mais sobre mim

subscrever feeds

tags

todas as tags

Visitas Hoje

Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Rachel de Queiroz


Escritora, jornalista e teatróloga cearense. Autora de destaque na ficção social nordestina e primeira mulher a ingressar Academia Brasileira de Letras. Rachel de Queiroz (17/11/1910-4/11/2003) nasce em Fortaleza. Em 1917, fugindo da seca, sua família parte para o Rio de Janeiro e logo depois para Belém do Pará. Retorna a Fortaleza dois anos depois. Em 1925, conclui o curso normal no Colégio da Imaculada Conceição. Estréia na imprensa no jornal O Ceará, escrevendo crônicas e poemas de caráter modernista sob o pseudônimo de Rita de Queluz. No mesmo ano, lança em forma de folhetim o primeiro romance, História de um Nome. Aos 20 anos, fica nacionalmente conhecida ao publicar O Quinze (1930), romance que mostra a luta do povo nordestino contra a seca e a miséria. Demonstrando preocupação com questões sociais e hábil na análise psicológica de seus personagens, tem papel de destaque no desenvolvimento do romance nordestino. Já escritora consagrada, muda-se para o Rio de Janeiro em 1939. No mesmo ano é agraciada com o Prêmio Felipe d'Oliveira pelo livro As Três Marias. Escreve ainda João Miguel (1932), Caminhos de Pedras (1937) e O Galo de Ouro (1950). Passa quase 40 anos sem escrever, até lançar Memorial de Maria Moura (1992), saga de uma cangaceira nordestina adaptada para a TV em 1994. Na juventude, apresenta tendências esquerdistas, mas apóia a ditadura militar que se instala no país em 1964. Publica um volume de memórias em 1998. Em 2000, é homenageada por seus 90 anos de idade com a exposição Viva Rachel!, no Centro Cultural da Academia Brasileira de Letras, no Rio de Janeiro, e recebe da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) o título de doutora honoris causa. Atualmente, é colunista do jornal O Estado de S. Paulo. Morre em 4 de novembro de 2003, pouco antes de completar 93 anos. A escritora havia sofrido recentemente um acidente vascular cerebral e morreu dormindo em sua casa no bairro do Leblon, na zona sul do Rio de Janeiro.


publicado por LUCIANO às 17:53
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Rafael - Pintor Italiano (Raffaello Sanzio)

Pintor italiano. Um dos mais influentes e populares artistas do Alto Renascimento.Raffaello Sanzio (6/4/1483-6/4/1520) nasce em Urbino. Ainda na infância aprende as primeiras noções de pintura com o pai. Em 1499 vai para Perugia, onde se torna assistente do pintor Pietro Perugino. Menos de dois anos depois já recebe as próprias encomendas. É dessa época a pintura O Casamento da Virgem (1504), sua primeira obra importante. Muda-se para Florença em 1504 e conhece Leonardo da Vinci. Nos três anos seguintes pinta uma série de Madonnas, com destaque para Madonna del Prato e Madonna del Granduca. No outono de 1508 vai para Roma, contratado pelo papa Júlio II para a decoração de quatro salas do Vaticano. Conhece artistas como Bramante, Sodoma, Lotto e Michelangelo, que influenciam seu estilo. Sua pintura passa a apresentar maior interesse nas poses complexas e nas articulações dos músculos do corpo dos modelos. Suas responsabilidades aumentam com a morte de Júlio II e a ascensão de Leão X. Em 1514 é nomeado arquiteto-chefe da Basílica de São Pedro. No ano seguinte passa a ser diretor de todas as escavações em busca de antiguidades em Roma. Morre aos 37 anos, em Roma.



publicado por LUCIANO às 17:50
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Rafael tobias de Aguiar


Político paulista. Conhecido como brigadeiro Tobias, é um dos chefes da Revolução Liberal de 1842, em São Paulo.Rafael Tobias de Aguiar (4/10/1795-7/10/1857) nasce em Sorocaba, numa família de fazendeiros. Entra na vida pública em 1821, como representante da comarca de Itu no processo de escolha dos deputados brasileiros às Cortes Gerais e Constituintes de Lisboa. Em 1827 é eleito conselheiro do governo provincial. Deputado provincial e geral em várias legislaturas, exerce duas vezes a Presidência da província de São Paulo, de 1831 a 1835 e de 1840 a 1841. Recebe o posto de brigadeiro honorário do império por sua eficiente administração, em que chega a aplicar o próprio salário para financiar escolas, obras públicas e assistenciais. Em 1842 lidera a Revolução Liberal contra dom Pedro II ao lado do padre Diogo Antônio Feijó. No mesmo ano é proclamado presidente interino da província de São Paulo por políticos da região de Sorocaba, centro comercial de grande importância na época. Chamado de "reizinho", por seu renomado prestígio político, consegue reunir 1,5 mil homens na chamada Coluna Libertadora e, partindo de Sorocaba, tenta invadir São Paulo para depor o presidente da província, o barão de Monte Alegre. Antes disso se casa com Domitila de Castro Canto e Melo, marquesa de Santos, ex-amante de dom Pedro I, com quem já tinha seis filhos. Com uma tropa mal preparada e desarmada e o apoio de apenas algumas cidades produtoras de açúcar, como Itu e Itapetininga, é derrotado pelo exército do governo e impedido de entrar em São Paulo. Foge para o Rio Grande do Sul, mas acaba sendo preso na cidade de Vacaria. Levado para o Rio de Janeiro, fica na cadeia até 1844, quando é anistiado. Morre no Rio de Janeiro.



publicado por LUCIANO às 17:48
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Rainer Fassbinder


Cineasta alemão, um dos fundadores do Novo Cinema Alemão, movimento estético de renascimento da indústria cinematográfica alemã. Rainer Werner Fassbinder (31/5/1946-10/6/1982) nasce na Baviera. Quando os pais se divorciam, em 1951, vai morar com a mãe. Abandona os estudos aos 16 anos para participar de um grupo de teatro de vanguarda em Munique. Trabalha como ator e roteirista de teatro, rádio, cinema e televisão até 1969, quando realiza seu primeiro longa-metragem, O Amor É Mais Frio do Que a Morte. Recebe influência dos diretores Howard Hawks, Fritz Lang e Douglas Sirk. Homossexual declarado, casa-se com a atriz Ingrid Caven em 1970, mas o casamento dura somente dois anos. Em pouco mais de uma década, dirige 41 filmes e várias peças de teatro, em que sua mãe freqüentemente trabalha como atriz. Sua obra revitaliza o cinema alemão ao misturar o melodrama ao estilo hollywoodiano com experimentações formais. Aborda temas como relações humanas conflituosas, abuso de drogas, violência e desespero, sexo e degeneração. Em 1974, seu filme O Medo Devora a Alma – em que conta a história de uma alemã sexagenária que se casa com um imigrante árabe 30 anos mais novo que ela – é premiado no Festival de Cinema de Cannes. Outros filmes importantes de sua carreira são O Casamento de Maria Braun (1978), Lili Marlene (1980), Lola (1981) e Querelle (1982). Morre em Munique aos 36 anos, de overdose de cocaína.

publicado por LUCIANO às 17:45
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Rainer Maria Rilke


Poeta austríaco. Considerado um dos poetas mais expressivos do início do século XX.
René Maria Rilke, seu nome original, (4/12/1875-29/12/1926) nasce em Praga, na República Tcheca, à época parte do Império Austro-Húngaro. Em 1895 matricula-se na Universidade de Praga, onde chega a cursar um semestre de direito, mas abandona a instituição e se muda para Munique, na Alemanha, atraído pela efervescência artística e cosmopolita da cidade. Em duas viagens à Rússia, em 1899 e 1900, inspira-se para escrever Stundenbuch (Livro das Horas, 1905). Leva uma vida de viajante, principalmente na França. De 1905 a 1906 é secretário particular do escultor Auguste Rodin, que lhe ensina conceitos de arte. Dessa convivência nascem os dois volumes de Neue Gedichte (Novos Poemas, 1907-1908). Anos depois escreve Elegias de Duíno e Sonette an Orpheus (Soneto a Orfeu), considerados o ponto mais alto de sua carreira. Esses poemas exprimem a filosofia espiritualista e fantástica do poeta. Uma de suas obras mais conhecidas é Briefe an einen Jungen Dichter (Cartas a um Jovem Poeta, 1929). Morre em Valmont, na Suíça.


publicado por LUCIANO às 17:42
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Rainha Vitória - Queen Victoria

Rainha da Grã-Bretanha e Irlanda (24/5/1819-22/1/1901). Alexandrina Vitória nasce no palácio de Kensington, em Londres. É a única filha de Eduardo, duque de Kent, quarto filho do rei Jorge III. Em 1837, com 18 anos, sucede ao tio Guilherme IV, cujos filhos haviam morrido quando crianças. Em 1840 casa-se com o primo Alberto de Saxe-Coburgo, com quem tem nove filhos. A perda do marido a deixa tão inconsolável que se afasta do governo por dois anos. Exceto por esse período, intervém pessoalmente em todos os assuntos de Estado, em especial no comércio exterior. Durante seus 63 anos de reinado, o imperialismo britânico expande-se em todos os continentes, da África à Oceania. O Reino Unido participa da Guerra dos Bôeres (1899-1902), no sul da África, da Revolta dos Sipaios (1857-1858), na Ásia, e da Guerra do Ópio (1840-1842), na China. Internamente, supera a depressão econômica dos governos de Jorge III e Guilherme IV e faz o país alcançar grande desenvolvimento industrial. Seu reinado, conhecido na história como era vitoriana, é marcado pela ascensão da classe média, pela moral conservadora, pelo intenso nacionalismo e pela grande popularidade da soberana – uma época ainda de florescimento cultural e político, em que se amplia a participação dos cidadãos no governo. Morre em Osborne, na ilha de Wight, na Inglaterra, depois do mais longo reinado da história do Reino Unido.



publicado por LUCIANO às 17:39
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Ranieri Mazzilli

Político paulista. Assume interinamente a Presidência da República cinco vezes, entre 1959 e 1965.Paschoal Ranieri Mazzilli (27/4/1910 - 21/4/1975) nasce em Caconde, filho de imigrantes italianos e cafeicultores bem-sucedidos na região. Estuda até o secundário na cidade e matricula-se em 1930 na Faculdade de Direito de São Paulo, mas interrompe os estudos por causa da Revolução de 1930. Muda-se para Taubaté (SP) em 1931 e trabalha como coletor fiscal até a Revolução Constitucionalista de 1932, quando é destituído da função. Retorna à capital paulista em 1933, edita por dois anos a revista Boletim Fiscal e, em 1935, retoma o cargo de coletor. Transferido para o Rio de Janeiro, no ano seguinte, volta a estudar direito na Faculdade de Niterói e conclui o curso em 1940. Em 1942 torna-se diretor do Tesouro Público Nacional e empreende várias reformas na Recebedoria do Distrito Federal, na época, o Rio de Janeiro. Na capital federal exerce o cargo de diretor da Divisão de Imposto de Renda (1945) e de secretário-geral de Finanças (1946). Membro do Partido Social Democrático (PSD), entra para a política em 1947, nomeado diretor da Caixa Econômica Federal. Elege-se deputado federal por São Paulo em 1950, 1954, 1958 e 1962. Como presidente da Câmara dos Deputados, assume a Presidência da República em cinco ocasiões, substituindo Juscelino Kubitschek, Jânio Quadros (após a renúncia), mais duas vezes no mandato regular de João Goulart e, finalmente, quando este é deposto. Em 1966 não consegue reeleger-se deputado e retira-se da vida pública para cuidar das fazendas da família.



publicado por LUCIANO às 17:37
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Raoni


Líder dos caiapós, é um dos índios mais conhecidos no Brasil e no exterior por sua campanha em defesa do povo indígena e da floresta Amazônica. Raoni nasce em Mato Grosso, filho do cacique Umoro, do ramo dos caiapós conhecido como Metuktire. O sertanista Orlando Villas Boas é o responsável pela descoberta do grupo em 1954, quando conhece Raoni, então um jovem. O líder indígena não sabe sua idade, mas de acordo com estimativas de antropólogos deve ter hoje mais de 70 anos. Conhecido pelo bodoque de 8 centímetros de diâmetro que ostenta no lábio inferior, marca registrada de seu povo, faz jus à tradição guerreira da tribo - a palavra caiapó significa gente ruim da mata, segundo Villas Boas. Em 1984, ele aparece em público pela primeira vez armado e pintado para a guerra a fim de negociar com o ministro do Interior, Mário Andreazza, a demarcação de sua reserva. Durante a reunião com o ministro, dá-lhe um puxão na orelha e diz: "Aceito ser seu amigo. Mas você tem de ouvir índio". Em 1999, puxa as orelhas do presidente da Funai, Márcio Lacerda, para protestar contra a precariedade da assistência médica nos territórios indígenas. Torna-se famoso internacionalmente a partir de 1989, quando acompanha o cantor inglês Sting numa viagem à Europa, em campanha contra a invasão das áreas indígenas. Retorna ao continente europeu em maio de 2000 em busca de suporte financeiro para desenvolver um núcleo de alta tecnologia no Parque Nacional do Xingu e consegue levantar o correspondente a US$ 100 mil em doações. O projeto prevê a criação de um instituto com seu nome para abrigar um hospital, um centro de pesquisas da biodiversidade da floresta, escolas e um núcleo de comunicação ligado à internet. Conta com o apoio do Rainforest Association, entidade com escritórios na França e na Bélgica. No início de 2001, o senador Carlos Bezerra (PMDB-MT) apresenta projeto para a criação do Instituto Raoni.



tags:
publicado por LUCIANO às 17:33
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Raul Pompéia


Escritor fluminense. Possuidor de uma visão crítica de seu tempo, é autor de O Ateneu, uma das obras-primas do naturalismo na literatura brasileira.Raul d’Ávila Pompéia (12/4/1863 - 25/12/1895) nasce em Angra dos Reis. Aos 10 anos, muda-se com a família para a cidade do Rio de Janeiro. Em 1880, então com 17, publica o primeiro romance. A obra Uma Tragédia no Amazonas já mostra traços do temperamento angustiado do autor, presente em outras novelas. No ano seguinte começa a estudar direito em São Paulo e a participar dos movimentos abolicionista e republicano. Em 1885 transfere-se para a Faculdade de Direito do Recife, onde termina o curso. De volta ao Rio de Janeiro, publica em série, na Gazeta de Notícias, o romance O Ateneu, sua obra mais importante. Após a proclamação da República, continua com as atividades políticas, ao mesmo tempo que leciona mitologia na Escola Nacional de Belas-Artes. Nomeado diretor da Biblioteca Nacional em 1894, é exonerado no ano seguinte, após realizar uma oração fúnebre no túmulo de Floriano Peixoto, na qual criticava o então presidente, Prudente de Moraes. Suicida-se no Rio de Janeiro na noite de Natal. É o patrono da cadeira 33 da Academia Brasileira de Letras.



publicado por LUCIANO às 17:30
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Raul Seixas


Cantor e compositor baiano. O grande mito do rock brasileiro. Raul Santos Seixas (28/6/1945 - 21/8/1989) nasce em Salvador, onde passa a infância e a juventude. Aos 12 anos forma o conjunto Os Panteras, primeiro grupo de rock da cidade a usar instrumentos elétricos. Nos anos 50 cria um fã-clube de Elvis Presley, cantor norte-americano que tem grande influência em sua carreira. Começa a estudar direito, psicologia e filosofia mas só termina este último curso. Em 1967, empolgado por ter acompanhado Jerry Adriani num show em Salvador, muda-se com todo o conjunto para o Rio de Janeiro e grava o disco Raulzito e Seus Panteras. Ganha projeção nacional com a canção Ouro de Tolo, incluída no álbum Krig-Ha Bandolo, de 1973. Dois anos mais tarde lança Gîtâ e, em 1976, Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás. Entre seus maiores sucessos estão Eu Sou a Mosca Que Pousou na Sua Sopa, composta em parceria com Paulo Coelho, Metamorfose Ambulante e Sociedade Alternativa. Pouco depois de sua morte, provocada por uma pancreatite aguda em decorrência do alcoolismo, em São Paulo, é lançado o LP A Panela do Diabo (1989), gravado com Marcelo Nova, vocalista do grupo Camisa de Vênus. Logo em seguida, seu nome é dado a um parque municipal no bairro de Itaquera, na Zona Leste da capital paulista.



publicado por LUCIANO às 17:27
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Raymundo Faoro


Jurista e sociólogo gaúcho. Membro da Academia Brasileira de Letras e autor do livro Os Donos do Poder, clássico da historiografia brasileira.Raymundo Faoro (27/4/1925-15/05/2003) nasce em Vacaria, no Rio Grande do Sul. No começo da década de 30, muda-se para a cidade de Caçador, em Santa Catarina, onde passa a infância. Estuda direito na Universidade do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, e forma-se em 1948. Escreve sua obra mais conhecida, Os Donos do Poder, em 1958. No livro, analisa a organização política do Brasil, desde a época colonial até a República, e sustenta que o país é governado por um "estamento burocrático", que exclui a participação da população nas decisões políticas. No ano seguinte, ganha o Prêmio José Veríssimo de ensaio e crítica da Academia Brasileira de Letras. Torna-se procurador do estado do Rio de Janeiro em 1963, após passar em concurso público. Em 1975, escreve Machado de Assis: A Pirâmide e o Trapézio, um estudo sobre as relações sociais por meio dos personagens de Machado de Assis. Como presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil entre 1977 e 1979, desempenha importante papel em debates relativos à abertura política e à preservação dos direitos humanos. Nesse período luta pelo restabelecimento das garantias individuais representadas pelo habeas-corpus, suprimido pelo regime militar. Aposenta-se do cargo de procurador da Justiça em 1983, mas permanece atuando em seu escritório de advocacia. É viúvo e pai de três filhos. Em 2001, é eleito para a Academia Brasileira de Letras. Em 2002, é hospitalizado numa clínica no bairro de Copacabana com enfizema pulmonar. Morre em 15 de maio de 2003 por falência dos órgãos em decorrência da doença pulmonar.



publicado por LUCIANO às 17:24
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Francisco Rebolo Gonzales

Pintor paulista (22/8/1902-1980). Um dos mais importantes paisagistas brasileiros do século XX. Francisco Rebolo Gonzales nasce em São Paulo. Aos 13 anos emprega-se como aprendiz de decorador. Pinta detalhes das igrejas de Santa Ifigênia e Santa Cecília. Algum tempo depois se matricula na Escola Profissional Masculina do Brás. Em 1917 começa a carreira de jogador de futebol semiprofissional. Cinco anos mais tarde é contratado pelo Corinthians, integrando a equipe que conquista o título de Campeão do Centenário. Mantém, paralelamente, as atividades de jogador e decorador, abandonando o futebol apenas em 1934, ano em que começa a pintar. Integra, juntamente com Alfredo Volpi, Mário Zanini, Fúlvio Pennacchi, Manoel Martins, Humberto Rosa, Aldo Bonadei, Alfredo Rizzotti e Clóvis Graciano, o Grupo Santa Helena, que desenvolve, intuitivamente, um projeto estético baseado na pintura ao ar livre e na captação de cores e cenas dos arredores de São Paulo. Participa de exposições coletivas e individuais, no Brasil e no exterior, alcançando grande sucesso de crítica. Em 1948 toma parte na criação do Museu de Arte Moderna de São Paulo e, em 1951, expõe na 1ª Bienal Internacional de Arte de São Paulo. Passa os anos seguintes pintando e organizando exposições. Em 1972, aos 70 anos faz o painel para o Senado Federal. Morre em São Paulo.



publicado por LUCIANO às 17:21
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Regina Duarte


Atriz paulista. Uma das mais destacadas intérpretes da televisão brasileira a partir da década de 70. Regina Blois Duarte (5/2/1947-) nasce em Franca e passa a infância e a adolescência em Campinas. Aos 14 anos, influenciada por um professor de balé, que considera seu rosto fotogênico, faz as primeiras fotos como modelo. Começa a participar de teatro amador. Em 1966, aos 18 anos, muda-se para São Paulo. Pouco depois, é descoberta pelo diretor Walter Avancini, que a convida para atuar na novela A Deusa Vencida, da extinta TV Excelsior. Chega à Globo, em 1969, com nove novelas no currículo. Em Minha Doce Namorada (1971/1972), contracena com Cláudio Marzo e passa a ser chamada de "a namoradinha do Brasil". Em seguida, atua em Selva de Pedra, um marco em sua trajetória na TV. Na década de 70, engravida pela primeira vez e resolve também dar uma virada na carreira: vai para o teatro incorporar uma prostituta suicida na peça Réveillon, de Flávio Márcio. Em 1979, começa a atuar em seu papel de maior repercussão, a protagonista do seriado Malu Mulher, uma mulher independente que conquista o público com suas angústias e realizações. Por dois anos, revoluciona a TV com a discussão aberta de vários temas no programa. Na seqüência, dá vida à cafona Viúva Porcina na novela Roque Santeiro. Em 1992, realiza uma turnê com a peça A Vida É Sonho, dirigida por Gabriel Villela. No final dos anos 90, contracena com a filha, Gabriela Duarte, na novela Por Amor e na minissérie Chiquinha Gonzaga, em que interpreta a compositora protagonista. As duas também atuam juntas na peça Honra, em cartaz em São Paulo, em 2000. Regina tem três filhos. Em 2002, sua participação na campanha do candidado à sucessão presidencial José Serra causa polêmica na opinião pública. A empresa de telefonia Telemar ameaça suspender um contrato de publicidade com a atriz, mas volta atrás. Em 2003, produz a peça Pedro e Vanda, protagonizada por sua filha.



publicado por LUCIANO às 17:18
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Renato Aragão (Didi)

Ator cearense. Líder do grupo Os Trapalhões e criador do personagem Didi Mocó, é um dos humoristas de maior sucesso no país. Antônio Renato Aragão (13/1/1935-) nasce em Sobral. Filho caçula, é bastante tímido na infância. Emprega-se num banco enquanto faz faculdade de direito. No final da década de 50, seu projeto é formar-se e trabalhar no departamento jurídico do Banco do Nordeste. Nessa época, já está casado com Maria Marta. Em 1959, faz uma prova para o curso de realizador, espécie de faz-tudo, na TV Ceará. Aprovado, é convidado para ser o apresentador do programa Vídeo Alegre, sucesso de audiência apenas um mês depois da estréia. Muda-se para o Rio de Janeiro em 1963. O embrião de seu principal projeto, o programa Os Trapalhões, é lançado em 1965 na TV Tupi com o nome Adoráveis Trapalhões, mesmo ano em que estréia no cinema com Nas Ondas do Iê-Iê-Iê. Em 1975, transfere-se para a TV Globo e conclui a formação do quarteto que se tornaria um clássico com Mussum, Zacarias e Dedé Santana. Em 1997, o programa entra para o livro dos recordes, o Guinness Book, como o humorístico que ficou mais tempo no ar no Brasil. No auge, Os Trapalhões chega a registrar audiência média de 77 pontos, o equivalente a 60 milhões de telespectadores. Em 1977, o filme Os Trapalhões nas Minas do Rei Salomão leva 5,7 milhões de pessoas ao cinema, número maior que os campeões de audiência até então, E.T. e Superman. Aragão participa de 40 filmes que atraem mais de 100 milhões de espectadores. Praticamente não usa dublê. Mesmo com o fim do quarteto, continua sendo um campeão de bilheteria. O Noviço Rebelde( 1997)alcança 1,5 milhão de espectadores, e Simão, o Fantasma Trapalhão (1998), 1,7 milhão . Embaixador da Unesco para a Infância desde 1991, em 1999, volta à TV com o programa dominical A Turma do Didi. Em 2000, entra em cartaz o longa O Trapalhão e a luz azul, que tem a participação dos filhos Paulo (direção), Ricardo e Renato (trilha sonora). A trajetória artística do humorista é o tema escolhido pela escola de samba carioca São Clemente, que desfila em 2003 com o samba-enredo Nas Asas de um Sonho: Renato Aragão, Embaixador da Esperança. Com mais de 40 longa-metragens em seu currículo, Renato Aragão continua produzindo em média um filme por ano.



publicado por LUCIANO às 17:14
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Renato Russo


Músico e compositor fluminense radicado em Brasília. Líder da banda Legião Urbana, é considerado um dos principais poetas do rock dos anos 80. Renato Manfredini Júnior (27/3/1960 - 11/10/1996) nasce na cidade do Rio de Janeiro, na Ilha do Governador. Vive dos 7 aos 10 anos em Nova York, nos Estados Unidos (EUA), para onde é transferido seu pai, funcionário do Banco do Brasil. De volta ao Rio, muda-se com a família para Brasília aos 13. Começa a trabalhar aos 15 anos como professor de inglês, na capital federal, e forma a banda punk Aborto Elétrico. Em 1982 cria o Legião Urbana, com Marcelo Bonfá (baterista) e Eduardo Paraná (guitarra), substituído depois por Dado Villa-Lobos. O segundo disco do grupo, de 1986, o álbum Dois, vende 1 milhão de cópias. Em 1989, Renato Russo comprova ser portador do vírus da Aids, doença que nunca tornaria pública, e tenta o suicídio. No ano seguinte se declara homossexual, surpreendendo os amigos mais íntimos. Em 1994 grava o primeiro disco-solo, Stonewall Celebration, cantado em inglês, e doa metade do que arrecada com as vendas à Campanha contra a Fome e pela Cidadania, do sociólogo Betinho. O disco-solo Equilíbrio Distante (1995), cantado em italiano, vende mais de 540 mil cópias, mas é mal recebido pela crítica. Com o Legião Urbana, lança 11 discos, entre eles A Tempestade, concluído quatro meses antes de morrer, no Rio de Janeiro, aos 36 anos.



publicado por LUCIANO às 13:23
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

René Descartes


Filósofo e matemático francês (31/3/1596-1/2/1650). Nasce na cidade de Haye, atual Descartes. Estuda na Universidade de Poitiers até 1616. Dois anos depois, ingressa no exército do príncipe de Orange, na Holanda, onde toma contato com as últimas descobertas da matemática. Com 22 anos, começa a formular sua geometria analítica e seu "método de raciocinar corretamente". Lança as bases do método científico moderno ao romper com a filosofia aristotélica em 1619 e propor uma ciência unitária e universal. Sua principal obra é o Discurso do Método (1637), na qual apresenta a premissa de seu método de raciocínio – "Penso, logo existo!" Nessa obra expõe as quatro regras para chegar ao conhecimento: nada é verdadeiro até ser reconhecido como tal; os problemas precisam ser analisados e resolvidos sistematicamente; as considerações devem partir do mais simples para o mais complexo; e o processo deve ser revisto do começo ao fim, para que nada importante seja omitido. Escreve ainda Meditações da Filosofia Primeira (1641) e Princípios de Filosofia (1644). Em 1649 vai trabalhar como instrutor da rainha Cristina na Suécia. Morre de pneumonia no ano seguinte, em Estocolmo.


publicado por LUCIANO às 13:21
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

René Magritte


Pintor belga (21/11/1898-15/8/1967). É um dos mais importantes pintores do surrealismo. René-François-Ghislain Magritte nasce em Lessines. Entre 1916 e 1918 estuda na Academia de Belas-Artes de Bruxelas e começa a trabalhar como desenhista de uma fábrica de papéis de parede. Logo se destaca entre os surrealistas belgas e, em 1926, patrocinado pela Galeria de Artes de Bruxelas, torna-se pintor em tempo integral. Produz trabalhos aparentemente incongruentes, como Rape (Estupro), no qual substitui a face por um busto. A primeira exposição individual acontece em 1927, mas não é bem recebida pela crítica. No mesmo ano se muda para Paris e conhece vários surrealistas, como os poetas André Breton e Paul Éluard. Desse período se destacam Tempo Ameaçador (1928) e O Vento e a Canção (1929). Retorna em 1930 para Bruxelas e pinta A Condição Humana (1935). Nos anos 40 experimenta inúmeros estilos, incorporando elementos do impressionismo, mas as pinturas dessa época não fazem sucesso. No último ano de vida supervisiona a construção de oito esculturas de bronze baseadas em suas pinturas. Morre em Bruxelas.


publicado por LUCIANO às 13:18
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Ricardo Coração de Leão - Richard Heart of Lion

Rei da Inglaterra (8/9/1157-6/4/1199). Nasce em Oxford, filho de Henrique II e de Eleanor de Aquitaine, ex-mulher de Luís VII, da França. Recebe o ducado de Aquitaine como herança da mãe em 1172, aos 15 anos, tornando-se então duque de Poitiers. Desde pequeno vive às turras com os irmãos – Henrique, mais velho, e João, mais jovem – por causa da divisão das terras da família. Quando Henrique morre e Ricardo passa a ser o herdeiro do trono, Henrique II lhe pede para deixar Aquitaine para o irmão João. Sem aceitar a proposta, Ricardo assume o trono inglês em 1189. Dos dez anos de seu reinado, fica apenas seis meses na Inglaterra. Vende parte do tesouro real para comprar armas, deixa no governo um conselho e parte com o rei da França, Felipe Augusto, filho de Luís VII, para libertar Jerusalém do domínio dos infiéis, dando início à 3ª Cruzada. Em 1191 casa-se com Berengária, de Navarra, com quem não tem filhos. Derrotado na Cruzada, é feito prisioneiro pelo duque Leopoldo da Áustria, que pede uma soma colossal como resgate, já que a Inglaterra é a maior potência econômica da época. Parte do valor é pago e Ricardo é solto em 1194. Em sua ausência, o irmão João, que reina mais tarde como João Sem Terra, manobra com Felipe Augusto para usurpar o trono. O golpe é sufocado, e Ricardo se faz coroar pela segunda vez. Reconcilia-se depois com o irmão e o reconhece como herdeiro do trono. Morre em batalha na região de Châlus, na França.



publicado por LUCIANO às 13:14
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Ricardo Prado

Nadador paulista. É o primeiro a conquistar uma medalha de prata olímpica para a natação brasileira. Ricardo Prado (3/1/1965-) nasce em Andradina, filho de um advogado e de uma médica. Caçula de quatro irmãos nadadores, começa a praticar o esporte aos 5 anos no Andradina Tênis Clube. Incentivado pelo pai, delegado regional da Federação Paulista de Natação, passa a competir desde cedo. Aos 8 anos, é campeão brasileiro mirim nos 50 m borboleta. Aos 12, entra para a seleção brasileira infantil de natação e, dois anos depois, ganha o Troféu Brasil nos 400 m medley. Em 1980, vai morar e treinar em Dallas, no Texas, Estados Unidos, e participa no mesmo ano dos Jogos Olímpicos de Moscou. Dois anos depois, bate o recorde mundial dos 400 m medley com a marca de 4min19s78 no Campeonato Mundial de Guayaquil, Equador. Ganha duas medalhas de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Caracas, na Venezuela, em 1983, nas provas dos 200 m e 400 m medley. Nos Jogos Olímpicos de Los Angeles (1984), firma-se como um dos melhores nadadores do mundo. Ao conquistar a medalha de prata, também nos 400 m medley, torna-se o primeiro brasileiro a ser vice-campeão olímpico de natação. Seu feito é igualado somente em 1996 por Gustavo Borges nas Olimpíadas de Atlanta. Em 1988, encerra a carreira de nadador e dá início à de treinador. Forma-se em economia na Universidade Metodista de Dallas em 1992, ano em que retorna ao Brasil. Passa a residir em São Paulo, onde conclui o curso de educação física na Universidade Ibirapuera, em 1999. É treinador do clube Hebraica.


publicado por LUCIANO às 13:11
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Richard Burton

Explorador inglês (19/3/1821-20/10/1890). Richard Francis Burton nasce em Torquay, Devonshire, e alista-se no Exército em 1842, servindo na Índia por sete anos. Durante esse período, aprende vários idiomas orientais, entre os quais o árabe e o hindi. Em 1853 começa suas expedições com uma visita a Medina e a Meca, na Arábia. É o primeiro ocidental a entrar nessas cidades, disfarçado, já que eram locais de peregrinação proibidos para não muçulmanos. Segue para a Somália, na África, em companhia do explorador inglês John Hanning Speke, na tentativa de localizar a então desconhecida nascente do rio Nilo. A expedição não consegue cumprir o objetivo, mas, numa segunda tentativa, descobre o lago Tanganica, na República Democrática do Congo. Em 1866, Burton ingressa no serviço diplomático britânico e, entre outros locais, serve por algum tempo em Santos, no Brasil. Morre em Trieste, cidade italiana que na época pertencia ao Império Austro-Húngaro. É autor de diversas obras, entre elas Narrativa Pessoal de um Peregrino a Medina e Meca (1855) e Primeiros Passos na África Oriental (1856), além de ter feito uma das mais conhecidas traduções de As Mil e Uma Noites.



publicado por LUCIANO às 13:08
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Richard Fenton Outcault


Desenhista norte-americano (14/1/1863-25/9/1928). Primeiro autor importante de quadrinhos de humor publicados em jornal nos Estados Unidos (EUA). Nasce em Lancaster, no estado de Ohio. Incentivado pelos pais a estudar desenho, forma-se em artes pelo McMicken College, de Cincinnati, e aperfeiçoa a técnica em Paris. Começa a carreira como ilustrador, publicando desenhos nas revistas satíricas Life e Judge. Em 1895 cria o primeiro personagem fixo para o jornal New York World, o Yellow Kid, um menino de rua que arranja muita confusão. A tira, de periodicidade semanal, faz sucesso. Outcault troca o World pelo New York Journal. Ambos os periódicos são de estilo sensacionalista, por isso o Yellow Kid acaba inspirando a expressão yellow journalism, equivalente a "imprensa marrom" no Brasil. A tira irrita grupos conservadores. Por causa das críticas e dos ataques que começa a sofrer, Outcault desiste de continuar as histórias do garoto. Em 1902 inventa outro personagem, o bem-comportado Buster Brown (Chiquinho, no Brasil), que se torna bastante popular na época. Em 1920 deixa os quadrinhos para se dedicar à pintura. Morre em casa, em Nova York.


publicado por LUCIANO às 13:05
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Richard Nixon


Político norte-americano (9/1/1913-22/4/1994). Nasce em Yorba Linda, na Califórnia. Forma-se em direito pela Universidade de Duke, em 1937. Começa na política como deputado (1947) e depois como senador (1951) pelo Partido Republicano, na Califórnia. Ganha fama como incentivador do macarthismo nos anos 50. Após dois mandatos como vice de Dwight Eisenhower, torna-se presidente em 1968 e é reeleito em 1972. Inicia uma política de distensão com o Vietnã, que acaba retirando os Estados Unidos (EUA) da guerra em 1973. Promove a aproximação com a União Soviética e é considerado um dos articuladores do fim da Guerra Fria. É o primeiro presidente norte-americano a visitar a China. Em 1973 chega ao auge uma crise política em seu governo, o caso Watergate, que tem início durante a campanha eleitoral, quando cinco homens são detidos por invadir a sede do Partido Democrata, em Washington. Logo se descobre que a espionagem é parte de uma campanha para reeleger Nixon. O governo nega envolvimento no incidente. Em julho de 1973, o Congresso inicia processo para apurar a responsabilidade criminal do presidente. Investigações do jornal Washington Post comprovam o comprometimento de Nixon e de seus principais auxiliares na operação. Em 1974, Nixon renuncia. Seu sucessor, Gerald Ford, lhe concede anistia. Nixon isola-se em uma fazenda em San Clemente, na Califórnia. Em 1981 volta à política como consultor de polícia internacional. Morre em Nova York.


publicado por LUCIANO às 13:02
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Richard Strauss


Compositor e maestro alemão, é o mais destacado representante da música pós-romântica. Richard Georg Strauss (11/6/1864-8/9/1949) nasce em Munique. Seu pai, trompetista da orquestra do Teatro de Ópera dessa cidade, proporciona-lhe educação musical desde a infância. Começa a compor aos 12 anos. Depois de estudar filosofia na Universidade de Munique, resolve seguir a carreira de regente, exercendo cargos em Meiningen, Munique, Weimar, Berlim e Viena. Alcança fama com poemas sinfônicos, como Don Juan (1888) e Assim Falava Zaratustra (1896). Após 1900 se dedica sobretudo à composição de músicas vocais e óperas, como Salomé (1905),Electra (1906-1908) e A Mulher sem Sombra (1919), todas sucesso de público. A orquestração complexa de sua obra exige técnica apurada de seus intérpretes. Rege concertos que maestros contemporâneos seus se recusam. Aceita em 1933 dirigir a Reichsmusikkammer e é acusado de colaborar com os nazistas. Hostilizado, transfere-se com a família para Viena. É inocentado por um tribunal do pós-guerra e volta para a Alemanha. Morre em Garmisch-Partenkirchen.



publicado por LUCIANO às 13:00
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Richard Wagner


Compositor e regente alemão (22/5/1813-13/2/1883). Principal nome da música romântica alemã e um dos maiores inovadores da ópera. Wilhelm Richard Wagner nasce em Leipzig. Aluno indisciplinado e negligente, inicia-se como autodidata na música e na literatura. Estuda Composição, Filosofia e Estética em sua cidade natal. Nomeado diretor da Ópera de Dresden, fica no cargo até 1849. Ali produz Tannhauser (1845) e Lohengrin (1847). Participa da Revolução de 1849, em Dresden, e é obrigado a fugir para a Suíça onde escreve as obras teóricas A Obra de Arte do Futuro (1850) e Ópera e Drama (1851), a tetralogia O Anel dos Nibelungos (O Ouro do Reno) (1854), As Valquírias (1856), Siegfried (1869) e O Crepúsculo dos Deuses (1874), e a ópera Tristão e Isolda (1859). Desenvolve o uso do leitmotiv (tema principal, recorrente) e da orquestra, que contribuem para a tensão dramática de suas óperas saídas de lendas germânicas. Cria o drama musical, com letra e música intimamente fundidas. Financiado pelo rei Ludwig II, da Baviera, constrói em Bayreuth um teatro com acústica revolucionária, inaugurado em 1876 com a apresentação de O Anel dos Nibelungos. Morre em Veneza, nos braços de uma jovem amante.



publicado por LUCIANO às 12:58
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Rigoberta Menchú


Líder indígena guatemalteca (9/1/1959-). Nasce numa família de agricultores indígenas do interior da Guatemala e, desde pequena, trabalha na lavoura. Adolescente, participa de movimentos de reforma social promovidos pela Igreja Católica e destaca-se na defesa dos direitos da mulher. Em 1979, ingressa no Comitê da União Camponesa (CUC), incentivando a comunidade indígena, que representa 60% da população do país, a resistir à opressão: os nativos não tinham direitos políticos e eram explorados economicamente. Nessa época, seu pai, seu irmão e sua mãe, todos ativistas políticos, são sucessivamente presos, torturados e mortos pelos órgãos de repressão. Procurada pelo governo, Rigoberta primeiro vive na clandestinidade, depois foge para o México. De lá, organiza movimentos de resistência dos camponeses. Em 1982, participa da fundação da organização guerrilheira Representação Unida das Oposições da Guatemala (Ruog). Um ano depois, narra sua vida no livro Eu, Rigoberta Menchú, relato que atrai a atenção da opinião pública mundial. Recebe prêmios de várias entidades internacionais, entre eles o Prêmio Nobel da Paz de 1992, em reconhecimento ao trabalho pela democracia e pelos direitos humanos dos indígenas da Guatemala. No ano seguinte, é nomeada pelas Nações Unidas como Embaixadora de Benevolência e participa da celebração do Ano Internacional dos Indígenas. Em dezembro de 1998, o jornal norte-americano The New York Times contesta a veracidade de fatos da vida de Menchú narrados no livro, mas ela não se pronuncia. É promotora da Década Internacional de Indígenas e conselheira pessoal de Federico Mayor Zaragoza, ex-diretor geral da Unesco. Em 2002, vem ao Brasil para participar do 2º. Fórum Social Mundial em Porto Alegre (RS).



publicado por LUCIANO às 12:55
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Rita Lee


Cantora e compositora paulista. A roqueira mais significativa e de mais longa carreira no país. Rita Lee Jones (31/12/1947-) nasce na cidade de São Paulo, filha de pai dentista, de ascendência norte-americana, e de mãe pianista, de ascendência italiana. Começa a tocar aos 15 anos, quando ganha dos pais uma bateria como presente de aniversário. Em 1965, forma o sexteto Six Sided Rockers com os irmãos Sérgio e Arnaldo Dias Batista. Em 1966, o grupo transforma-se no trio Os Mutantes e vira atração do programa O Mundo de Ronnie Von. Em 1967, acompanha Gilberto Gil no Festival da Record com a música Domingo no Parque. Em 1968, apresenta-se no Festival Internacional da Canção com a música É Proibido Proibir. O trio faz uma carreira relâmpago, marcada pela inovação associada ao tropicalismo que contagia a música brasileira na época. Em 1972, acaba o relacionamento de Rita e Arnaldo, que namoravam desde 1965. Até conhecer o músico Roberto de Carvalho, seu marido, durante as gravações do disco Fruto Proibido, em 1975, Rita segue carreira-solo. Em 1979, os dois lançam o primeiro disco em parceria, o álbum Rita Lee, com Mania de Você e outros sucessos. O casal separa-se musicalmente entre 1990 e 1995 e volta com o disco A Marca da Zorra. Em 1996, Rita ganha o Prêmio Shell pelo conjunto da obra e três prêmios Sharp: melhor cantora, show e disco pop. Em 2001, lança Aqui, Ali, em Qualquer Lugar, no qual interpreta músicas dos Beatles. Em 2003, lança seu 31º disco, Balacobaco.



tags:
publicado por LUCIANO às 12:52
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Rivelino - jogador de futebol (Soccers)

Jogador de futebol paulista (1º/1/1946-). Campeão mundial na Copa de 1970, no México. Roberto Rivellino nasce no bairro da Aclimação, em São Paulo, caçula de três filhos de um técnico de telefonia e pequeno empresário. Passa a infância e a adolescência no bairro do Brooklin, jogando futebol nos campos de várzea da região. Estuda até o ginásio. Aos 16 anos, entra para o juvenil do Corinthians; chega a titular do time três anos mais tarde, vestindo a camisa 10. É campeão dos torneios Rio-São Paulo (1966), do Povo (1971) e Laudo Natel (1973), sem conquistar nenhum campeonato paulista. Em 1966, é convocado para a seleção brasileira pela primeira vez, para um amistoso contra a Hungria. Participa de todas as seleções entre 1968 e 1978, veste a camisa brasileira 121 vezes e joga três Copas do Mundo (1970/1974/1978). Na Copa de 1970, no México, atua fora de posição, pela ponta esquerda. Em 1974, deixa o Corinthians e vai para o Fluminense. É bicampeão carioca em 1975 e 1976, além de ganhar a Taça Guanabara em 1975. Em 1978, é comprado pelo El Helal, da Arábia Saudita, no qual joga até encerrar a carreira, em 1982. Pelo time árabe foi bicampeão regional e campeão da Copa do Rei (campeonato nacional). Após abandonar a carreira, torna-se comentarista esportivo da rede Bandeirantes de televisão e colunista em diversos cadernos de esporte. Abre também uma escolinha de futebol para crianças.


tags:
publicado por LUCIANO às 12:48
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Roald Amundsen


Explorador norueguês (16/7/1872-18/6/1928?). Primeiro homem a atingir o Pólo Sul e um dos primeiros a cruzar o Ártico pelo ar. Nasce na cidade de Borge, perto de Oslo. Em 1897 parte para investigar a costa da Antártica numa expedição belga, a primeira a sobreviver ao rigoroso inverno da região. Viaja posteriormente pelas regiões árticas, com o objetivo de chegar ao Pólo Norte, o que ninguém até então havia conseguido. Seus planos são alterados em 1909, com a notícia de que Robert Peary, engenheiro civil da Marinha americana, já havia alcançado esse ponto. Seu novo destino é o Pólo Sul, para onde vai no ano seguinte. Inicia a travessia pelas geleiras em 19 de outubro de 1911 e, favorecido pelo tempo bom, chega ao Pólo em 14 de dezembro. Sua equipe volta a salvo à base em 25 de janeiro de 1912. Seu rival, o explorador inglês Robert Falcon Scott, atinge o Pólo Sul em 17 de janeiro, mas ele e todos os companheiros morrem durante o retorno. Com o êxito, Amundsen decide ir até o Pólo Norte – o que sempre fora seu grande sonho – por via aérea. Depois de uma tentativa frustrada de chegar lá de aeroplano, é bem-sucedido em 1926, dessa vez em um dirigível e acompanhado pelo piloto americano Lincoln Ellsworth e pelo italiano Umberto Nobile. Morre ao tentar resgatar Nobile após um acidente com um dirigível no oceano Ártico.



publicado por LUCIANO às 12:45
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Robert Koch


Médico e bacteriologista alemão (11/12/1843-27/5/1910). Responsável pelo isolamento do bacilo da tuberculose e do vibrião do cólera. Heirich Hermann Robert Koch nasce em Klausthal, na antiga Prússia, e forma-se em medicina pela Universidade de Göttingen em 1866. Começa a carreira como assistente do hospital de Hamburgo e trabalha em Hanôver e na Posnânia, onde passa a estudar as doenças infecciosas como médico distrital. O cargo permite-lhe dedicar-se aos estudos bacteriológicos. Em 1880 inicia pesquisas sobre a tuberculose. Dois anos depois descobre o bacilo causador da doença, que recebe seu nome. Em 1885 assume a cátedra de higiene da Universidade de Berlim, criada especialmente para ele. No mesmo ano desenvolve a tuberculina, primeiro remédio para o tratamento do mal do século. Financiado pelo governo alemão, funda em seguida o Instituto de Doenças Infecciosas e um hospital anexo. Dedica-se a pesquisas sobre várias doenças humanas e animais, como a hanseníase, a peste bubônica e a malária. Em 1905 recebe o Prêmio Nobel de Medicina. Morre em Baden-Baden.



publicado por LUCIANO às 12:42
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Robert Merton


Economista norte-americano (1944-). Prêmio Nobel de Economia de 1997 por desenvolver, com Myron Scholes, uma fórmula capaz de estimar o valor futuro das ações no mercado acionário. Nasce na cidade de Nova York, estuda na Universidade de Colúmbia e, em 1966, forma-se em engenharia matemática. Quatro anos depois obtém o título de doutor em economia pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). Entre 1970 e 1988 trabalha como professor da área financeira do MIT. Nesse período entra em contato com os economistas Myron Scholes e Fischer Black, que acabam de publicar a fórmula conhecida como Black-Scholes, posteriormente aperfeiçoada por Merton. Ela é usada até hoje por operadores e investidores, em todo o mundo, para estimar o valor futuro das ações nos mercados financeiros. Em 1986, assume o cargo de presidente da Associação Financeira Americana. Premiado por instituições financeiras e de pesquisa de diversas partes do mundo, é eleito membro da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos em 1993. Três anos depois, recebe o título de doutor honoris causa da Universidade de Lausanne, na Suíça, e, em 1997, torna-se doutor honorário da Universidade de Paris. Desde 1988 é também professor da Universidade de Harvard. Participa da Long Term Capital Management (LTCM), empresa especializada em gerenciar investimentos, desde sua fundação, em 1994. Ao contrário do que seria de se esperar, a LTCM fracassa. Mesmo sendo dois especialistas em finanças de sólida formação teórica, Myron Scholes e Robert Merton não conseguem evitar que seu hedge fund quebre em 1998. Dos seis livros que publicou, o mais recente é Finance, em parceria com Z. Bodie.



publicado por LUCIANO às 11:06
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Robert Owen


Industrial e reformador galês (14/5/1771-17/11/1858). Um dos idealizadores do socialismo utópico no século XIX com a proposta de cooperativas. Nasce em Newtown, no País de Gales. Começa a trabalhar como ajudante numa indústria têxtil que emprega 500 operários. Passa a gerente em 1791 e, em 1799, compra uma fiação com dois sócios em Lanarkshire, na Escócia. Convencido de que a mão-de-obra pode ser mais bem aproveitada em uma sociedade cooperativa, propõe, em 1819, a criação de associações nas cidades com até mil pessoas, para ocupar os desempregados. Cria duas cooperativas desse tipo, uma no Reino Unido, em 1839, e outra nos Estados Unidos (EUA), em 1825. As tentativas – em New Harmony, Indiana (1825-1827), e em Queenwood, Hampshire, na Inglaterra (1839-1845) – fracassam em poucos anos, devido a brigas entre os participantes. Owen passa o resto da vida divulgando suas idéias sobre educação, religião e família. Entre os livros que escreve estão Nova Visão da Sociedade (1813-1914) e Relato do Condado de Lanark (1821), sobre a experiência da cooperativa de empregados. Morre em sua cidade natal.



publicado por LUCIANO às 11:04
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Robert Peary


Explorador norte-americano (6/5/1856-20/2/1920). Nasce na cidade de Cresson e, em 1881, entra para a Marinha norte-americana. Cinco anos mais tarde, viaja pelas geleiras da Groenlândia, para onde retorna em 1891. Avança 2,1 mil quilômetros em direção ao noroeste da Groenlândia, na primeira tentativa de encontrar o pólo Norte, onde até então nenhum homem civilizado pisara. Não o atinge, mas verifica que as geleiras constituem, na verdade, uma ilha. Em uma segunda tentativa, constrói o navio Roosevelt, com o qual parte, em 1905, do cabo Sheridan, nas ilhas Ellesmere. Mas não é bem-sucedido. Retorna a Ellesmere em 1908 e prepara-se para a terceira investida. Deixa o cabo Columbia acompanhado de quatro esquimós e chega ao pólo Norte em 6 de abril de 1909. Na volta, descobre que a façanha também é reivindicada pelo explorador Frederick Cook, que afirma ter atingido o pólo em abril do ano anterior. Sem provas, Cook é desacreditado. Peary morre em Washington, D.C. Na década de 1980, pesquisadores que examinaram os diários e outros documentos da expedição de 1908-1909 questionam a chegada do explorador ao pólo Norte. Alguns erros de navegação indicam que ele pode apenas ter estado a 50 quilômetros ou a 100 quilômetros do ponto certo.



publicado por LUCIANO às 11:01
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Robert Scheidt


Iatista paulista. Campeão olímpico e mundial da classe Laser. Robert Scheidt (15/4/1973-) nasce na cidade de São Paulo, caçula dos três filhos de um casal de ascendência alemã. Estuda desde a pré-escola no Colégio Porto Seguro e forma-se em administração de empresas pela Universidade Mackenzieem 1996. Aos 9 anos, começa a velejar com o pai - que chegou a competir em três modalidades de iatismo - na represa de Guarapiranga e em Ilhabela, no litoral paulista. Seu irmão Thomas Scheidt, sete anos mais velho, é campeão mundial da classe Pingüim. Robert também pratica tênis e atletismo, optando pela vela por volta dos 14 anos. Em 1991, chega ao seu título mais importante como juvenil, o de campeão mundial júnior da classe Laser, na Escócia. Em 1992 vence pela primeira vez o campeonato brasileiro. Repete o feito em 1994, 1995, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003 e 2004, quando conquista seu décimo título em Búzios, RJ. Ganha a medalha de ouro nas Olimpíadas de Atlanta (1996) e a prata nas Olimpíadas de Sydney (2000). Scheidt também coleciona ouro nos Pan-Americanos de Mar del Plata, na Argentina (1995), e de Winnipeg, Canadá (1999). Em 2001, conquista em Cork, na Irlanda, seu quinto título mundial da classe laser. É o primeiro brasileiro a ganhar cinco títulos mundiais numa modalidade individual. Os outros títulos foram conquistados em 1995, na Espanha; África do Sul, em 1996; Chile, em 1997; e no México, em 2000. Em 2002, recebe do então presidente Fernando Henrique Cardoso a Cruz da Ordem do Mérito Desportivo, a mais alta condecoração do governo brasileiro aos atletas. No mesmo ano, torna-se hexacampeão mundial da classe laser em Cape Cod, nos Estados Unidos. Em 2003, vence o campeonato pré-olímpico de Atenas, na Grécia, 100º título de sua carreira, e é vice-campeão mundial em Cadiz, na Espanha. Em 2004, torna-se pela sétima vez campeão mundial em Bodrum, na Turquia, e conquista seu segundo ouro olímpico, em Atenas. No final do ano é escolhido pela segunda vez o melhor velejador do ano pela Federação Internacional de Vela, repetindo a indicação de 2001.


publicado por LUCIANO às 10:58
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Robert Wilson


Físico e astrônomo norte-americano (10/1/1936-). Prêmio Nobel de Física de 1978 pela elaboração da teoria sobre a origem do Big Bang. Robert Woodrow Wilson nasce em Houston, Texas. Estuda na Rice University, em Houston, e no California Institute of Technology, onde se doutora em 1962. De 1963 a 1976, trabalha na Bell Telephone Laboratories, em Holmdel, Nova Jersey, e, em colaboração com Arno Penzias, observa as emissões de rádio oriundas da nuvem anelada que circunda a Via Láctea. Descobre, em 1964, a radiação de fundo, de microondas, que parece permear o cosmo. O achado corrobora a teoria do Big Bang sobre a origem do Universo, iniciada com uma grande explosão há bilhões de anos. A partir de 1976, assume a direção do departamento de pesquisa de ondas de rádio do laboratório Bell. Dois anos depois, recebe com Penzias o Nobel de Física. Torna-se membro da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos em 1979, entre outras instituições de astronomia e de ciência. Atualmente, é também professor da Universidade de Nova York.



publicado por LUCIANO às 10:56
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Roberto Burle Marx


Paisagista, pintor e designer paulista. Projetista de renome mundial, responsável pelos jardins do Plano Piloto de Brasília e por importantes parques no Brasil e exterior.Roberto Burle Marx (4/8/1909-4/6/1994) nasce em São Paulo e muda-se com a família para o Rio de Janeiro aos 4 anos. Em 1928 viaja para a Alemanha, onde faz pesquisas sobre plantas tropicais nos jardins botânicos de Dahlem, em Berlim. Volta ao Brasil em 1930 e começa a estudar na Academia Nacional de Belas-Artes, no Rio. Desenvolve um trabalho paisagístico associado à arquitetura modernista brasileira, atuando ao lado de arquitetos como Lúcio Costa, autor do plano de urbanização de Brasília e do edifício do Ministério da Educação e Saúde, cujos jardins são criados por Burle Marx em 1938. Entre seus projetos dos anos 50 estão o plano paisagístico da praia de Botafogo, no Rio, o Parque do Ibirapuera, em São Paulo, e o Parque del Este, em Caracas, Venezuela. Realiza diversas obras no exterior, como os jardins do edifício da Unesco, em Paris (1963). Na década de 70 faz os jardins das embaixadas norte-americana e iraniana, em Brasília, e o do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (1978). Morre aos 84 anos, em seu sítio em Barra de Guaratiba, no Rio de Janeiro.



publicado por LUCIANO às 10:52
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Roberto Campos

Economista, diplomata e político mato-grossense. Principal representante do capitalismo liberal, é responsável pela fundação do Sistema Financeiro da Habitação (SFH). Roberto de Oliveira Campos (17/4/1917-9/10/2001) nasce em Cuiabá. Estuda em seminários nas cidades mineiras de Guaxupé e Belo Horizonte, mas não se ordena sacerdote. Em 1938, ingressa na carreira diplomática e é nomeado para a Divisão Comercial do Ministério das Relações Exteriores. Forma-se em economia na mesma época e, em 1944, participa da delegação brasileira presente à Conferência de Bretton Woods, nos Estados Unidos, na qual são instituídos o Banco Mundial e outros organismos de cooperação financeira internacional do período pós-guerra. Atua no BNDE (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico) a partir de 1952 como diretor econômico, superintendente e, finalmente, presidente em 1958 e 1959. Deixa o banco e torna-se embaixador nos EUA de 1961 a 1964. Em abril de 1964, torna-se ministro extraordinário do Planejamento do governo Castello Branco e elabora o Plano de Ação Econômica do Governo - PAEG, que define a criação do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), Sistema Financeiro da Habitação (SFH), o Banco Central do Brasil e o Conselho Monetário Nacional. Deixa o ministério em 1967. Após passagens pela iniciativa privada, torna-se embaixador em Londres de 1975 a 1982. Neste último ano, elege-se senador por Mato Grosso. É eleito deputado federal pelo Rio de Janeiro em 1990 e conquista um segundo mandato em 1994. É autor de diversos livros, entre os quais Economia, Planejamento e Nacionalismo (1963), A Moeda, O Governo e o Tempo (1964), Ensaios contra a Maré (1969), A Nova Economia Brasileira (1974) e o livro de memórias Lanterna de Popa (1994). Em agosto de 2001, é internado em estado grave com forte pneumonia no Rio de Janeiro. Membro da Academia Brasileira de Letras e um dos maiores representantes brasileiros do liberalismo econômico, morre de infarto enquanto dormia, em sua residência, no Rio de Janeiro.



publicado por LUCIANO às 10:49
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Roberto Carlos


Cantor e compositor popular capixaba. Líder da Jovem Guarda, é considerado o rei da juventude nos anos 60, por influenciar comportamentos e lançar moda entre os jovens. Roberto Carlos Braga (19/4/1941-) nasce em Cachoeiro do Itapemirim, filho de um relojoeiro e de uma costureira. Na infância, canta músicas de Bob Nelson na Rádio de Itapemirim. Em 1955, muda-se com a família para Niterói e, em seguida, para o Rio de Janeiro, cidades nas quais cursa o colegial (atual ensino médio). Em 1958, conhece Erasmo Carlos e com ele e outros amigos forma o conjunto The Snacks. Trabalha depois como crooner na boate Plaza, cantando bossa nova. Grava o primeiro disco em 1959, sem muita repercussão. Por sugestão da gravadora, muda de estilo e adere ao rock. Em 1964, lança o disco É Proibido Fumar, que inclui a faixa O Calhambeque, torna-se sucesso nacional e recebe o Prêmio Roquette-Pinto, o mais prestigiado da época. Em 1965, passa a comandar o programa semanal Jovem Guarda (TV Record), ao lado de Erasmo Carlos e Wanderléa, seus parceiros mais freqüentes. Em novembro lança o disco Jovem Guarda, que bate o recorde nacional de vendagem com o sucesso Quero Que Vá Tudo pro Inferno, composta em parceria com Erasmo Carlos. Lança moda, gestos, cortes de cabelo e gírias adotados nacionalmente. Atua em filmes como O Diamante Cor-de-Rosa e Em Ritmo de Aventura. Com o fim de seu programa na TV, em 1968, participa do festival de San Remo, na Itália, vencendo-o com a música Canzone per Te (Sérgio Endrigo e Bardotti), o que dá início à carreira internacional. Como compositor, estabelece um padrão de canções românticas, como em Detalhes, Emoções e Sua Estupidez. Em 1989, recebe o Prêmio Grammy, nos Estados Unidos (EUA), como o melhor intérprete de música popular latina. Em dezembro de 1999, perde a mulher, Maria Rita, vítima de câncer. É pai de três filhos, Segundinho e Luciana, do primeiro casamento com Cleonice Rossi, e Rafael, reconhecido depois de um exame de DNA, em 1991. Em 2001, gravou o Acústico MTV. A gravação, no entanto, rendeu uma briga entre a emissora e a Rede Globo que detém um contrato de exclusividade com o artista até 2002. Assim, apenas três músicas são transformadas em clipes e o acústico não é exibido. Em 2002, saem o CD e o DVD do Roberto Carlos Acústico MTV. Em 2003, depois de 13 anos e inúmeros recursos, o Superior Tribunal de Justiça confirma que a canção O Careta, lançada por Roberto Carlos em 1987, é um plágio da canção Loucuras de Amor, do compositor Sebastião Braga.



publicado por LUCIANO às 10:45
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Roberto Marinho

Empresário e jornalista fluminense. Proprietário do maior complexo de comunicação do país, as Organizações Globo. Roberto Marinho (3/12/1904-6/8/2003) nasce na cidade do Rio de Janeiro. Seu pai, jornalista Irineu Marinho, morre em 1925, um mês depois de fundar o jornal O Globo, em que Roberto atuava como repórter aos 21 anos. Recusa-se a comandar o jornal por sentir-se inexperiente, e nele passa por vários cargos até assumir a direção, em 1931. Em 1965, entra para o campo da televisão, além de organizar o sistema Globo de Rádio e a Rio Gráfica Editora, que mais tarde torna-se a Editora Globo. Em 1977, cria a Fundação Roberto Marinho, com programas de cultura, educação, esporte e preservação do patrimônio histórico nacional. Sob sua direção, a Rede Globo transforma-se na maior cadeia de TV do país e em uma das maiores do mundo, exportando programas para mais de 50 países. O grupo inclui também a Globo Cabo, a rede CBN de rádio e a Editora Globo. Dono de um grande acervo de artes plásticas, apaixonado por caça submarina e hipismo, é fundador também da Sociedade Hípica Brasileira. Em 1993, é eleito para a Academia Brasileira de Letras (ABL). Casado pela terceira vez, passa pouco a pouco o controle das Organizações Globo aos quatro filhos, estando, porém, sempre presente. É dono de um patrimônio pessoal avaliado em mais de US$ 1 bilhão e de um império empresarial que chega a um faturamento anual de US$ 5,7 bilhões, recebendo cerca de 60% do investimento publicitário do País. Em 2002, agrava-se a crise financeira da holding das organizações Globo, a Globopar, que fecha o primeiro semestre com um prejuízo de quase 2 bilhões de reais. Vítima de um edema pulmonar, o empresário Roberto Marinho morre na noite do dia 6 de agosto de 2003, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro. Ele deixa viúva Lily de Carvalho e três filhos - Roberto Irineu, José Roberto e João Roberto –, além de netos e bisnetos.



publicado por LUCIANO às 04:55
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Roberto Santos

Cineasta paulista. É um dos precursores da temática nacional nos filmes brasileiros e um dos iniciadores do cinema novo.Roberto Santos Pinhanez (15/4/1928-3/5/1987) nasce na cidade de São Paulo. Entre 1950 e 1952, cursa o Seminário de Cinema. Trabalha como continuísta nos estúdios da Multifilmes e como assistente de direção na Companhia Vera Cruz. Participa da produção de Rio 40 Graus (1954) e de Rio Zona Norte (1957), de Nelson Pereira dos Santos. Em 1957 faz O Grande Momento, seu filme de estréia como diretor, que utiliza a linguagem do neo-realismo italiano para retratar problemas brasileiros. Para Santos, o significado e a poesia devem ser extraídos do cotidiano, da vida dos simples e dos humildes. Nos anos seguintes realiza curtas-metragens sob encomenda. Em 1966 passa a ensinar cinema e roteiro na Escola Superior de Comunicações de São Luís, Maranhão, e em 1969 na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (USP). Volta aos longas-metragens com A Hora e a Vez de Augusto Matraga (1965), até hoje considerada a melhor adaptação para a tela de uma obra de Guimarães Rosa, e O Homem Nu (1967), baseado em conto de Fernando Sabino. Na década de 70 dirige, entre outros, os longas Um Anjo Mau (1971) e Os Amantes da Chuva (1978). Seu último filme é Quincas Borba (1986), uma adaptação do romance homônimo de Machado de Assis para os dias atuais. Morre em São Paulo, vítima de infarto.


publicado por LUCIANO às 04:53
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Roberto Simonsen

Engenheiro, empresário e economista fluminense. É um dos maiores ideólogos da indústria brasileira na primeira metade do século XX. Roberto Cochrane Simonsen (18/2/1889- 25/5/1948) nasce na cidade do Rio de Janeiro, filho de escoceses. Ainda criança se muda para Santos, transferindo-se mais tarde para São Paulo, onde cursa o nível secundário. Antes de completar 15 anos ingressa na Faculdade de Engenharia Civil da Escola Politécnica. Em 1912 funda a Companhia Construtora de Santos, pioneira em planejamento urbano. Assume sua primeira posição de líder empresarial aos 33 anos, como presidente do Sindicato Nacional dos Combustíveis Líquidos. Em 1928, ao lado de Francisco Matarazzo e José Ermírio de Moraes, cria o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp). Após um período de exílio em Buenos Aires - em virtude de seu apoio à Revolução Constitucionalista de 1932 -, retorna ao Brasil e inaugura o Instituto de Organização Nacional do Trabalho, destinado à orientação profissional. No ano seguinte funda a Escola Livre de Sociologia e Política, em São Paulo, na qual leciona o curso de história econômica do Brasil. Uma síntese das aulas é reunida na obra de mesmo nome, editada em 1937. Idealiza o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), o Serviço Social da Indústria (Sesi) e o Instituto de Organização Científica do Trabalho. Casado, pai de quatro filhos, exerce ainda os cargos de deputado federal (1934) e senador (1946). É o primeiro economista a ocupar uma cadeira na Academia Brasileira de Letras, em cujo plenário morre durante um discurso ao primeiro-ministro da Bélgica. Em sua homenagem, a data do aniversário de sua morte é escolhida como o Dia da Indústria.



publicado por LUCIANO às 04:50
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Rodrigo Pessoa


Cavaleiro brasileiro. Tricampeão mundial de hipismo e ganhador de medalha de bronze nas Olimpíadas de Atlanta (1996) e Sydney (2000). Rodrigo de Paula Pessoa (29/11/1972-) nasce em Paris (França), onde sua família vivia desde 1960. Filho do jóquei carioca Nelson Pessoa Filho (Neco), um dos principais do Brasil, aprende a montar com 5 anos. Participa de seu primeiro campeonato em 1981, em Hickstead (Inglaterra), na classe pônei. Aos 12, muda-se para a Bélgica com a família e, ainda em 1984, ganha o campeonato belga de pônei. Conclui o 2º grau aos 17 anos e pára de estudar para dedicar-se exclusivamente ao hipismo. Apesar de nunca ter morado no Brasil, opta pela cidadania brasileira aos 18 anos. É o jóquei mais jovem das Olimpíadas de Barcelona (1992), ficando em nono lugar na classificação individual. Em 1992, conquista seu primeiro grande prêmio na Copa do Mundo, em Malines (Bélgica). Em 1995, ganha a medalha de ouro por equipe nos Jogos Pan-Americanos de Mar del Plata (Argentina). No ano seguinte, vence o Grande Prêmio da Alemanha, recebe o título de melhor cavaleiro em Paris (França) e Zurique (Suíça) e fica com a medalha de bronze por equipe nos Jogos Olímpicos de Atlanta. Em 1998, conquista a Copa do Mundo em Helsinque (Finlândia) e o Campeonato Mundial em Roma (Itália). No ano seguinte, vence pela segunda vez a Copa do Mundo em Gotemburgo, na Suécia, chegando ao segundo lugar no ranking mundial de hipismo na categoria sênior. Em 2000, conquista o tricampeonato nessa competição, o mais importante resultado de um jóquei brasileiro em disputas internacionais; em Sydney, no torneio de saltos por equipe, ganha sua segunda medalha de bronze olímpica. Acaba vice campeão da Copa do Mundo de 2001, montando Baloubet du Rouet. No mesmo ano, chega em primeiro lugar no Grande Prêmio de Milão também com Baloubet du Rouet. Em 2002, é vice-campeão da Copa do Mundo de Hipismo, repetindo o resultado em 2003. Em 2004 conquista a prata individual nas Olimpíadas de Atenas.



publicado por LUCIANO às 04:48
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Rogério Sganzerla

Cineasta catarinense (4/5/1946-9/1/2004). Nascido em Joaçaba, muda-se para São Paulo no começo dos anos 60. Freqüentador das sessões da Cinemateca Brasileira, interessa-se profundamente pela obra do diretor norte-americano Orson Welles. Jornalista e crítico de cinema, escreve para o Suplemento Literário do jornal O Estado de S. Paulo, entre 1964 e 1967, tendo passado também pelo Jornal da Tarde, Folha da Tarde e Folha de S.Paulo. Em 1966, filma Documentário, trabalho em 16 milímetros. Mergulhado na Boca do Lixo, zona de prostituição na cidade de São Paulo, dirige em 1968 O Bandido da Luz Vermelha, um retrato anárquico da região. A fita causa polêmica no meio cinematográfico e é acusada pelos adeptos do cinema novo de ser decadente e despolitizada. A seguir, Sganzerla faz A Mulher de Todos (1969) e Abismu (1977), em que se mantém fiel à linha marginal com doses de irreverência. Em 1970, funda, no Rio de Janeiro, a produtora Belair, em parceria com Júlio Bressane, e juntos partem para a realização de filmes de baixo custo, como Sem Essa Aranha, Copacabana Mon Amour e Carnaval na Lama. No mesmo ano, Sganzerla roda em vários países africanos o documentário Fora do Baralho. Em 1980, retoma seu interesse por Orson Welles e dirige três documentários sobre a passagem dele pelo Brasil, no início da década de 40: Nem Tudo É Verdade (1985), Linguagem Orson Welles (1990) e Tudo É Brasil (1997). Dirige também Oswaldianas-Perigo Negro, de 10 minutos de duração, em 1992. Em 1997, lança Tudo É Brasil. Em 2002, lança o livro Por um Cinema sem Limite. Em 2003, debilitado por um câncer no cérebro, lança O Signo do Caos, que o diretor define como um anti-filme, abordando mais uma vez à malsucedida passagem de Orson Welles pelo país, desta vez como pano de fundo para criticar os vícios da produção cinematográfica brasileira. Morre em janeiro de 2004, sucumbindo ao câncer.


publicado por LUCIANO às 04:45
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Ronaldo Fenômeno

Jogador de futebol carioca (22/9/1976-). Eleito três vezes pela Fifa (Federação Internacional de Futebol Association) melhor jogador de futebol do mundo. De família pobre, Ronaldo Luiz Nazário de Lima nasce no subúrbio carioca de Bento Ribeiro, caçula de três filhos. Com 5 anos, começa a jogar no Social Ramos e, aos 14, torna-se profissional. Em 1990, não é aceito pelo Flamengo e, no ano seguinte, transfere- se para o São Cristóvão. Em 1993, vai para o Cruzeiro de Belo Horizonte, marca 58 gols em 60 partidas, transforma-se no artilheiro do campeonato estadual e da Supercopa sul-americana, e é campeão mineiro de 1994. No mesmo ano, é convocado para a seleção brasileira. Não chega a jogar, mas a equipe conquista o título mundial na copa disputada nos Estados Unidos. Logo em seguida, o PSV Eindhoven, da Holanda, paga 6,5 milhões de dólares por seu passe. Marca 44 gols em 56 jogos e torna-se o maior goleador da Copa Holandesa. Seu time é vice-campeão em 1995 e campeão em 1996. No mesmo ano, o Barcelona, da Espanha, o contrata por 20 milhões de dólares e a Fifa o elege o melhor jogador do mundo, façanha que repete em 1997. É então contratado pela Internazionale, de Milão, por 50 milhões de dólares, e seu salário anual dobra de 2 milhões para 4 milhões de dólares. Em 1998, sofre uma convulsão no dia da decisão da Copa da França. No início do ano seguinte, sofre uma contusão no tendão patelar do joelho direito que o afasta dos gramados. Em setembro de 1999, anuncia que engravidou a namorada, a jogadora de futebol Milene Domingues, e casa-se com ela em dezembro. Em 12 de abril de 2000, Ronaldinho, recuperado de uma primeira cirurgia no joelho direito que o deixara cinco meses longe da bola, reaparece numa partida contra o Lazio na final da Liga da Itália. Logo no começo do jogo, sofre nova contusão no mesmo joelho, essa de maior gravidade, que o deixa fora dos gramados até agosto de 2001, quando retorna em uma partida amistosa. Na Copa do Mundo de 2002, reabilita a fama de artilheiro marcando oito dos gols que levaram a Seleção Brasileira ao pentacampeonato. Logo depois, vai para o Real Madrid da Espanha, onde se torna campeão do Mundial Interclubes. Ainda em 2002, torna-se o primeiro jogador a ser distinguido com o prêmio de melhor jogados do ano da Fifa. Em 2003, volta a ser indicado pela Fifa para o prêmio, mas perde para o francês Zinedine Zidane, que iguala o recorde de Ronaldo. Nomesmo ano, o jogador e Milene Domingues separam-se. Atualmente Ronaldo está jogando no Milan da Itália.



publicado por LUCIANO às 04:41
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Roquette-Pinto


Antropólogo fluminense. Um dos pioneiros da radiofonia e televisão no país. Fundador da Rádio Ministério da Educação e Cultura.Edgard Roquette-Pinto (25/9/1884-18/10/1954) nasce na cidade do Rio de Janeiro. Formado pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, escreve seu primeiro trabalho, Os Sambaquis, em 1906, ainda como assistente de antropologia no Museu Nacional. Durante o período de 1907 a 1908, participa da missão Rondon, explorando o noroeste de Mato Grosso. Realiza, em 1912, uma expedição para reunir dados sobre os índios parecis e nhambiquaras da região entre o rio Madeira e Juruena, descrita no livro Rondônia (1917). Nessa expedição faz uso pioneiro de câmeras e aparelhagem de som para documentação etnográfica. Em 1923 funda a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro (mais tarde Rádio Ministério da Educação e Cultura) e a Rádio Escola Municipal da prefeitura do Distrito Federal (depois Rádio Roquette-Pinto). Em 1926 torna-se diretor do Museu Nacional. Expõe sua visão otimista do Brasil em Seixos Rolados (1927) e Ensaios de Antropologia Brasiliana (1933). Em 1937 funda e dirige o Instituto Nacional do Cinema Educativo, mesmo ano em que orienta a parte histórica do filme O Descobrimento do Brasil. Em 1940 grava o documentário Argila, sobre a arte marajoara. Torna-se membro da Academia Brasileira de Letras e um dos fundadores do Partido Socialista Brasileiro.



publicado por LUCIANO às 04:38
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Rubem Braga


Cronista capixaba. É o único escritor a conquistar destaque na literatura brasileira escrevendo exclusivamente crônicas.Rubem Braga (12/1/1913-19/12/1990) nasce em Cachoeiro do Itapemirim. Ainda estudante assina uma coluna diária no jornal Diário da Tarde, de Belo Horizonte. A partir dos anos 30 passa a trabalhar para diversos jornais e revistas. Forma-se em direito em 1932, mas não abandona o jornalismo. Durante a II Guerra Mundial acompanha como correspondente as tropas da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na Itália. Na volta relata essa experiência no livro Com a FEB na Itália (1945). Em 1950 passa um ano em Paris, para onde volta em 1955 como chefe do Escritório Comercial do Brasil. É embaixador no Marrocos de 1961 até 1963. Suas crônicas, de intenso lirismo, falam de acontecimentos do cotidiano, paisagens e estados de alma. São publicadas em jornais e livros, como Ai de Ti, Copacabana! (1960) e A Traição das Elegantes (1967). Morre no Rio de Janeiro.



publicado por LUCIANO às 04:35
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Rubem Fonseca


Romancista, contista e roteirista mineiro. José Rubem Fonseca (11/5/1925-) nasce em Juiz de Fora mas vive no Rio de Janeiro desde os 8 anos. Em 1948, forma-se em direito e trabalha no Departamento Federal de Segurança Pública de 1950 a 1958. Em 1954, cursa administração e relações públicas na Fundação Getúlio Vargas (FGV) do Rio e passa a lecionar na instituição. Estréia na literatura com o livro de contos Os Prisioneiros (1963) e inova ao tratar da violência com extremo realismo e linguagem cinematográfica. Seus personagens retratam o submundo da Zona Sul carioca: lutadores de boxe, policiais, ninfomaníacas, assassinos. Em 1965, lança A Coleira do Cão. Vence o concurso de contos da Fundação Educacional do Paraná, em 1969, com o livro Lúcia MacCartney. Seu livro Feliz Ano Novo (1975) é proibido pelo regime militar. No início dos anos 90, adapta para o cinema seu romance A Grande Arte (1983). Em 1993, a TV Globo transforma em minissérie o romance Agosto (de 1990). O livro de contos Histórias de Amor e o romance E do Meio do Mundo Prostituto Só Amores Guardei ao Meu Charuto são lançados ambos em 1997. Em 2000, lança a novela O Doente Molière e, no ano seguinte publica o livro de contos Secreções, Excreções e Desatinos. Em 2003, lança seu 23º livro, Diário de um Fescenino. No mesmo ano, é agraciado com o prêmio Luís de Camões, principal prêmio de literatura da língua portuguesa, e recebe em Guadalajara, no México, o prêmio Juan Rulfo de Literatura Latino-Americana.


publicado por LUCIANO às 04:33
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Ruben Berta

Empresário gaúcho. É o responsável por transformar a Varig (Viação Aérea Rio-Grandense) na maior companhia de aviação do Brasil.Ruben Martin Berta (5/11/1907-14/11/1966) nasce em Porto Alegre, descendente de alemães e húngaros. Ainda criança, quando o pai contrai tuberculose, começa a trabalhar na loja de tecidos de seu padrinho para ajudar no sustento da casa. Por meio de um anúncio de jornal, é o primeiro contratado da Varig, em 1927. Realiza diversas tarefas, trabalhando como faxineiro, guarda-livros, carregador de malas, datilógrafo e caixa. Com o passar dos anos se torna o braço direito de Otto Ernst Meyer na administração da empresa. Em 1941, durante a II Guerra Mundial, Meyer renuncia a sua função, pois temia ser alvo de violência por causa de sua origem alemã. Érico de Assis Brasil é o indicado para suceder Meyer na presidência da Varig, mas, como falece duas semanas depois, os acionistas aprovam o nome de Ruben Berta. Dedicado ao trabalho, Berta costumava ficar na empresa mais de dez horas por dia. Inaugura a linha Porto Alegre-Montevidéu em 1942, Porto Alegre-Rio de Janeiro em 1946 e Rio-Nova York surge em 1955, e os contratos para viagens à Europa, à África e ao Oriente Médio são assinados em meados dos anos 60. Em 1945 convence os acionistas da empresa a criar uma fundação de funcionários. Hoje, essa fundação, que recebeu seu nome, controla 87,5% da companhia. Na década de 50 recusa dois convites para ocupar um ministério no governo de Juscelino Kubitschek. Autodidata, estuda botânica, mineralogia e agricultura. Casado com Wilma Berta, tem duas filhas e sete netos. Morre de infarto, no Rio de Janeiro.


publicado por LUCIANO às 04:30
Terça-feira, 12 DE Fevereiro DE 2008

Rubens Gerchman

Artista plástico carioca (10/1/1942-). Um dos nomes mais importantes da pop art no Brasil. Começa a estudar na Escola Nacional de Belas-Artes em 1962. Dois anos depois, realiza a primeira de várias exposições na Galeria Jean Boghici. Em 1967, participa da Mostra Nova Objetividade, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, onde apresenta a pintura Lindonéia, trabalho baseado nas idéias do tropicalismo. Radica-se nos Estados Unidos no ano seguinte e é um dos fundadores do Museu Imaginário Latino-Americano de Nova York. Faz palestras na Universidade de Princeton e produz a obra Poemas de Bolso (1972). De volta ao Brasil, edita as gravuras Parangolés Cape, de Hélio Oiticica, e cria a revista Malasartes. Em 1975, assume a direção do Instituto de Belas-Artes do Rio de Janeiro, transformado na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Ainda nos anos 70 dá aulas experimentais, nas quais os alunos desenham e pintam com o corpo em movimento, e expõe no México, na Guatemala, na Colômbia, no Peru, na Venezuela e no Panamá. Entre 1980 e 1986, participa do Fórum de Arte Contemporânea da Cidade do México. Também expõe na 21ª Bienal de Arte de São Paulo, em 1991. Realiza exposições individuais no Museu Nacional de Belas Artes em 1994 e no Paço Imperial em 1995, ambas no Rio de Janeiro. Em 2000, lança um álbum com 32 litografias, primeiro volume da coleção Cahier d'Artiste, da Lithos Edições de Arte. Em 2002, lança o livro Caixa de Fumaça e, pouco tempo depois, é internado em Nova York com infecção hospitalar causada por um exame de cateterismo.



publicado por LUCIANO às 04:27

pesquisar

 

Fevereiro 2008

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9

comentários recentes

  • quando cipriano sai da cadeia pq ele decide ir par...
  • Acabei de ler "As Regras do Tagame":http://numadel...
  • Boa iniciativa, a de publicar biografias relevante...
  • O Barão de Cotegipe é um grande pers...
  • este é o escultor victor brecheret, não é aldo bon...
  • Para saberem mais sobre Ledoux sigam este link:htt...
  • Caro amigo, esta "biografia" do sr.Amador Aguiar e...
  • CIRO, O GRANDE!!!!!!!!!!!!WHITE PRIDE!!!!!!!!!!!!w...
  • Muito interessante!Tenho um texto muito parecido n...
  • your blog is really good! http://sot77.blogspot.co...

Posts mais comentados

arquivos

Feedjit

Visitantes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro