mais sobre mim

subscrever feeds

tags

todas as tags

Visitas Hoje

Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Sebastião Salgado


Fotógrafo mineiro. Um dos principais nomes da fotografia e o profissional brasileiro de maior projeção internacional. Sebastião Ribeiro Salgado Júnior (8/2/1944-) nasce em Aimorés e, aos 16 anos, vai para Vitória, no Espírito Santo. Forma-se em economia pela Universidade do Espírito Santo em 1967, torna-se mestre pela Universidade de São Paulo (1968) e doutor pela Universidade de Paris (1971). Muda-se para Londres, onde vive até 1973. Nesse período, viaja para a África a serviço diversas vezes e aproveita para fotografar. Volta a Paris e começa a atuar como repórter fotográfico free lance. Trabalha para a agência Gamma a partir de 1975 e, em 1979, ingressa na Magnum, onde permanece até 1994, quando funda, com sua mulher, Lélia Wanick Salgado, a agência Amazonas Images. Em 1981, em reportagem para o jornal The New York Times, é o único profissional a registrar o atentado ao presidente norte-americano, Ronald Reagan, fato que lhe dá grande destaque internacional. Seus principais livros são Other Americas (Outras Américas, 1986), que trata das condições de vida dos camponeses latino-americanos; Sahel: L'Homme en Detresse (Sahel: o Homem em Agonia, 1986), que mostra a seca na região africana do Sahel; Trabalhadores (1993), sobre a mudança nas relações de produção do trabalho manual e Terra (1997), que mostra a pobreza e a questão agrária no Brasil. Em abril de 2000, deflagra o projeto Êxodos, com exposições em São Paulo e em diversas partes do mundo de 350 fotos sobre a migração das populações do campo para as cidades feitas em 47 países. Um ano depois, o lança seu novo site com uma seção que reproduz esses registros subdividindo-os em quatro temas: Refugiados e Imigrantes, África à Deriva, A Luta Pela Terra e Megalópolis. Entre as dezenas de prêmios que recebeu estão o Eugene Smith para Fotografia Humanitária (EUA, 1982), Fotógrafo do Ano do Centro Internacional de Fotografia (EUA, 1986 e 1988) e o Unesco para Iniciativas Bem-Sucedidas (1999). Em 2002, conclui a documentação fotográfica da campanha de erradicação da poliomielite em países do terceiro mundo, projeto desenvolvido em parceria com o Unicef (organismo das Nações Unidas para a infância), a OMS (Organização Mundial da Saúde) e outros organismos internacionais.

publicado por LUCIANO às 12:38
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Senador Vergueiro


Advogado e político português. Partidário dos movimentos de independência do Brasil e da abolição da escravatura, é pioneiro no emprego de imigrantes europeus na lavoura.Nicolau Pereira de Campos Vergueiro (20/12/1778-17/9/1859) nasce na região de Bragança e estuda direito na Universidade de Coimbra, em Lisboa, de 1796 a 1801. Muda-se para o Brasil em 1803 e fixa residência em São Paulo, onde se dedica à advocacia. Em 1807 recebe uma sesmaria em Piracicaba e se estabelece na cidade. Ocupa o cargo de juiz e elege-se vereador. Abandona a advocacia alguns anos mais tarde para dedicar-se à lavoura do café. Eleito em 1822 deputado às Cortes de Lisboa, recusa-se a assinar a Constituição portuguesa com outros constituintes brasileiros. Volta ao Brasil depois da proclamação da independência e elege-se deputado à Constituinte em 1823. Dissolvida a Assembléia, por ato de dom Pedro I, é preso com os irmãos Andrada e demais deputados. Depois de libertado, aceita a Carta outorgada. Elege-se em seguida para a Câmara dos Deputados e, em 1828, é nomeado senador por Minas Gerais. É um dos membros da Regência Trina Provisória, instituída em 1831, e manda libertar os escravos do serviço público. Emprega trabalhadores livres em suas fazendas e torna-se responsável pela entrada no país de cerca de 3 mil colonos europeus no decorrer da década de 40 para trabalhar nas grandes propriedades de café. Participa do movimento pela Maioridade em 1840 e, dois anos depois, destaca-se como um dos chefes da revolução liberal de São Paulo. Derrotado o movimento, é preso e processado. Volta ao poder em 1847, como ministro. Reassume a vaga no Senado e morre no Rio de Janeiro.



publicado por LUCIANO às 12:35
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Sérgio Buarque de Holanda

Historiador e crítico literário paulista. Autor de Raízes do Brasil, clássico da historiografia brasileira. Sérgio Buarque de Holanda (11/7/1902-24/4/1982) nasce em São Paulo, mas muda-se para o Rio de Janeiro aos 19 anos. Cursa direito e trabalha como jornalista em O Jornal e na agência de notícias Havas (atual France Prèsse). Participa da Semana de Arte Moderna de 1922 pela revista Klaxon, porta-voz do movimento, e como criador e editor da revista Estética, que discute suas tendências. Trabalha na Alemanha em 1929, como correspondente dos Diários Associados, entra em contato com idéias de intelectuais como Sombart e Max Weber e começa a esboçar sua teoria sobre a formação cultural, econômica e social do país, que resultaria na obra Raízes do Brasil, de 1936. De volta ao Brasil, trabalha no Instituto Nacional do Livro (1937-1944), na Biblioteca Nacional (1944-1946), no Museu Paulista (1946-1958). Leciona história na Universidade de São Paulo (USP)) de 1956 a 1969, quando pede aposentadoria em solidariedade aos colegas cassados pelo regime militar. Passa os anos seguintes no Brasil, nos EUA e na Europa, especialmente na Itália, onde leciona por dois anos na Universidade de Roma. Publica outros livros importantes, como Monções, Da Escravidão ao Trabalho Livre e Visão do Paraíso, além de dirigir a coleção História Geral da Civilização Brasileira. Morre em São Paulo.



publicado por LUCIANO às 12:32
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Sérgio Cardoso


Ator paraense. Um dos mais importantes nomes da história do teatro no Brasil no século XX. Sérgio Cardoso da Fonseca Matos (23/3/1925-18/8/1972) nasce em Belém. Com 1 ano de idade muda-se com a família para Portugal e retorna ao Brasil nos anos 30. No Rio de Janeiro, onde passa a viver, interessa-se por teatro ainda no colégio. Chega a matricular-se em direito na Pontifícia Universidade Católica, mas abandona o curso para freqüentar o Teatro Universitário. Estréia no teatro em 1948 como protagonista de Hamlet. No início da década de 50 muda-se para São Paulo e ingressa no elenco estável do Teatro Brasileiro de Comédia. Nessa época, destaca-se pela plasticidade da voz e elegância de movimentos ao atuar em Entre Quatro Paredes, de Jean-Paul Sartre, e Seis Personagens à Procura de um Autor, de Pirandello. Em 1954 funda uma companhia própria junto com a esposa, a atriz Nydia Lícia, e em 1956 inaugura seu Teatro Bela Vista (atual Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo). No começo da década de 60 separa-se de Nydia e encerra a companhia. Segue-se um período de isolamento do ator que só acaba em 1964, quando estréia sua primeira novela na TV, O Sorriso de Helena. Recupera a popularidade nos anos seguintes, mas morre sem realizar seu principal desejo: voltar aos palcos.



publicado por LUCIANO às 12:30
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Sérgio Fleury


Policial fluminense. Ex-diretor do Departamento Estadual de Investigações Civis e Criminais no regime militar, acusado de torturar e assassinar presos comuns e políticos.Sérgio Fernando Paranhos Fleury (19/5/1933-10/5/1979) nasce em Niterói. Entra para a polícia aos 17 anos, como escriturário do Departamento da Ordem Política e Social (Deops). Em 1966 assume o posto de delegado de polícia em São Paulo e torna-se conhecido pela violenta atuação no combate ao crime. Dois anos depois participa da prisão dos estudantes da União Nacional dos Estudantes (UNE), durante o Congresso de Ibiúna (SP). Passa a colaborar com a Operação Bandeirante (Oban), organismo criado pelo governo em 1969, conhecido pelo uso sistemático de tortura na repressão a grupos de esquerda. Comanda a captura e o fuzilamento de Carlos Marighella (1969). Chefe do Esquadrão da Morte, corporação clandestina de policiais, é indiciado em diversas ocasiões pela morte de supostos bandidos e pela tortura a presos políticos. Detido várias vezes, nunca chega a cumprir pena - é sempre absolvido ou tem a prisão revogada. Inspira a edição da Lei 5.941, em 1973, que dá ao réu primário o direito de aguardar o julgamento em liberdade. A lei fica conhecida como Lei Fleury, por beneficiá-lo diretamente. É condecorado pelo governador paulista Abreu Sodré (1969) e escolhido delegado do ano em 1974, 1976 e 1978. Sua morte nunca foi totalmente esclarecida. Oficialmente, morre afogado ao escorregar de seu iate em Ilha Bela, litoral norte de São Paulo. As suspeitas de que teria sofrido um atentado não são eliminadas, pois a Polícia Civil não autoriza a realização da necrópsia.


publicado por LUCIANO às 12:26
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Sílvio de Abreu


Autor de novelas e cineasta paulistano (20/12/1942-). Silvio Eduardo de Abreu nasce em São Paulo e, aos 5 anos, conhece o cinema, que o fascina. Em 1962, entra para a Escola de Arte Dramática (EAD) e, dois anos depois, estréia como ator na peça Vereda da Salvação, de Jorge Andrade dirigida por Antunes Filho. Atua também em outros espetáculos, entre eles A Ópera dos Três Vinténs (1964) e Tchin-Tchin (1965). Em 1966, faz um estágio no Actor’s Studio de Nova York, nos Estados Unidos. No ano seguinte, passa a trabalhar em telenovelas, como O Grande Segredo (1967) e A Próxima Atração (1970). No cinema, aparece em A Marcha (1965) e A Super Fêmea (1970). Em 1971, torna-se assistente de Carlos Manga, com quem realiza o longa O Marginal, de Dias Gomes e Lauro César Muniz. Incentivado por Manga, começa a escrever roteiros. Sua primeira experiência é o filme Gente Que Transa (1972), que também dirige. Em seguida, produz o documentário Assim Era a Atlântida e várias pornochanchadas, entre elas A Árvore dos Sexos. Em 1977, a convite da TV Tupi, redige sua primeira novela, Éramos Seis. O sucesso leva-o para a Rede Globo, onde alcança projeção nacional com Guerra dos Sexos (1983), que consagra seu estilo cômico. De suas obras, destacam-se ainda Plumas e Paetês (1980), Vereda Tropical (1984), Cambalacho (1986), Rainha da Sucata e A Próxima Vítima (1996) e Torre de Babel (1998). É autor do show Não Fuja da Raia, estrelado pela atriz Cláudia Raia. Sua mais recente novela é As Filhas da Mãe, da Rede Globo, exibida em 2001. Em 2002, volta a atuar como ator no curta-metragem Helena, dirigido por Andrés Bukowinski, sua primeira participaçãono cinema desde 1984, quando filmou uma participação em Memórias do Cárcere, de Nelson Pereira dos Santos.. Em 2003, faz uma ponta no longa Sexo, Amor e Traição. No mesmo ano, lança a adaptação literária de Boca do Lixo, minissérie que escreveu e foi exibida pela Globo em 1990.

publicado por LUCIANO às 12:22
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Sílvio Santos


Apresentador de TV e empresário fluminense. Um dos maiores comunicadores do país, é proprietário do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT). Senor Abravanel (12/12/1930-) nasce na cidade do Rio de Janeiro. Filho de imigrantes judeus, aos 14 anos decide abandonar o curso de contabilidade e começa a trabalhar como camelô, vendendo carteiras para título de eleitor e canetas nas ruas do Rio de Janeiro. Preso várias vezes, é levado pelo chefe da fiscalização Meira Lima à Rádio Guanabara, na qual consegue o primeiro lugar em um concurso de locutores. Porém, como o salário é baixo, volta para as ruas, monta um serviço de alto-falantes na barca Rio-Niterói, ganha dinheiro e abre um bar. Endividado, aceita emprego de locutor na Rádio Nacional, em São Paulo, em que apresenta o programa Caravana do Peru Que Fala. Em 1959 assume, com o radialista Manuel da Nóbrega e um alemão, o Baú da Felicidade, que vende baús cheios de presentes, pagos antecipadamente em 12 parcelas. Estréia na televisão em 1958 como locutor de comerciais. Quatro anos depois, compra um horário próprio na TV Paulista, emissora adquirida mais tarde pela TV Globo. Destaca-se como um dos principais apresentadores de programas de auditório e, em 1976, passa a apresentá-los nas TVs Tupi e Record. Em 1981, ganha uma concessão governamental que o torna proprietário da TVS, hoje SBT. É dono de 33 empresas, entre seguradora, leasing, banco e rede de televisão, que movimentam 1,6 bilhão de reais por ano. Em 1989, tenta concorrer à Presidência da República, mas tem sua candidatura impugnada. Desde 1992, uma ação popular pede a proibição da venda da Tele Sena como título da Liderança Capitalização, principal empresa do Grupo Sílvio Santos. Desde o início do processo, a Liderança Capitalização já teria faturado cerca de 3 bilhões de dólares. Casado pela segunda vez, tem seis filhas. Em 2001, uma delas, Patrícia Abravanel, é seqüestrada e solta após o pagamento de resgate. Um dias após ela ter sido libertada, um dos seqüestradores, Fernando Dutra Pinto, invade a casa do empresário e o mantém refém por seis horas. Silvio Santos só é solto após a intervenção do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Em 2003, Sílvio Santos volta a ser notícia ao afirmar, à revista Contigo!, que havia vendido sua emissora e estaria com os dias contados, desmentindo depois que a notícia havia se espalhado pelo país.



publicado por LUCIANO às 08:46
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Simón Bolívar


Estadista e militar venezuelano. É o libertador de vários países sul-americanos. Simón José Antonio de la Santísima Trinidad Bolívar y Ponte Palacios y Blanco (24/7/1783-17/12/1830) nasce em Caracas, onde é educado por um seguidor do filósofo francês Jean-Jacques Rousseau e assimila as idéias do iluminismo. Vive na Espanha e na França, onde acompanha movimentos revolucionários. Volta à Venezuela em 1807 e começa a participar de conspirações para acabar com o domínio espanhol. Em 1813 torna-se líder das tropas rebeladas contra os espanhóis e conquista a capital, Caracas, na qual é recebido como libertador. Na contra-ofensiva, os espanhóis conseguem expulsar Bolívar, que se refugia na Jamaica em 1814. Ali escreve uma famosa carta defendendo a emancipação das colônias latino-americanas e denunciando a exploração que imperava do Chile ao México. De volta ao continente, organiza um exército de 2,5 mil homens, com o qual toma Bogotá e proclama a República da Colômbia em 1819, num dos ataques mais ousados da história. Em rápida seqüência, promove a independência da Venezuela, do Equador, do Peru e da Bolívia. Nesse mesmo ano, torna-se presidente da Grã-Colômbia (união entre Colômbia, Venezuela, Equador e Panamá), cargo que acumula com a Presidência do Peru, em 1824, e da Bolívia, em 1825. Em 1830, tuberculoso, abandona o poder e retira-se para Santa Marta, na Colômbia, onde morre.



publicado por LUCIANO às 08:42
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Simone de Beauvoir


Escritora e feminista francesa (9/1/1908-14/4/1986). Uma das principais teóricas do feminismo e personagem importante no núcleo de pensadores do existencialismo francês, por seus ensaios filosóficos e pelo estilo de vida independente. É conhecida também como companheira do filósofo Jean-Paul Sartre desde a época de estudante até a morte dele. Nasce em Paris e estuda em escolas particulares e na Sorbonne, onde se forma em filosofia e conhece Sartre. Vive de dar aulas em várias escolas e edita, com Sartre, a revista mensal Les Temps Modernes. Em suas obras de ficção, como A Convidada (1943) e Todos os Homens São Mortais (1947), aproveita para abordar questões da filosofia existencialista. Escreve em dois volumes o grande clássico da literatura feminista, o ensaio O Segundo Sexo (1949). Em Os Mandarins (1954) analisa as relações dos intelectuais com a militância política. No livro Velhice (1970) trata da indiferença social para com os idosos na sociedade atual. Escreve também livros autobiográficos: Memórias de uma Moça Bem Comportada (1958), Na Força da Idade (1960), Sob o Signo da História (1963), Uma Morte Muito Suave (1965) e Balanço Final (1972). Em A Cerimônia do Adeus (1981), descreve com realismo contundente os últimos anos de Sartre. Morre em Paris.



publicado por LUCIANO às 08:40
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Sinclair Lewis


Escritor e crítico social norte-americano (7/2/1885-10/1/1951), conhecido pelos trabalhos satíricos e documentários. Foi o primeiro de seu país a receber o Prêmio Nobel de Literatura em 1930. Nasce em Sauk Centre, Minnesota. Em 1902 entra para a Universidade de Yale, e, em 1907, para a comunidade Helicon Hall, onde conhece o escritor Upton Sinclair e os filósofos William James e John Dewey. Em Nova York trabalha como repórter e editor de diversas publicações. Em 1914 estréia com o romance Nosso Mr.Wrenn (1914), que faz sucesso de crítica, mas não de público. Ao mesmo tempo ganha fama pelo trabalho em revistas populares, como The Saturday Evening Post e Cosmopolitan. Lança A Trilha do Falcão (1915) e Rua Principal (1920), considerada uma de suas mais importantes obras de crítica social, que mostra o isolamento de uma moça do Leste que se casa com um médico e vai morar numa retrógrada cidade do interior. Dois anos depois escreve Babbitt, história de um empresário de meia-idade submetido ao espírito conformista de seu meio. O nome do personagem principal virou sinônimo de provincianismo e conservadorismo. Outros livros de sucesso de Lewis são Doutor Arrowsmith (1925), uma sátira à medicina, Elmer Gantry (1927), crítica ao fanatismo religioso e à hipocrisia, e Folhas de Outono (1929), que narra os contrastes de valores entre a América e a Europa por intermédio das experiências de um homem de negócios e de sua esposa durante sua primeira viagem ao Velho Mundo. Depois do Prêmio Nobel, sua produção perde em importância. Desse período destacam-se Ann Vickers (1933), Obra de Arte (1934), It Can’t Happen Here (Não Pode Acontecer Aqui, 1935), Pais Pródigos (1938), Cass Timberlane (1945), O Nobre Senhor Kingsblood (1947), À Procura de Deus (1949) e Mundo Tão Vasto (1951). Após dois divórcios, torna-se alcoólatra. Morre próximo a Roma.



publicado por LUCIANO às 08:38
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Sinhô - José Barbosa da Silva


Compositor e instrumentista carioca (1888-1930). Seu nome é José Barbosa da Silva. É o primeiro grande sambista urbano, fixador do gênero e criador do estilo coloquial de cantar samba. Nasce no Rio de Janeiro, filho de um pintor de parede. Estimulado pelo pai, estuda flauta, mas logo envereda pelo piano e, depois, pelo violão. Em 1910, já casado com a lisboeta Henriqueta Ferreira, é bem conhecido como pianista profissional. Está entre os compositores que reclamam a autoria do primeiro samba a sair em disco, Pelo Telefone, gravado em 1917 e registrado em nome de Donga. A esse respeito e de alguns plágios que lhe são atribuídos, responde com uma frase célebre: "Samba é como passarinho, é de quem pegar". Começa a ganhar fama a partir de 1916, como pianista da agremiação carnavalesca Kananga do Japão. Tem uma polêmica musical com Pixinguinha, em que ambos trocam insultos sob a forma de marchinhas de Carnaval. Ganha novo público em 1921, quando estréia como autor no Teatro Recreio, com a revista Segundo Clichê. É um dos maiores autores dos carnavais nos anos 20, com sucessos como Gosto Que Me Enrosco e Jura. Apresenta-se com sua trupe em 1929 no Teatro Municipal de São Paulo. No ano seguinte, morre de hemoptise, hemorragia provocada por tuberculose, no Rio de Janeiro.


tags:
publicado por LUCIANO às 08:35
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Sócrates (Sokrati)


Filósofo grego (470 a.C.?-399 a.C.), considerado um dos fundadores da filosofia ocidental. Nasce em Atenas e inicia os estudos sobre a natureza da alma humana e a busca do conhecimento influenciado por Anaxágoras. Tido em sua época como o mais sábio dos homens, julga-se imbuído da missão divina de converter os cidadãos de Atenas à sabedoria e à virtude. Usa o diálogo como método para levar as pessoas a reconhecer a própria ignorância. Não deixa obra escrita. Seu pensamento só pode ser conhecido por meio das obras de Platão e Xenofonte, seus discípulos. Platão idealiza o mestre, enquanto Xenofonte aborda as teorias socráticas de forma mais realista. Sócrates questiona as tradições gregas, entre elas costumes dos cidadãos e suas crenças, inclusive nos deuses. A inteligência para pensar e o talento para a oratória o tornam popular entre os jovens atenienses, o que desperta a atenção dos cidadãos poderosos e conservadores da cidade. Denunciado como subversivo por não acreditar nos deuses gregos, por introduzir novos deuses e por corromper a juventude, é condenado a suicidar-se com cicuta, sentença cumprida em Atenas.


tags:
publicado por LUCIANO às 08:32
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Sócrates


Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira (19/2/1954-), nascido em Belém, Pará, até os 24 anos de idade tem seu o talento de jogador restrito ao Botafogo de Ribeirão Preto. É numa partida de estréia contra o Santos que começa a ser reconhecido. De um clube grande para a Seleção foi um pulo, dado com dois gols (5 x 0) sobre o Ajax, da Holanda. Depois, com a Copa de 1982, encanta o mundo como capitão ao lado de Falcão e Zico, mesmo perdendo a taça. No Corinthians, retribui a confiança dada com três títulos paulistas e um bi, graças a seus gols. No exterior desencanta-se com o futebol na rápida passagem pela Fiorentina da Itália. Na última Copa que disputou (1986, no México), já não era mais o mesmo. O "Doutor Fantástico" ainda passou pelo Flamengo e pelo Santos sem deixar marcas. Depois dos 30 anos, seu físico não respondia aos comandos de seu cérebro genial com a mesma eficiência. Para quem o viu jogar em forma, a saudade foi ainda maior.


publicado por LUCIANO às 08:29
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Sófocles


Dramaturgo grego (496 a.C.?-406 a.C.). Um dos mais importantes escritores gregos de tragédia, ao lado de Ésquilo e Eurípedes. Filho de um rico mercador, nasce em Colona, perto de Atenas, na época do governo de Péricles e do apogeu da cultura helênica. Escreve cerca de 120 peças, das quais apenas sete sobrevivem até os dias de hoje. Trabalha também como ator, não se limitando à literatura. É ordenado sacerdote de Esculápio, o deus da medicina, e eleito duas vezes para a Junta de Generais, que administra os negócios civis e militares de Atenas. Dirige o departamento do Tesouro, que controla os fundos da Confederação de Delos. Em suas tragédias mostra dois tipos de sofrimento: o que decorre do excesso de paixão e o que é conseqüência de um acontecimento acidental. Reduz a importância do coro no teatrogrego, relegando-o ao papel de observador do drama que se desenrola à sua frente. Entre suas peças mais conhecidas estão Édipo Rei, Antígona e Electra. Morre em Atena.



tags:
publicado por LUCIANO às 08:26
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Sônia Braga


Atriz paranaense. Artista de grande sucesso na televisão e no cinema brasileiros e uma das mais bem sucedidas em carreira nos Estados Unidos. Sônia Maria Campos Braga (8/6/1950-) nasce em Maringá e muda-se para São Paulo aos 8 anos, após a morte do pai. Inicia a carreira em 1968, ao lado do cantor Ronnie Von, no programa O Mundo Encantado do Pequeno Príncipe. No mesmo ano, integra o elenco do musical Hair. Participa, em 1969, de sua primeira novela, Irmãos Coragem, grande sucesso na época. Começa a ganhar projeção no início dos anos 70 ao contracenar com Armando Bogus no programa infantil Vila Sésamo. Atua nas novelas Selva de Pedra (1972), Fogo sobre Pedra (1975), Saramandaia (1976), Espelho Mágico (1977), Dancin' Days (1978/1979) e Gabriela (1979). Esta última projeta definitivamente a imagem de sensualidade que marcará sua carreira. No cinema, destaca-se em A Moreninha (1970) e O Casal (1975). Em 1976, protagoniza o longa-metragem Dona Flor e Seus Dois Maridos e, em 1978, A Dama do Lotação, seus dois maiores sucessos no cinema. Após as filmagens de Eu Te Amo (1980), decide viver nos Estados Unidos, onde filma e participa de programas de TV. São dessa etapa os filmes O Beijo da Mulher Aranha (1984) e Luar sobre Parador (1988), ambos filmados no Brasil, Rebelião em Milagro (1988), Rookie (1990) e Amazônia em Chamas (1994). Nesse período, tem um romance com o ator Robert Redford. Seu retorno às telas brasileiras ocorre em 1996, no cinema, com a participação no filme Tieta, e, em 1999, na televisão, na novela Força de um Desejo. Em 1999 participa do longa-metragem americano Um Drink no Inferno 3. Atualmente, mora em Nova York e participa de várias produções norte-americanas para a TV e o cinema como American Family, série para a televisão. Em 2003, ganha cidadania americana.


publicado por LUCIANO às 05:26
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Sören Kierkegaard


Filósofo e religioso dinamarquês. É um dos fundadores do existencialismo. Sören Abye Kierkegaard (5/5/1813-11/11/1855) nasce em Copenhague, filho de camponês que faz fortuna como comerciante de lã na cidade. Estuda teologia na Universidade de Copenhague, entre 1830 e 1840, e gradua-se com a tese Sobre o Conceito da Ironia, em 1841. No mesmo ano fica noivo de Regina Olsen, mas rompe o compromisso um ano mais tarde por achar-se velho demais para desposar uma jovem mulher como Regina. De fato, o filósofo vive atormentado pela herança psicológica paterna. Como o pai, sofre de melancolia e de problemas de natureza psicopatológica. E prefere o isolamento do trabalho de pensador e escritor, uma vez que herda do pai renda suficiente para não ter preocupações com a sobrevivência financeira. Entre 1843 e 1846, escreve uma série de livros, que misturam novelas, diários e críticas de músicas. Fortalece sua posição contrária à filosofia de Hegel, dominante na Dinamarca de então, escrevendo críticas à filosofia racional sistemática, a partir das quais tem origem sua filosofia existencialista. Entre 1854 e 1855 afasta-se da Igreja Luterana e publica o fascículo Momento, em que acusa a instituição de "pouco cristã". Morre em Copenhague.



publicado por LUCIANO às 05:23
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Stan Lee


Executivo da indústria norte-americana de entretenimento, roteirista, co-criador de personagens de sucesso, como o Homem Aranha. Stanley Martin Lieber (28/12/1922-) nasce em Nova York. Aos 17 anos vai trabalhar na editora de quadrinhos Timely Comics Goup. Talentoso, já aos 20 se torna redator. Nas décadas de 1940 e 1950, escreve histórias para personagens criados por outros artistas. Nos anos 1960, quando a empresa passa a se chamar Marvel Comics Group, cria séries famosas, como Homem Aranha, Quarteto Fantástico, Hulk e X-Men. A força dos scripts de Lee está na dualidade dos personagens – que, embora possuam superpoderes, têm todas as fraquezas e emoções humanas. Em 1972 é promovido a editor e diretor editorial da Marvel. Dois anos depois escreve o livro Origens da Marvel Comics. Ainda nos anos 1970, supervisiona a produção de cartoons animados em Hollywood. Torna-se presidente da companhia e produtor executivo dos projetos para a TV e o cinema. Em meio século de carreira na Marvel, Stan The Man Lee – o homem dos quadrinhos, como é chamado –, vende mais de 2 bilhões de revistas em 100 países. Participa de 30 filmes dos personagens Marvel, seja como roteirista, produtor, ator ou narrador. Em 1998, com a reestruturação da Marvel, permanece na companhia como presidente emérito, e é liberado para realizar atividades próprias. No ano seguinte, com o advogado licenciado Peter Paul, funda a Stan Lee Media, produtora e distribuidora de cartoons animados via internet. O roteirista volta a criar e lança, no início de 2000, séries de websódios (neologismo formado da junção de web com episódio) O Sétimo Portal, O Acusador e Clone do Mal. Mas a ousada empreitada de Lee tem vida curta. Seu sócio dá um golpe na bolsa de valores com as ações da empresa e ela é fechada no começo de 2001. Casado há 50 anos e com uma filha, The Man continua fazendo filmes dos personagens Marvel.


tags:
publicado por LUCIANO às 05:19
Domingo, 10 DE Fevereiro DE 2008

Stanley Kubrick


Cineasta norte-americano (26/7/1928-7/3/1999), autor de filmes impregnados de pessimismo irônico. Nascido em Nova York, interessa-se por fotografia no curso secundário e, aos 17 anos, inicia carreira como fotógrafo da revista Look. Estréia no cinema como diretor de documentários com O Dia da Luta (1951), sobre o mundo do boxe. Dois anos depois faz seu primeiro longa-metragem, Medo e Desejo, tendo como pano de fundo a II Guerra Mundial (1939-1945). Glória Feita de Sangue, de 1957, sobre um caso de injustiça no Exército francês, consagra-o como diretor. Dirige o épico Spartacus em 1960 e vai para o Reino Unido, onde filma Lolita (1962), com base no livro de Vladímir Nabókov. A fita, que narra a obsessão de um homem de meia-idade pela enteada adolescente, provoca escândalo. Em 1968 ganha o Oscar de efeitos especiais com 2001: uma Odisséia no Espaço (1968), ficção científica sobre uma missão espacial em que o computador se rebela contra os tripulantes. Em 1971 roda o polêmico Laranja Mecânica (1971), baseado em livro do inglês Anthony Burgess, que mostra a ação de gangues ultraviolentas em um tempo futuro. Em 1980 dirige O Iluminado, com o ator Jack Nicholson no papel de um escritor atormentado. Em 1987 dirige Nascido para Matar, ambientado no Vietnã. Depois de nove anos sem filmar, volta às filmagens em 1996 com De Olhos Bem Fechados, que só estréia em 1999, depois de sua morte, ocorrida em Londres.



publicado por LUCIANO às 05:16

pesquisar

 

Fevereiro 2008

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9

comentários recentes

  • quando cipriano sai da cadeia pq ele decide ir par...
  • Acabei de ler "As Regras do Tagame":http://numadel...
  • Boa iniciativa, a de publicar biografias relevante...
  • O Barão de Cotegipe é um grande pers...
  • este é o escultor victor brecheret, não é aldo bon...
  • Para saberem mais sobre Ledoux sigam este link:htt...
  • Caro amigo, esta "biografia" do sr.Amador Aguiar e...
  • CIRO, O GRANDE!!!!!!!!!!!!WHITE PRIDE!!!!!!!!!!!!w...
  • Muito interessante!Tenho um texto muito parecido n...
  • your blog is really good! http://sot77.blogspot.co...

Posts mais comentados

arquivos

Feedjit

Visitantes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro