem Fonseca. Cria um dos curtas de premiado Veja esta Canção (1994). Em 1995, realiza Terra Estrangeira, co-realizado com Daniela Thomas e premiado no Brasil, França, Itália, Bélgica, Macedônia, Estados Unidos e Uruguai. Central do Brasil (1998), exibido em 22 países, conquista o Urso de Ouro de melhor filme e o Urso de Prata de melhor atriz – para Fernanda Montenegro – no Festival de Berlim. Também é indicado ao Oscar na categoria melhor filme estrangeiro e melhor atriz. Em 1999, lança o filme O Primeiro Dia. Em 2001, lança Abril Despedaçado. Em 2002, dirige Castanha e Caju contra o Encouraçado Titanic, e participa do júri do Festival de Cannes. Filma em 2003 Diários de Motocicleta, onde reconstituí as viagens do jovem Ernesto Guevara, antes de se tornar o revolucionário Che.


publicado por LUCIANO às 06:30
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Walter Scott


Romancista e poeta escocês (15/8/1771-21/9/1832). Considerado o criador do romance histórico, cujo enredo se baseia na pesquisa e na reconstrução de dados e fatos reais do passado. Nasce em Edimburgo e forma-se em direito em 1792, mas não exerce a profissão. Interessado no trabalho literário, passa a pesquisar a história e as tradições regionais escocesas. Entre 1802 e 1803 produz o Cancioneiro da Fronteira Escocesa, que reúne canções populares. Em 1805, inspirado em histórias de tradição oral, escreve o poema O Canto do Último Menestrel, de grande sucesso. Em 1808 funda a revista literária Quartely Review e intensifica suas pesquisas. A partir de 1814, dedica-se aos romances. Com obras como A Noiva de Lammermoor e Uma Lenda de Montrose, torna-se responsável pela reabilitação desse gênero em seu país, até então visto como imoral. Inspira-se na história da Inglaterra para escrever romances de enredo medieval, como o clássico Ivanhoe (1819), The Abbot (O Abade, 1820) e Quentin Durward (1823). Obtém sucesso com eles, a ponto de ser o primeiro escritor a fazer fortuna com essa atividade. Entretanto, perde todo o lucro acumulado com a falência da editora Constable, à qual se associara. As dificuldades financeiras enfrentadas nos últimos anos de vida o leva a publicar obras de qualidade inferior. Morre no Castelo de Abbotsford, em Roxburgh.

publicado por LUCIANO às 06:27
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Waltércio Caldas

Escultor e artista gráfico fluminense. Uma das figuras de maior relevo na arte contemporânea brasileira, destaca-se por sua produção minimalista e concretista. Waltércio Caldas Júnior (6/11/1946-) nasce na cidade do Rio de Janeiro. Inicia seus estudos artísticos no começo dos anos 60, com Ivan Serpa, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Expõe pela primeira vez em coletiva em 1967. Torna-se professor de arte e percepção visual no Instituto Villa-Lobos, no Rio, em 1971. Por sua primeira mostra individual no MAM do Rio, em 1973, recebe da Associação Brasileira dos Críticos de Arte o prêmio de melhor exposição do ano. Nessa fase, sua escultura é associada ao minimalismo, apoiada no uso mínimo de materiais em nome de máximas possibilidades de experimentação para cada objeto. Garrafas com Rolha, de 1975, é uma de suas obras mais famosas. Nessa mesma época, é um dos editores da revista Malasartes. Nos anos 80, participa de importantes coletivas no exterior, como Abstract Attitudes (Nova York, 1984), Arte Brasileira no Século 20 (1987) e Modernidade (1988), ambas em Paris. É autor de esculturas públicas como Forma Cega (1982), em Punta del Este, no Uruguai, e O Jardim Instantâneo (1989), no Parque do Carmo, em São Paulo. Participa da Documenta de Kassel, na Alemanha, em 1992, e da Bienal de Veneza, em 1997. Na XVI Feira Internacional de Arte Contemporânea de Madri, lança o livro-objeto Velázquez. Nessa fase de sua carreira, define-se como seguidor do concretismo. "Em meus trabalhos, os materiais não são tratados metaforicamente", diz. Em 1996, faz a exposição individual Anotações 1969/1996, no Paço Imperial, Rio de Janeiro.Em 2000, cria os cenários para a peça Alice, em São Paulo. No ano seguinte, lança com Paulo Sérgio Duarte um livro com novos trabalhos que tem seu nome no título. Entre suas mais significativas participações em mostras coletivas, exposições, estão a realizada na Argentina, Brasil: plurao y singular, no Museo de Arte Moderno de Buenos Aires, e Brasil + 500, da Fundação Bienal de São Paulo, ambas em 2000.

publicado por LUCIANO às 06:22
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Walther moreira Salles


Empresário mineiro. Criador do terceiro maior banco privado do país - o Unibanco -, ministro da Fazenda e duas vezes embaixador do Brasil em Washington. Walther Moreira Salles (28/5/1912-26/2/2001) nasce em Pouso Alegre e, ainda criança, começa a trabalhar no armazém do pai, que viria a ser proprietário da Casa Bancária Moreira Salles em 1924. Antes mesmo de terminar a faculdade de direito, em São Paulo, torna-se sócio do pai no banco. Sob sua administração, a instituição passa a ter agências em diversos estados brasileiros. Em 1952, depois de dirigir a Superintendência da Moeda e do Crédito - uma espécie de Banco Central da época -, assume o posto de embaixador do Brasil em Washington, cargo que ocupa também no governo de Juscelino Kubitschek, em 1959. Conhecido por sua personalidade conciliadora, consegue prorrogar os prazos de pagamento da dívida externa brasileira. A pedido do presidente João Goulart, aceita, em 1961, o comando do Ministério da Fazenda. De volta às atividades empresariais, articula a compra de outros bancos. O grupo que surge passa a se chamar União dos Bancos Brasileiros (1967) e depois Unibanco (1975). O embaixador, como ainda hoje é chamado, desliga-se do comando de suas empresas em 1991. Desde então, as atividades culturais do Instituto Moreira Salles passam a ocupar todo o seu tempo. Em fevereiro de 2000 transfere os direitos de voto que ainda detinha no Unibanco para os filhos Pedro, Fernando, João e Walter Salles Junior. Morre em 2001, em Petrópolis (RJ), de causas não divulgadas.

publicado por LUCIANO às 06:19
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Washington Luís


Político fluminense. O último presidente da República Velha, deposto 21 dias antes do final do mandato. Washington Luís Pereira de Sousa (26/10/1869-4/8/1957) nasce em Macaé, filho de família prestigiada no Império. Estuda no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, e forma-se em direito em São Paulo. Nomeado promotor público do município de Barra Mansa, no Rio de Janeiro, renuncia ao cargo para dedicar-se à advocacia em Batatais, no interior de São Paulo. É eleito vereador em 1897 e prefeito da cidade em 1898. Em 1900 casa-se com Sofia de Oliveira Barros, filha de um cafeicultor de Piracicaba, união que reforça sua ligação com a oligarquia paulista. Com o apoio dela, elege-se prefeito da capital em 1914 e governador do estado em 1920, quando profere sua famosa frase "Governar é abrir estradas". Investe realmente na modernização da infra-estrutura de transportes, construindo 1.326 quilômetros de novas estradas. Assume a Presidência da República em 15 de novembro de 1926. Encontra a economia em crise de endividamento interno e externo e de retração das exportações, em parte provocada pela crise econômica mundial. É deposto pela Revolução de 1930, em outubro daquele ano. Vive os 17 anos seguintes exilado na Europa e nos Estados Unidos. Volta ao Brasil em 1947. Historiador e membro da Academia Paulista de Letras, escreve livros e ensaios sobre a história brasileira até morrer, em São Paulo.

publicado por LUCIANO às 06:16
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Werner Herzog


Cineasta alemão (5/9/1942-). Um dos grandes nomes do moderno cinema alemão, com Rainer Fassbinder e Wim Wenders. Nasce em Munique, de família pobre, e estuda história e literatura em sua cidade natal. Em 1957, aos 15 anos, escreve o primeiro roteiro. Em 1969, chama a atenção da crítica européia com o filme Sinais de Vida, que relata o drama de três soldados alemães perdidos na Grécia. Mais tarde, recebe uma bolsa para estudar nos Estados Unidos (EUA). Filma em diversos países: Peru, onde roda Aguirre, a Cólera dos Deuses (1972); Brasil, Fitzcarraldo (1981); Irlanda, Coração de Cristal (1976); e Holanda e Tchecoslováquia, de onde vêm, respectivamente, Nosferatu e Woyzeck (1978). Em 1974, escolhe para título original de seu filme O Enigma de Kaspar Hauser a frase "cada um por si e Deus contra todos", do livro Macunaíma, de Mário de Andrade. Em 1983, filma Onde Sonham as Formigas Verdes, em que toma a defesa dos aborígines da Austrália contra as companhias de mineração. Outro filme de destaque é Cobra Verde, de 1987. No início dos anos 90, publica o roteiro de seus filmes. Em 1999 lança Meu Inimigo Particular, dedicado ao falecido ator Klaus Kinski, estrela de muitas de suas produções. Criador prolífico, dirige em média um filme por ano, tanto de ficção como também documentários.

publicado por LUCIANO às 06:12
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Wernher von Braun


Engenheiro alemão naturalizado norte-americano (23/3/1912-16/6/1977). Um dos responsáveis pelo progresso da engenharia de foguetes para a exploração espacial. Constrói, entre outros, o primeiro satélite artificial norte-americano, o Explorer 1, e o foguete Saturno 5, que lança a nave Apollo 11 na rota da Lua. Nasce em Wirsitz, filho de uma família aristocrática. Um telescópio que ganha de presente da mãe ainda criança desperta sua curiosidade pela investigação do espaço. Muda-se com a família para Berlim em 1920 e estuda engenharia mecânica no Instituto de Tecnologia e na Universidade de Berlim. Projeta os primeiros foguetes experimentais em 1930, como pesquisa de laboratório. O projeto é encampado por Adolf Hitler quando ele assume o poder, em 1932. Chega a diretor do Centro de Pesquisas de Foguetes da base alemã Peenemünde, no Báltico, em 1937. Desenvolve nele as primeiras bombas V-1 e V-2 (V de Vergeltung, ou vingança, em alemão). Ambas são precursoras dos mísseis balísticos. Durante a II Guerra Mundial, a Alemanha lança 4,3 mil dessas bombas, 1.230 delas sobre Londres, causando a morte de mais de 2,5 mil pessoas e ferindo gravemente cerca de 5,8 mil. Entrega-se às tropas norte-americanas no final do conflito mundial e torna-se cidadão dos Estados Unidos. Faz o projeto do Explorer 1 e do Saturno 5 enquanto trabalha na Nasa (Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço). Deixa a agência em 1972 para dirigir uma empresa de produtos espaciais.

publicado por LUCIANO às 06:08
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Wilbur e Orville Wright


Inventores e aviadores norte-americanos, considerados pelos compatriotas os pioneiros da aviação. Wilbur Wright (16/4/1867-30/5/1912) nasce em Milville, estado de Indiana. O irmão Orville (19/8/1871-30/1/1948) é de Dayton, Ohio. O interesse de ambos pelo assunto surge em 1896, quando Wilbur lê sobre a invenção do alemão Otto Lilienthal, uma máquina que se levantava do chão – na qual seu criador morre. No início de 1899, Wilbur teoriza sobre como controlar um avião ao observar o vôo dos abutres. Nesse mesmo ano, os irmãos criam o primeiro planador. A experiência com planadores permite-lhes construir a série de máquinas com motor Flyer a partir de 1903. Conseguem voar por mais de meia hora em 1905, com a Flyer III, capaz de realizar várias manobras no ar. Fazem vôos demonstrativos com ela pela Europa, em 1907, e ganham popularidade. Dois anos mais tarde, são reconhecidos pelo governo dos Estados Unidos como os inventores do avião. Para brasileiros e franceses, no entanto, a primazia do invento cabe ao brasileiro Alberto Santos Dumont.


publicado por LUCIANO às 06:04
Quarta-feira, 06 DE Fevereiro DE 2008

Wilheim Konrad von Röntgen

Físico alemão (27/3/1845-10/2/1923). Prêmio Nobel de Física de 1901 pela descoberta dos raios X. Nasce em Lennep e estuda física na Holanda e na Suíça. De 1876 a 1900, dá aulas de física nas universidades de Giessen e de Würzburg, no país. Realiza nesse período, entre outros estudos, a pesquisa da condução de calor em cristais e de absorção do calor por diferentes gases. Em 1895 observa em suas experiências que os cristais de bário ficam fosforescentes quando ligados a um tubo de emissão de raios catódicos, ou seja, de elétrons, mesmo se o tubo estiver protegido por escudo de papel-cartão preto ou por folha de metal. Desvenda, assim, a existência de uma forma de radiação até então ignorada, de onda muito curta, responsável por fazer brilhar os cristais, a qual nomeia ondas de raios X. Pela descoberta, torna-se o primeiro cientista a ganhar o Prêmio Nobel de Física, em 1901 – ano em que o prêmio é estabelecido. Posteriormente, ele próprio demonstra a utilidade dos raios X na medicina e na metalurgia. Morre em Munique.

publicado por LUCIANO às 06:00

pesquisar

 

Fevereiro 2008

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9

comentários recentes

  • quando cipriano sai da cadeia pq ele decide ir par...
  • Acabei de ler "As Regras do Tagame":http://numadel...
  • Boa iniciativa, a de publicar biografias relevante...
  • O Barão de Cotegipe é um grande pers...
  • este é o escultor victor brecheret, não é aldo bon...
  • Para saberem mais sobre Ledoux sigam este link:htt...
  • Caro amigo, esta "biografia" do sr.Amador Aguiar e...
  • CIRO, O GRANDE!!!!!!!!!!!!WHITE PRIDE!!!!!!!!!!!!w...
  • Muito interessante!Tenho um texto muito parecido n...
  • your blog is really good! http://sot77.blogspot.co...

Posts mais comentados

arquivos

Feedjit

Visitantes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro