mais sobre mim

subscrever feeds

tags

todas as tags

Visitas Hoje

Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Torben Grael


Iatista paulista. Principal nome do iatismo no Brasil. Torben Schmidt Grael (22/7/1960-) nasce em São Paulo. Filho de um pára-quedista do Exército, antes de completar 2 anos transfere-se com a família para Belém, no Pará. Em 1963, os Grael vão para o Rio de Janeiro, onde Torben começa a velejar, aos 4 anos, na Baía da Guanabara. Aos 9, muda-se para Uruguaiana, no Rio Grande do Sul. Passa a competir em 1973, ano em que sua família se muda para Brasília. Em 1976, consegue seu primeiro título, o de campeão estadual na classe lightning, e o vice-campeonato brasileiro juvenil de snipe. Em 1977, vence o primeiro dos 29 campeonatos brasileiros que conquista em diferentes classes do esporte até 2002. Aos 17 anos, começa a estudar engenharia mecânica na Universidade Federal Fluminense (UFF), no Rio de Janeiro. Desiste do curso dois anos depois e forma-se em administração de empresas na mesma universidade. Conquista a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Atlanta (1996) na classe Star, prata nas Olimpíadas de Los Angeles (1984) na categoria Soling e bronze olímpico de Star em Seul (1988) e Sydney (2000). Junto com Marcelo Ferreira, seu companheiro de embarcação desde 1989, conquista a medalha de ouro nas Olimpíadas de Atenas (2004), tornando-se o velejador e o brasileiro mais premiado nas Olimpíadas. Ganha ouro também nos Jogos Pan-Americanos de Caracas (Venezuela, 1983) e bronze no Pan de Indianápolis (EUA, 1987), na classe Soling. Em 2000, como tático da equipe italiana Prada Challenge, torna-se o primeiro brasileiro a competir na America’s Cup, na Nova Zelândia, uma das mais tradicionais regatas do mundo, perdendo para a equipe neozelandeza. Em 1998 seu irmão Lars Grael sofre um acidente durante uma regata em Vitória (ES) e tem uma das pernas amputada. A família dirige o Projeto Grael, escola de iatismo que forma novos esportistas. Em 2003, vence o pré-olímpico de Atenas e o campeonato europeu da classe Star, além da Millenium Cup, na Nova Zelândia, liderando uma equipe brasileira a bordo de um veleiro de grandes dimensões.


publicado por LUCIANO às 18:07
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Tostão


Jogador de futebol mineiro (25/1/1947-). Tricampeão mundial em 1970. Filho de bancário, Eduardo Gonçalves Andrade nasce em Belo Horizonte e começa a jogar ainda na infância no time do bairro onde morava, São Cristóvão. Aos 14 anos, passa para o juvenil do América, no qual permanece por dois anos, até ser contratado pelo Cruzeiro, já como profissional. Joga durante nove anos no time mineiro, conquistando o campeonato estadual por cinco vezes seguidas, de 1965 a 1969. O principal título pelo clube, o campeonato brasileiro, vem em 1966, ano de sua primeira convocação para a seleção brasileira. Com apenas 19 anos, diputa a Copa de 1966 e sobrevive ao fiasco do time, marcando um gol contra a Hungria. Em 1966, jogando em um time com parceiros como Dirceu Lopes, Piazza, Natal e Procópio, derrota o Santos de Pelé por 6 x 2 e fica com a Taça Brasil. Em 1969, num jogo noturno no Pacaembu, o zagueiro Ditão, do Corinthians, chuta uma bola e atinge o olho esquerdo de Tostão. Com descolamento na retina, teve de ser operado e recupera-se para a Copa do México. Em 1970 ganha o tricampeonato na Copa do Mundo do México. Porém, o descolamento da retina iria a determinar o fim de sua carreira. Submete-se a cirurgia nos Estados Unidos e volta a jogar seis meses depois. Em 1972 transfere-se para o Vasco da Gama, no Rio de Janeiro, onde atua por um ano, antes de encerrar a carreira, com apenas 27 anos, por complicações decorrentes do problema na visão. Dois anos mais tarde volta a estudar, formando-se em medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em 1981. Leciona na UFMG de 1981 a 1997 e deixa a medicina. No mesmo ano publica o livro Lembranças, Opiniões, Reflexões sobre Futebol. É comentarista esportivo e escreve duas colunas semanais, publicadas em diversos jornais brasileiros.




tags:
publicado por LUCIANO às 18:03
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Tristan Tzara


Escritor francês de origem romena (4/4/1896-25/12/1963). É considerado o principal articulador do movimento estético-revolucionário dadá, que tem por objetivo detonar os valores artísticos da cultura ocidental da época. Nasce em Moinesti, na Romênia, mas é educado na França, onde começa a teorizar sobre o dadaísmo ainda durante a I Guerra Mundial. Escreve em 1916 A Primeira Aventura Celeste do Sr.Antipyrine e termina em 1918 os Vinte e Cinco Poemas. Com a divulgação do manifesto do movimento, Sete Manifestos Dada, de 1924, envolve-se em inúmeras atividades com os artistas André Breton, Philippe Soupault e Louis Aragon. O intuito do grupo é desintegrar as estruturas da linguagem artística da época e, com isso, chocar o público. O movimento não sobrevive à década de 30. Em virtude do clima político de intolerância na Alemanha, que prenuncia a II Guerra Mundial, seu fundador se une ao Partido Comunista em 1936 e luta na Resistência Francesa, depois da ocupação da França pelos nazistas. Produz uma poesia lírica, após essa fase, que revela preocupação com a angústia e a tragédia da condição humana.


publicado por LUCIANO às 18:01
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Ulysses Guimarães


Político paulista. Um dos mais importantes líderes da oposição durante a ditatura militar, destacou-se na campanha das Diretas Já e presidiu o Congresso Constituinte.Ulysses Silveira Guimarães (6/10/1916-12/10/1992) nasce em Rio Claro. Preside a União Nacional dos Estudantes (UNE) em 1940, quando se forma em direito. Deputado estadual pelo Partido Social Demorático (PSD) em 1947, ajuda a elaborar a Constituição paulista. Cumpre 11 mandatos como deputado federal eleito, sendo quatro pelo PSD (de 1950 a 1962), cinco pelo MDB (1966 a 1982) e dois pelo PMDB (1986 a 1990). Em 1961 ocupa o Ministério da Indústria e do Comércio no governo parlamentarista de João Goulart. Apóia o regime militar de 1964, mas logo entra para a oposição, filiando-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Tem papel de destaque na oposição ao regime militar, presidindo o MDB, a partir de 1971, e a seguir o PMDB, até morrer. Em 1974 apresenta-se como "anticandidato" do Congresso à Presidência, mas perde para o general Ernesto Geisel por 400 votos a 76. É um dos principais líderes da campanha das Diretas Já, em 1984, e, a seguir, no colégio eleitoral, da candidatura de Tancredo Neves à Presidência da República. Em fevereiro de 1987 é eleito presidente do Congresso Constituinte. Em 1989 é candidato derrotado à Presidência da República pelo PMDB. Participa, em 1992, das articulações do impeachment do presidente Fernando Collor e da campanha pela adoção do parlamentarismo. Exerceu interinamente a Presidência da República por 19 vezes. Morre em desastre de helicóptero na região de Parati, litoral sul do Rio de Janeiro. Seu corpo nunca foi localizado.


publicado por LUCIANO às 17:58
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Umberto Boccioni


Escritor, crítico e professor de semiótica italiano (5/1/1932-). Exerce grande influência sobre os meios intelectuais internacionais ao estudar os fenômenos de comunicação ligados à cultura de massa, como a linguagem da televisão, da propaganda e das histórias em quadrinhos. Nasce em Alessandria, Piemonte, e estuda filosofia na Universidade de Turim, onde se doutora em 1961 com estudos sobre estética medieval. Passa a conciliar a pesquisa com a atividade docente em várias cidades italianas, além de ministrar cursos em outros países europeus e nos Estados Unidos. Leciona na Universidade de Turim de 1956 a 1964 e, em 1971, torna-se professor da Universidade de Bolonha. Destaca-se como teórico após a publicação de Obra Aberta (1962), na qual sugere que grande parte da música moderna, da poesia e da literatura incita os ouvintes ou leitores a uma participação mais ativa no processo de criação e interpretação. Em Apocalípticos e Integrados (1964) analisa o significado estético do mau gosto (o kitsch), as histórias em quadrinhos de Steve Canyon (personagem) e o mito do Superman, entre outros. O Nome da Rosa (1980) é seu primeiro romance. Ambientado em um mosteiro na Idade Média, pleno de erudição e intrigas, faz grande sucesso e é adaptado para o cinema em 1986. Tem mais de uma dezena de livros publicados. Os mais recentes são A Ilha do Dia Anterior, Seis Passeios pelo Bosque da Ficção, Baudolino e La Misteriosa Fiamma della Regina Loana, lançado em 2004.

publicado por LUCIANO às 17:54
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Umberto Eco


Escritor, crítico e professor de semiótica italiano (5/1/1932-). Exerce grande influência sobre os meios intelectuais internacionais ao estudar os fenômenos de comunicação ligados à cultura de massa, como a linguagem da televisão, da propaganda e das histórias em quadrinhos. Nasce em Alessandria, Piemonte, e estuda filosofia na Universidade de Turim, onde se doutora em 1961 com estudos sobre estética medieval. Passa a conciliar a pesquisa com a atividade docente em várias cidades italianas, além de ministrar cursos em outros países europeus e nos Estados Unidos. Leciona na Universidade de Turim de 1956 a 1964 e, em 1971, torna-se professor da Universidade de Bolonha. Destaca-se como teórico após a publicação de Obra Aberta (1962), na qual sugere que grande parte da música moderna, da poesia e da literatura incita os ouvintes ou leitores a uma participação mais ativa no processo de criação e interpretação. Em Apocalípticos e Integrados (1964) analisa o significado estético do mau gosto (o kitsch), as histórias em quadrinhos de Steve Canyon (personagem) e o mito do Superman, entre outros. O Nome da Rosa (1980) é seu primeiro romance. Ambientado em um mosteiro na Idade Média, pleno de erudição e intrigas, faz grande sucesso e é adaptado para o cinema em 1986. Tem mais de uma dezena de livros publicados. Os mais recentes são A Ilha do Dia Anterior e Seis Passeios pelo Bosque da Ficção. Em novembro de 2000, Baudolino, sua nova novela, começa a ser vendida na Itália, com uma tiragem inicial de 300 mil exemplares. A obra, de mais de 500 páginas, contém diversos elementos autobiográficos.


publicado por LUCIANO às 13:15
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Václav Havel


Dramaturgo e político tcheco (5/10/1936-). Nasce em Praga. Estuda teatro na cidade na década de 60, quando começa a liderar a oposição ao governo comunista da então Tchecoslováquia, papel que mantém até a década de 90. Em 1977, funda, com outros intelectuais do país, o movimento Carta 77, que reivindica respeito aos direitos humanos. Por isso é condenado a dois anos de prisão domiciliar. Logo depois, em 1979, por ter liderado o Comitê de Defesa dos Perseguidos pelo Governo, é condenado a mais quatro anos. Em 1989, a abertura político-econômica promovida na União Soviética (URSS) pelo líder Mikhail Gorbatchov desencadeia na Tchecoslováquia a Revolução de Veludo – assim chamada pela maneira não violenta com que se efetua a derrubada do comunismo. A pressão popular pela libertação de Havel, preso novamente nesse ano, leva à queda do ministério e à renúncia do presidente Husák – em seu lugar assume Havel. Contudo, o crescimento da campanha pela separação da Tchecoslováquia em dois países gera, em 1992, a renúncia de Havel, contrário à secessão. No mesmo ano o país se divide e, em 1993, Havel elege-se chefe de Estado da República Tcheca. Suas peças A Festa (1963) e O Memorando (1965), que se incluem no gênero do teatro do absurdo, são encenadas no mundo todo. Em 1990, a peça Audiência, proibida por 20 anos na Tchecoslováquia, é montada em Praga. Apesar de ter a saúde debilitada por um câncer, é reeleito em 1998. Em julho de 2001, encontra-se em Praga com o presidente de Portugal, Jorge Sampaio, para conversar sobre a União Européia. Doutor honoris causa em várias universidades das Américas e da Europa, é também condecorado por honra ao mérito em diversos países (inclusive o Brasil, em 1990). Em 2003, com a saúde debilitada, deixa o governo após 13 anos, anunciando sua aposentadoria da política.

publicado por LUCIANO às 13:11
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Vasco da Gama


Navegador português (1469-24/12/1524). Nasce em Sines, no Alentejo, em uma família da corte. No início da década de 1490, destaca-se na defesa das colônias portuguesas na costa da Guiné, na África, contra os franceses que invadiram a região. O rei dom João II o chama para comandar a expedição sucessora do trabalho do navegador Bartolomeu Dias,ue já ultrapassara o cabo da Boa Esperança, no extremo sul da África. Vasco da Gama parte de Lisboa em julho de 1497. Passa pelas ilhas Canárias, dobra o cabo da Boa Esperança e estabelece o domínio português na África oriental. Em abril do ano seguinte chega a Calicute, na Índia. Por causa da rivalidade dos mercadores mouros, encontra dificuldades em negociar com o samorim, o soberano local, que manda oito naus para atacá-lo. Durante a viagem de volta, 30 de seus homens morrem de escorbuto e as tripulações se amotinam. Em setembro de 1499, chega a Portugal, onde é acolhido triunfalmente. Recebe do rei o título de dom, uma pensão anual e várias propriedades. Sua viagem imortaliza-se no épico Os Lusíadas, de Luís de Camões. Cerca de 20 anos depois da primeira expedição, retorna a Calicute para conter atos de rebeldia contra exploradores portugueses. Em 1524 torna-se vice-rei da Índia, mas logo adoece e morre em Cochin. Em 1539, seus restos mortais são transladados para Portugal e, mais tarde, sepultados no mosteiro dos Jerónimos, perto da ossada de Camões.



publicado por LUCIANO às 13:08
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Vassíli Kandinski


Pintor russo (16/12/1866-13/12/1944). É um dos pioneiros da arte abstrata na pintura moderna. Nascido em Moscou, Vassíli Vasilievitch Kandínski abandona uma promissora carreira universitária como professor de direito e, em 1896, vai estudar pintura em Munique, na Alemanha. Entre 1903 e 1908 viaja por Europa e Ásia. Suas pinturas, na virada do século, têm as características da art nouveau e mostram reminiscências da arte popular russa. Quando volta a Munique, em 1908, o artista abandona o elemento figurativo e produz uma série de Composições, Improvisações e Impressões (1910-1913), com pura abstração. Como afirma o próprio Kandinsky, sua fase abstrata surge quando ele vê uma de suas peças de cabeça para baixo e a considera mais bela que na posição normal. Naturaliza-se alemão em 1927 e leciona na Bauhaus até 1933. Nesse ano se muda para a França e, em 1939, torna-se cidadão francês. Suas principais obras escritas, que apresentam sua teoria sobre o asbstracionismo, são Über das Geistige in der Kunst (Do Espiritual na Arte, 1912), Rückblick (Reminiscências, 1913) e Punkt und Linie zu Fläche (Ponto e Linha sobre o Plano, 1926). Morre em Paris.


publicado por LUCIANO às 13:06
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Venceslau Brás


Político mineiro. Presidente da República de 1914 a 1918, responsável pela participação do Brasil na I Guerra Mundial. Venceslau Brás Pereira Gomes (26/2/1868 - 15/5/1966) nasce em Brasópolis, filho do coronel Francisco Pereira Gomes, deputado provincial de Minas Gerais. Completa os estudos secundários em São Paulo, onde se forma em direito em 1890. De volta a seu estado, trabalha como promotor público em Jacuí e em Monte Santo antes de entrar para a política. Inicia a carreira como vereador e presidente da Câmara Municipal de Monte Santo. Em 1892 é eleito deputado estadual. Ocupa a Secretaria do Interior de Minas Gerais de 1898 a 1902 e, no ano seguinte, elege-se deputado federal. No Congresso Nacional, é líder da bancada mineira e da maioria. Volta a Minas como vice-presidente do estado e, em razão da morte do titular, João Pinheiro, assume o governo mineiro de 1909 a 1910. Chega à Presidência da República depois de ter sido vice do presidente Hermes da Fonseca (1910-1914). É indicado para a sucessão presidencial na política do café-com-leite, pela qual paulistas e mineiros se revezavam no comando do país. Candidato único, governa de 1914 a 1918 e é responsável pela participação do Brasil na I Guerra Mundial. No fim de seu mandato, deixa a vida pública para dedicar-se exclusivamente à Companhia Industrial Sul-Mineira, empresa fundada por ele em 1912 na cidade de Itajubá, onde morre.



publicado por LUCIANO às 13:03
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Vicente do Rego Monteiro


Pintor e poeta pernambucano. Artista atuante na primeira metade do século, mistura influências pré-colombianas com modernas.Vicente do Rego Monteiro (19/12/1899-5/6/1970) nasce no Recife e estuda desenho, pintura e escultura em Paris, de 1911 a 1914. Faz sua primeira exposição no Salão dos Independentes, francês, em 1913. Em 1917 volta ao Brasil e participa do concurso para o Monumento aos Heróis de 1817, no Recife, e expõe suas pinturas. Entre 1920 e 1921 realiza mostras em São Paulo e no Rio de Janeiro. Durante a Semana de Arte Moderna de 1922 apresenta oito telas de inspiração futurista e cubista, nas quais mescla a cultura primitiva com a tradição pernambucana, o barroco, arte marajoara e arte da Escola de Paris. É o organizador da exposição Escola de Paris, que percorre o Brasil em 1930. Na mesma década funda a editora La Presse à Bras, em Paris, e a revista Renovação, no Recife, que circula até 1946. Recebe o primeiro prêmio do Salão de Pintura do estado de Pernambuco, em 1943. Entre 1948 e 1952 participa do 1º Congresso Internacional de Poesia, em Paris. De 1957 a 1966 leciona pintura na Escola de Belas-Artes da Universidade Federal de Pernambuco. Por seu livro de poemas Broussais - Le Charité recebe, em 1960, o Prêmio Guilhaume Apollinaire, em Paris. Morre no Recife.


publicado por LUCIANO às 13:00
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Vicentinho

Sindicalista potiguar. Líder sindical com papel destacado em São Paulo, na organização da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Vicente Paulo da Silva (8/4/1956-) nasce em Santa Cruz, caçula de quatro filhos de um casal de lavradores. Cresce em Acari, para onde vai com poucos meses de vida. Interrompe os estudos na 5a série, em 1970, para trabalhar nas frentes de construção de açudes e estradas, por causa da seca. Sobrevive como vendedor, operário de construção e lavrador. Consegue seu primeiro registro em carteira em 1974, como funcionário da Mineração Maracajá. Em 1976, migra para a cidade de Diadema, na Grande São Paulo, e faz carreira como metalúrgico na fábrica da Mercedes-Benz. Torna-se líder sindical em 1981, quando é eleito vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Diadema, na chapa de Jair Meneghelli. Chega à presidência do órgão em 1987 e é reeleito em 1990. Em 1992, é o principal representante dos trabalhadores nas negociações da câmara setorial do ramo automotivo, que se encerram com o acordo para o aumento da produção de carros e a redução de impostos, visando à manutenção dos empregos no setor. Em 1994, é eleito presidente da CUT nacional pela primeira vez. Reeleito em 1997, termina o mandato em agosto de 2000. No ano seguinte, começa a estudar direito na Universidade Bandeirantes (Uniban), em São Bernardo do Campo. Em 2002, é eleito deputado federal pelo PT.

publicado por LUCIANO às 03:35
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Victor Civita

Editor e empresário naturalizado brasileiro. Fundador do Grupo Abril, um dos maiores conglomerados de empresas de comunicação da América Latina. Victor Civita (9/2/1907-24/8/1990) nasce em Nova York, filho de italianos. Em 1909 muda-se para Milão, na Itália. Lá conclui os estudos secundários e, com o irmão, publica uma revista de automobilismo. Em 1939 retorna a Nova York, onde se transforma em sócio minoritário e vice-presidente de uma empresa gráfica. Depois de uma viagem a Buenos Aires para conhecer a operação editorial do irmão, visita o Brasil em 1949 e decide estabelecer-se em São Paulo com sua família, a esposa Silvana e os filhos Roberto e Richard. Funda a Editora Abril, que começa a funcionar em uma pequena sala no centro da cidade. Sete meses depois lança a primeira revista, O Pato Donald. No ano seguinte monta uma gráfica e, em 1952, publica a revista Capricho. Seguem-se Manequim, Quatro Rodas, Claudia, Realidade, revistas infantis e uma série de fascículos. Em 1968 publica Veja, a revista de maior circulação do país. Em 1985 inaugura a Fundação Victor Civita, com o objetivo de estimular e modernizar a educação no Brasil. Na década de 80, passa a direção dos negócios ao filho Roberto - que transforma a Abril em um dos maiores complexos de comunicação da América Latina. Permanece na presidência do grupo até a sua morte.

publicado por LUCIANO às 03:32
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Victor Hugo


Poeta e escritor francês (26/2/1802-22/5/1885). Principal prosador do romantismo em seu país. Victor Marie Hugo nasce em Besançon, filho de Joseph-Léopold-Sigisbert Hugo, general de Napoleão. Estuda direito em Paris e passa temporadas na Itália e na Espanha. Começa a escrever poesia com 20 anos. Seu primeiro trabalho, Odes e Poesias Diversas, publicado em 1822, é premiado com uma pensão de Luís XVIII. Dedica-se ao mesmo tempo ao teatro: sua peça Amy Robsart (1828) é vaiada, mas com Hernani, em 1830, é reconhecido como um dos teóricos do teatro romântico na França. Paralelamente desenvolve intensa atividade política. Apóia a revolução de julho de 1830 e a ascensão da monarquia constitucional de Luís Felipe. Após a revolução de 1841, torna-se favorável à República, combatendo, mais tarde, o imperador Napoleão III. O golpe de 1851 obriga-o a deixar o país. Passa 20 anos no exílio, que descreve como "uma espécie de longa insônia". Escreve nesse período seus melhores livros, entre eles Os Miseráveis (1862), sua obra-prima. e O Homem Que Ri (1867). Volta à França após a instalação da III República, em 1870, mas não adere à Comuna de Paris. Eleito senador em 1876, porém, defende a anistia a todos os participantes do movimento. Morre em Paris.



publicado por LUCIANO às 03:29
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Victor Nunes Leal

Jurista e escritor mineiro. Autor de Coronelismo, Enxada e Voto, considerado um dos clássicos da literatura política brasileira.Victor Nunes Leal (11/11/1914-17/5/1985) nasce em Carangola. Forma-se em direito, em 1936, pela Universidade do Brasil, atual Federal do Rio de Janeiro. Entre 1933 e 1938 atua na imprensa e na década seguinte é nomeado primeiro diretor do serviço de documentação do Ministério da Educação e Cultura (MEC). Pouco depois dirige interinamente a cadeira de política da Faculdade Nacional de Filosofia. Para obter a cátedra da disciplina, escreve em 1948 a tese O Município e o Regime Representativo no Brasil - Contribuição ao Estudo do Coronelismo, que origina o livro Coronelismo, Enxada e Voto, publicado em 1949. Este se torna um clássico por sua análise do coronelismo como estrutura de poder no interior do país e suas relações com o governo federal. Professor da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército em 1955, ministra conferências na Escola Superior de Guerra. Exerce a função de procurador-geral de Justiça do Distrito Federal e de chefe da Casa Civil de Juscelino Kubitschek de 1956 a 1959. Pouco antes da transferência da capital do país, deixa a Casa Civil, é eleito procurador do Tribunal de Contas do Distrito Federal e, depois, consultor-geral da República. É nomeado ministro do Supremo Tribunal Federal (1960) e do Tribunal Superior Eleitoral (1966). Em 1968 é aposentado compulsoriamente pelo AI-5. Também é autor de Três Ensaios da Administração (1958), Problemas de Direito Público (1960), Pareceres do Consultor Geral da República (1966). Traduz Poder Político, de Hermann Heller (1946), entre outras obras. Morre no Rio de Janeiro.


publicado por LUCIANO às 03:26
Quinta-feira, 07 DE Fevereiro DE 2008

Vincent van Gogh


Pintor holandês. É reconhecido como precursor do expressionismo. Vincent Willem van Gogh (30/3/1853-29/7/1890) nasce em Groot Zundert, o primeiro dos seis filhos de um pastor protestante. Passa a infância na sua cidade natal, no sudeste da Holanda (Países Baixos). Na juventude, trabalha em Londres como ajudante na empresa especializada em arte Goupil and Co., da qual o tio é um dos sócios. Dedica-se ao aprendizado da doutrina evangélica na Inglaterra e, depois, em Bruxelas, na Bélgica, chegando a atuar como missionário no sudeste desse país antes de começar a desenhar, em 1880. Freqüenta a Academia de Belas-Artes de Antuérpia de 1885 a 1886, quando decide ir viver com o irmão Théo em Paris. Em contato com pintores como Cézanne, Gauguin, Pisarro e Seraut, entre outros, começa a consolidar um estilo próprio de pintar, marcado pelas largas pinceladas e pela combinação de tons vivos de amarelo, verde e azul. Em 1888 mora em Arles, no sul da França, com Paul Gauguin. Apresenta distúrbios mentais que o levam a ter crises e alucinações freqüentes, e seu estado se agrava no decorrer desse ano. No Natal, chega a cortar um pedaço da própria orelha e é internado em um hospício em Rémy-de-Provence. Vende uma única tela em vida, La Vigne Rouge, por 400 francos. Suicida-se com um tiro no peito em Auvers-sur-Oise, dois dias depois de terminar a tela Campo de Trigo com Corvos.


publicado por LUCIANO às 03:24

pesquisar

 

Fevereiro 2008

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9

comentários recentes

  • quando cipriano sai da cadeia pq ele decide ir par...
  • Acabei de ler "As Regras do Tagame":http://numadel...
  • Boa iniciativa, a de publicar biografias relevante...
  • O Barão de Cotegipe é um grande pers...
  • este é o escultor victor brecheret, não é aldo bon...
  • Para saberem mais sobre Ledoux sigam este link:htt...
  • Caro amigo, esta "biografia" do sr.Amador Aguiar e...
  • CIRO, O GRANDE!!!!!!!!!!!!WHITE PRIDE!!!!!!!!!!!!w...
  • Muito interessante!Tenho um texto muito parecido n...
  • your blog is really good! http://sot77.blogspot.co...

Posts mais comentados

arquivos

Feedjit

Visitantes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro