mais sobre mim

subscrever feeds

tags

todas as tags

Visitas Hoje

Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

MARYLIN MONROE - Atriz de cinema norte-americana


Atriz de cinema norte-americana (1º/6/1926-5/8/1962), o maior símbolo sexual da América nos anos 50. Seu nome verdadeiro é Norma Jean Mortenson. Nascida em Los Angeles, passa a infância em orfanatos ou lares adotivos. Ex-operária de uma fábrica de armamentos na época da II Guerra Mundial, aos 20 anos já está divorciada do primeiro marido, James Daugherty. Trabalha como modelo fotográfico e, a partir de 1948, consegue pequenos papéis no cinema. A grande oportunidade vem com um papel secundário em O Segredo das Jóias (1950), do diretor John Huston. Com Os Homens Preferem as Loiras (1953), atinge o estrelato. Depois vêm sucessos como O Pecado Mora ao Lado (1955), em que surge de vestido esvoaçante sobre um respiradouro do metrô, numa das cenas mais célebres do cinema, e Quanto Mais Quente Melhor (1959), em que contracena com Tony Curtis e Jack Lemmon. Tem uma vida pessoal conturbada. O casamento com o mítico jogador de beisebol Joe di Maggio, em 1955, dura apenas nove meses. No ano seguinte casa-se com o dramaturgo Arthur Miller, de quem se divorcia em 1961, mesmo ano de seu último filme, Os Desajustados (1961). Nessa época são fortes os rumores de um suposto romance com o então presidente John Kennedy, para quem canta Parabéns a Você na festa de aniversário dele. Depressiva e dependente de soníferos, é encontrada morta por overdose em Los Angeles.

publicado por LUCIANO às 17:00
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mário Covas

Político paulista (21/4/1930-6/3/2001). Ex-governador de São Paulo. Mário Covas Júnior nasce em Santos, filho de um corretor de café. Faz o primário e o secundário na cidade e estuda engenharia civil na Universidade de São Paulo. De volta a Santos, segue carreira política e elege-se deputado federal em 1962. Reeleito pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB) em 1966, tem os direitos políticos cassados pela ditadura militar por dez anos em 1969. Só retorna à vida pública em 1979, quando assume a presidência do MDB paulista. É eleito em seguida deputado federal e, em 1983, é nomeado prefeito de São Paulo pelo então governador Franco Montoro. Ao terminar o mandato, elege-se senador pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) em 1986, com a votação recorde de 7,7 milhões de votos. Sofre um infarto e é obrigado a se submeter a uma angioplastia durante essa campanha. Em 1987 passa por uma cirurgia cardíaca para receber três pontes de safena, mas volta ao Senado a tempo de liderar o PMDB nos trabalhos da Assembléia Nacional Constituinte. O senador perde, no primeiro turno, a disputa para a Presidência da República em 1989, quando concorre, entre outros, com Fernando Collor e Lula. Só volta a ocupar um cargo executivo em 1994, como governador de São Paulo. Reeleito em 1998, é internado com diagnóstico de câncer na bexiga a pouco menos de um mês da posse. Assume o governo no dia 10 de janeiro de 1999, depois de ser operado com sucesso, em São Paulo, e de passar por três sessões de quimioterapia. Porém, nos anos seguintes seu estado de saúde piora e exames médicos indicam 70% de probabilidade de reincidência do câncer. As metástases se sucedem, atingindo os intestinos e, depois, a meninge. Mário Covas tem, durante a doença, um comportamento raro entre políticos: orienta seus médicos para que contem à imprensa a verdade sobre seu estado de saúde. O governador paulista morre em 6 de março de 2001, às 5h30, no Instituto do Coração, em São Paulo.



publicado por LUCIANO às 16:58
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mário Cravo Neto


Artista plástico, escultor e fotógrafo baiano. Um dos mais importantes fotógrafos brasileiros, tem seu trabalho conhecido em todo o mundo. Mario Cravo Neto (20/4/1947-) nasce em Salvador. É criado num ambiente artístico; seu pai, Mario Cravo Filho, é um dos principais nomes da escultura brasileira. Inicia as primeiras experiências como escultor aos 17 anos. Nessa época, viaja para Berlim com o pai e entra em contato com artistas e intelectuais europeus. Retorna ao Brasil em 1965 e, avesso ao universo escolar, finaliza seus estudos secundários apenas para contentar a mãe. Em 1968, muda-se para Nova York para estudar na Art Student League sob a orientação do artista plástico Jack Krueger, um dos precursores da arte conceitual. O período de dois anos em que permanece nos Estados Unidos foi de importância fundamental para delinear sua carreira futura. Passa a dedicar-se mais intensamente à fotografia. São dessa época suas fotos relacionadas aos aspectos da solidão humana na grande metrópole. Ao mesmo tempo, desenvolve esculturas em acrílico em que usa a técnica do "terrarium", plantio e cultivo de plantas vivas em ambientes fechados. Retorna ao Brasil em 1970 e, pela primeira vez, mostra no país, na XI Bienal Internacional de São Paulo, as esculturas vivas realizadas em Nova York. A partir de 1975, passa a produzir publicações e a tomar parte de exposições no Brasil e no exterior. Em 1986, abandona a escultura para dedicar-se exclusivamente à fotografia. Seu trabalho, centrado no homem e na temática social, tem forte inspiração étnica. Os índios e a população negra da Bahia são seus assuntos mais freqüentes, sempre associados a seu ambiente. Ganha prestígio internacional e participa de mostras individuais e coletivas em vários países. Em 1999, expõe com sucesso no Centro de Fotografia da Universidade de Salamanca, na Espanha, e publica pela Áries Editora Salvador, um volume com 180 fotografias coloridas de página inteira e textos de Jorge Amado, Padre Antônio Vieira e Wilson Rocha. O livro Laróyè, lançado no ano seguinte, traz outras 140 imagens em cores, além de textos escritos por Edward Leffingwell e Mario Cravo Júnior. Em 2002, lança The Eternal Now, reunindo 137 fotos em preto-e-branco produzidas entre os anos 1970 até 2000.



publicado por LUCIANO às 16:55
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mário de Andrade


Intelectual e escritor paulista. Um dos maiores estudiosos de folclore, música e literatura da história do país e um dos organizadores da Semana de Arte Moderna de 1922.Mário Raul de Morais Andrade (9/10/1893 - 25/2/1945) nasce na capital paulista e forma-se em música no Conservatório Dramático e Musical de São Paulo. Sob o pseudônimo de Mário Sobral, estréia na poesia com a obra pré-modernista Há uma Gota de Sangue em Cada Poema (1917). Além de poeta, é ficcionista, ensaísta, contista, folclorista, professor, crítico literário e de artes. Corresponde-se com vários escritores e pintores, como Manuel Bandeira e Anita Malfatti. Organiza com Oswald de Andrade a Semana de Arte Moderna de 1922. No mesmo ano publica Paulicéia Desvairada, cujo "Prefácio Interessantíssimo" lança as bases estéticas do modernismo. Colabora com as revistas Klaxon, Estética, Terra Roxa e Outras Terras. Em 1925, seu livro de ensaios A Escrava Que Não É Isaura o afirma como um dos grandes teóricos do movimento. Três anos depois, em Macunaíma, traça um perfil do brasileiro, com seus defeitos e virtudes, criando a saga do "herói sem caráter", numa mistura de romance, epopéia, mitologia, folclore e história. Escreve, entre outros livros, Belasarte (1934), Aspectos da Literatura Brasileira (1943) e Lira Paulistana (1946). Ao morrer, em São Paulo, deixa inacabada a obra O Banquete, publicada postumamente.


publicado por LUCIANO às 16:52
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mário de Sá-Carneiro


Poeta e prosador português, considerado um dos mais originais e complicados autores do Movimento Modernista Português. Mário de Sá-Carneiro (19/5/1890-26/4/1916) é o poeta que encarna as frustrações e os pesadelos de sua terra no início deste século, um país dividido entre a glória passada e a atração pela modernidade e pelas luzes da renovação européia. Isso é traduzido em sua obra por meio de uma linguagem de extrema violência verbal. Sá-Carneiro nasce na cidade de Lisboa e estuda na Universidade de Sorbonne, em Paris. Publica os primeiros poemas, Dispersão, em 1914, mesmo ano da novela A Confissão de Lúcio. Retorna a Portugal em 1915 e lança a revista Orpheu em parceria com Fernando Pessoa, seu mentor e a maior expressão do Modernismo naquele país. De volta a Paris, Sá-Carneiro passa por uma crise moral e financeira que o faz abandonar os estudos. De relações rompidas com o pai, leva uma vida de boêmia literária. Em 1916, durante uma crise, suicida-se em Paris. Antes de sua morte envia seus poemas inéditos a Fernando Pessoa, publicados apenas em 1937 sob o título Indícios de Ouro.



publicado por LUCIANO às 16:50
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mário Pedrosa

Crítico de arte pernambucano. Um dos principais estudiosos de arte do país, especialmente preocupado com a interpretação da abstração. Mário Pedrosa (25/4/1900-5/11/1981) nasce no engenho Jussaral, na cidade de Timbaúba, o sexto entre dez irmãos. Estuda direito entre 1920 e 1923. Vem para São Paulo em 1942 e filia-se ao Partido Comunista, influenciado pelas idéias marxistas. Viaja para a Rússia em 1927, mas adoece no caminho e muda de planos. Decide ficar na Alemanha, onde se engaja na luta contra o nazismo e, ao mesmo tempo, estuda filosofia e sociologia com professores renomados. Retorna ao Brasil dois anos depois. Em 1933 estréia como crítico de artes plásticas, escrevendo o primeiro ensaio brasileiro de orientação marxista, publicado na revista Arte, Necessidade Vital. Defende a partir daí a importância da abstração na arte brasileira. Contrapõe-se, assim, à tendência predominante do figurativismo, que os modernistas acreditam ser mais adequado para expressar a realidade nacional. Sua participação nesse debate é interrompida após o golpe de Estado de 1937, quando, já casado com Mary Houston, se exila na Europa e nos Estados Unidos. Só depois de 1944 retoma a polêmica no campo estético. Como colaborador de O Correio da Manhã, cria a seção de artes plásticas e publica diversos artigos em que discute a abordagem temática da abstração. Em 1953 integra o júri da Primeira Exposição Internacional de Arte Abstrata, realizada no Rio de Janeiro. A partir de 1961, dirige o Museu de Arte Moderna do Rio. Em 1968 lidera um movimento de boicote de artistas à 10ª Bienal de São Paulo, em protesto contra o regime militar. Com a instituição do Ato Institucional nº 5 (AI-5) e o decreto de sua prisão, em 1970, exila-se em vários países, vivendo quatro anos em Paris. Revogado seu mandado de prisão, em 1977, retorna ao Brasil. Em 1979 é um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT).



publicado por LUCIANO às 16:48
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mário Peixoto


Cineasta e poeta fluminense. É produtor, roteirista, montador e diretor do filme Limite (1930), considerado um marco de vanguarda do cinema nacional.Mário Breves Peixoto (1910 - 3/2/1992) nasce na cidade do Rio de Janeiro. Estuda na Inglaterra e na França, onde entra em contato com os movimentos cinematográficos da vanguarda francesa e alemã, em especial o expressionismo. De volta ao país, entre 1929 e 1930 realiza seu único filme, Limite, que se tornaria um mito do cinema nacional. Completamente destoante das produções da época, a fita tem uma narrativa experimental e vanguardista, tanto nos enquadramentos inusitados como na articulação entre os planos dada pela montagem. Depois de terminar Limite, em que responde pelo roteiro, pela produção, pela direção e pela montagem, Peixoto associa-se à produtora Carmen Santos. Tenta fazer o segundo trabalho, O Sono sobre a Areia, depois denominado Onde a Terra Acaba, que permanece inacabado. Dificuldades de todos os tipos impedem que outros roteiros seus – Onze Almas, A Cidade na Lama, Um Pássaro Triste e A Alma Segundo Salustre – sejam filmados. Como poeta, publica Mundéu (1931) e Poemas de Permeio com o Mar. De personalidade retraída, retira-se para Angra dos Reis na década de 40, onde coleciona objetos históricos para montar um museu do litoral fluminense. Sua vida e obra inspiram dois curta-metragens: O Homem e o Limite (1975), de Ruy Santos, e O Homem Morcego (1980), de Ruy Solberg. Morre no Rio de Janeiro.



publicado por LUCIANO às 16:45
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mário Quintana


Poeta e tradutor gaúcho. Um dos mais importantes autores do modernismo brasileiro. Mário de Miranda Quintana (30/6/1906-25/5/1994) nasce em Alegrete. De 1919 a 1924 estuda no Colégio Militar de Porto Alegre, em cuja revista literária publica os primeiros poemas. Trabalha em O Estado do Rio Grande do Sul e na Livraria do Globo, mais tarde Editora Globo, para a qual traduz Marcel Proust, Guy de Maupassant, Honoré de Balzac, Graham Greene e vários outros autores. Lança o primeiro livro de poesias, Rua dos Cata-Ventos , em 1940. Revelando-se um poeta sensível, usa uma linguagem coloquial para falar, em tom filosófico, de temas do cotidiano, como a infância, o amor e a morte. A partir de 1953 trabalha no Correio do Povo, de Porto Alegre, no qual por quatro décadas publica seus poemas. Outras obras suas são Canções (1945), O Aprendiz de Feiticeiro (1950), Quintares (1976) e Baú de Espantos (1986). Em 1980 recebe da Academia Brasileira de Letras (ABL) o Prêmio Machado de Assis, pelo conjunto de sua obra. Morre em Porto Alegre.



publicado por LUCIANO às 16:42
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mário Schenberg


Físico e político pernambucano. Destaca-se internacionalmente por elaborar uma teoria que desvenda o mecanismo de explosão das estrelas supernovas.Mário Schenberg (30/6/1914-9/11/1990) nasce no Recife. Em 1938, na Universidade de Roma, estuda teoricamente os raios cósmicos e a eletro-dinâmica quântica, sob a orientação de Enrico Fermi, um dos pais da bomba atômica norte-americana. Em Paris, em 1939, faz estudos de física nuclear e teoria da radiação com Joliot-Curie. De 1940 a 1941, chega à teoria sobre as estrelas supernovas, batizada de processo Urca, em colaboração com o físico de origem russa, naturalizado americano, George Gamow. De 1945 a 1948, desenvolve uma teoria sobre o elétron e passa a dedicar-se ao estudo da ionização e da radiação atômica. Sua obra é elogiada por Albert Einstein. Elege-se em 1946 deputado estadual em São Paulo pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB), mas é cassado quando o governo Dutra extingue a legenda. É professor catedrático de mecânica superior e celeste na Universidade de São Paulo, de 1944 a 1969, quando é aposentado com base no Ato Institucional n.º 5 (AI-5). Morre em São Paulo.


publicado por LUCIANO às 16:40
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mario Vargas Llosa


Escritor peruano (28/3/1936-). Considerado um dos grandes romancistas contemporâneos. Jorge Mario Pedro Vargas Llosa nasce em Arequipa. Passa a infância em Cochabamba, na Bolívia, onde o avô vive como cônsul do Peru. Aos 14 anos, é matriculado no colégio militar Leoncio Prado, em Lima, no qual fica até os 17 anos. Dois anos mais tarde, com 19, choca a família ao se casar com sua tia Julia, 13 anos mais velha. O casamento dura pouco, mas rende o elogiado romance Tia Julia e o Escrevinhador (1978). O internato militar fornece-lhe a matéria-prima para o romance de estréia, A Cidade e os Cachorros (1963), em que discute a luta dos adolescentes para sobreviver à violência e à corrupção que impera no colégio militar. O livro é traduzido para doze línguas e confere-lhe reconhecimento internacional. É autor de A Casa Verde (1966), ambientado na selva peruana, Conversa na Catedral (1969), sobre o regime de Manuel Odria (1948-1956) e de A Guerra do Fim do Mundo (1981), inspirado na Guerra de Canudos (1896-1897), um dos episódios mais sangrentos da história brasileira. Em 1990, disputa a Presidência de seu país por uma coligação conservadora e perde no segundo turno para Alberto Fujimori. Em 1994, publica o livro O Peixe na Água: Memórias, em que analisa momentos de sua vida, da infância à derrota nas eleições presidenciais. Recebe ao longo da carreira os principais galardões literários, do prêmio Leopoldo Alas, por Os chefes, ao prêmio Cervantes, outorgado em 1994, passando pelo já mencionado Biblioteca Breve, o Formentor, o Rómulo Gallegos, o Príncipe de Asturias e o Planeta. É doutor honoris causa em uma dezena de universidades espalhadas pelo mundo. Em 2002, é nomeado presidente da Fundação Internacional para a Liberdade, entidade que reúne pessoas e instituições na América Latina, Espanha e Estados Unidos voltadas à promoção dos ideais liberais na economia e na política.



publicado por LUCIANO às 16:38
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Marquês de Olinda

Advogado pernambucano. É um dos integrantes da II Regência Una e, por diversas vezes, ministro. Pedro de Araújo Lima (22/12/1793-7/6/1870) nasce em Sirinhaém. Estuda na Universidade de Coimbra e doutora-se em direito canônico em 1819. Como deputado, representa Pernambuco nas Cortes de Lisboa e na Assembléia Constituinte brasileira, em 1821. Viaja para a Europa e ao retornar elege-se novamente deputado pela Assembléia Nacional. Em 1827 é nomeado ministro, função que voltaria a ocupar em 1832, sob a Regência Trina Permanente. Cinco anos mais tarde, depois de conduzido ao Senado, substitui interinamente o regente Feijó. Em 1838 é eleito para ocupar o cargo, permanecendo na regência até a maioridade de dom Pedro II. Durante esse período defende o princípio da autoridade e da ordem constitucional. É um dos organizadores dos regressistas, que mais tarde formariam o Partido Conservador, legenda que chefiaria junto com Bernardo de Vasconcelos. Cria a Lei Interpretativa de 1840, que restringe a autonomia dos municípios e revoga as leis provinciais. Em 1841 recebe o título de visconde de Olinda e em 1848 torna-se presidente do Conselho de Ministros, lutando contra a Revolta Praieira em Pernambuco. Deixa o cargo em 1849, por causa de pressões de políticos que pedem a intervenção armada brasileira na região do rio da Prata. Em 1857 volta ao cargo, dessa vez como representante graduado dos progressistas e com postura menos conservadora. Organiza seu último gabinete em 1865, o Ministério das Águias, responsável pelo fim da Guerra do Paraguai. Morre no Rio de Janeiro.


publicado por LUCIANO às 16:36
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Marquês de Paraná


Advogado mineiro. Ministro da Justiça e da Conciliação durante o governo de dom Pedro II, assina o Tratado de Montevidéu, que fixa a fronteira entre Brasil e Uruguai. Honório Hermeto Carneiro Leão (11/1/1801-3/9/1856) nasce no Arraial de Jacuí, em uma família de poucas posses. Com a ajuda de parentes estuda em Coimbra e forma-se em direito em 1825. No mesmo ano retorna ao Brasil e é nomeado juiz em São Sebastião (SP) e ouvidor no Rio de Janeiro. Aos 25 anos casa-se com Maria Henriqueta, filha de um parente rico. No final da década de 20 é nomeado desembargador no Rio de Janeiro. Ingressa na vida pública como deputado por Minas Gerais. Em 1830 filia-se ao grupo de liberais moderados, mas ao obter sua primeira vitória parlamentar - impedindo que a Câmara seja transformada em Assembléia Nacional - rompe com a facção. Escolhido para o cargo de ministro da Justiça, articula a fundação do Partido Conservador em 1837. Mais tarde torna-se presidente da província do Rio de Janeiro e, depois, senador por Minas Gerais. Em 1840 opõe-se à antecipação da maioridade de dom Pedro II. Em 1843 ocupa o Ministério da Justiça, deixando-o um ano depois, quando passa para a oposição. Em conseqüência da Revolta Praieira (1848) é chamado pelo imperador para presidir a província de Pernambuco, com a missão de pacificá-la. Em 1852 contribui para a queda do ditador argentino Juan Manuel Rosas, recebe o título de visconde de Paraná e assina o Tratado de Montevidéu. No ano seguinte organiza o Ministério da Conciliação a fim de harmonizar liberais e conservadores. Torna-se marquês em 1854, dois anos antes de morrer.



publicado por LUCIANO às 16:33
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Marquês de Pombal

Estadista português. Declara a liberdade indígena e ordena a expulsão dos jesuítas do Brasil, no século XVIII. Transfere a capital do país de Salvador para o Rio de Janeiro.Sebastião José de Carvalho e Melo (13/5/1699 - 8/5/1782) nasce em Lisboa, filho de um capitão da cavalaria real. Seu pai morre cedo e sua mãe se casa novamente. É criado pelo tio Paulo de Carvalho, professor da Universidade de Coimbra, instituição em que se forma em direito, história e política. Em 1738, por recomendação do tio, é nomeado embaixador na Inglaterra, onde estuda a política e a economia do país. Ao retornar a Lisboa, torna-se secretário dos Negócios Estrangeiros em 1750. Em pouco tempo o rei José I lhe dá carta branca para decidir sobre os assuntos de Estado. Governando sob os princípios do iluminismo, Pombal equilibra a balança comercial e estimula a indústria. Com o ouro brasileiro, reconstrói Lisboa, arrasada pelo terremoto de 1755. Expulsa os jesuítas de Portugal e das colônias em 1759 porque eles se opõem ao ensino laico – e aproveita para ficar com as terras da ordem. Cria Juntas de Justiça na colônia e ordena a mudança da capital de Salvador para o Rio de Janeiro (1762), na época o porto por onde escoa o ouro de Minas Gerais, de forma que a Coroa tenha maior controle sobre ele. Em 1769 é nomeado marquês de Pombal. Com a morte de José I, em 1777, Maria I assume o trono e anistia os presos políticos encarcerados por ordem de Pombal. Desprestigiado, ele pede demissão. Em 1779, a rainha o acusa de abuso de poder e o leva a julgamento. É condenado em 1781 ao banimento em sua quinta, onde morre.



publicado por LUCIANO às 16:31
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Marquês de Sade


Escritor francês (2/6/1740-2/12/1814). Descrevendo em sua obra literária orgias e perversões sexuais, dá origem ao termo sadismo. Donatien-Alphonse-François, conde de Sade, que fica conhecido como marquês de Sade, nasce em Paris, descendente de aristocrática família provençal. Aos 14 anos alista-se no Exército e retorna da Guerra dos Sete Anos como oficial da Cavalaria. Em 1763 protagoniza o "caso de Aix-en-Provence", cidade na qual tortura uma moça apenas para satisfazer seus instintos perversos. Embora condenado à morte, é indultado. Em 1768 e 1772 casos semelhantes se repetem nas cidades de Arcueil e Marselha. Preso diversas vezes, consegue fugir. Durante os períodos de prisão, redige numerosos romances e peças teatrais. Em 1777 é aprisonado em Vincennes e, em 1784, na Bastilha, onde escreve Os 120 Dias de Sodoma (1784). Depois de libertado, escreve os romances licenciosos Justine, ou as Desgraças da Virtude (1791), A Filosofia na Alcova (1795) e Julieta, ou as Prosperidades do Vício (1797), além de peças teatrais, escritos políticos e cartas. Em 1801 é definitivamente internado no manicômio de Charenton, cidade onde morre, insano.



publicado por LUCIANO às 16:29
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Marquês do Lavrádio


Militar e administrador português. Vice-rei do Brasil entre 1769 e 1779, é autor de obra fundamental para o estudo da administração colonial .Luís de Almeida Soares Portugal Alarcão e Eça e Melo (27/6/1729-2/5/1790) nasce na cidade de Ribaldeira. É brigadeiro do Exército português até ser nomeado governador e capitão-geral de mar e terra da capitania da Bahia, em 1768. Assume no ano seguinte o vice-reinado do Brasil e fixa residência no Rio de Janeiro. Para estimular o comércio, cria o primeiro mercado local, no largo da Glória. Constrói também as fortalezas do Pico e do Leme. Recebe do povo o apelido de Gravata, por andar sempre bem vestido. Apreciador de bailes e folguedos, tem estreita ligação com a arte. Protege o teatro e funda uma academia científica para estudo dos recursos naturais brasileiros. Na tentativa de fortalecer a economia, importa da China o bicho-da-seda e isenta do serviço militar os lavradores que se dedicavam ao café. Dois anos após a morte de dom José I, em 1779, é substituído no vice-reinado do Brasil.



publicado por LUCIANO às 16:26
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Marquesa de Santos


Aristocrata paulista. Amante de dom Pedro I, exerce grande influência durante o Primeiro Reinado.Domitila de Castro Canto e Melo (27/12/1797-3/1/1867) nasce na cidade de São Paulo. Casa-se aos 15 anos com o alferes mineiro Felício Pinto Coelho de Mendonça, com quem tem três filhos. Consegue a anulação do casamento e mantém uma relação amorosa com dom Pedro que dura sete anos. Dom Pedro transfere a família dela para a Corte e o caso provoca escândalo na sociedade. Domitila monopoliza os favores do soberano e logo entra em conflito com o presidente do Conselho de Ministros, José Bonifácio de Andrada e Silva, que, por influência dela, é exilado na França. O imperador a faz dama do Paço, viscondessa e, finalmente, marquesa de Santos. A relação amorosa é abalada quando, depois da morte da imperatriz Maria Leopoldina, em 1826, dom Pedro I acerta um segundo casamento, com a duquesa de Leuchtemberg, Amélia Beauharnais. Em 1829, grávida do quinto filho com o imperador, Domitila rompe o romance e volta para São Paulo. Casa-se com Rafael Tobias de Aguiar e morre aos 70 anos.



publicado por LUCIANO às 16:24
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Marshall McLuhan


Teórico da comunicação e educador canadense (21/7/1911-31/12/1980). Criador da frase "o meio é a mensagem", para definir a influência da televisão, entre outros meios eletrônicos de informação, no modo de pensar da sociedade ocidental contemporânea. Nasce Herbert Marshall McLuhan na cidade de Edmonton, em Alberta. Começa a cursar engenharia na Universidade de Manitoba, mas desiste da carreira para estudar literatura inglesa em Cambridge, Inglaterra, nos anos 30. Antes de retornar ao Canadá, leciona nas universidades de Wisconsin (1936-1937) e de St. Louis (1937-1944), nos Estados Unidos. Em 1946 torna-se professor do St. Michael’s College, em Toronto. É nomeado diretor do Centro de Cultura e Tecnologia da Universidade de Toronto em 1963. A partir daí elabora suas idéias até hoje polêmicas sobre os efeitos dos meios de comunicação na sociedade: a simultaneidade de transmissão das informações por via eletrônica e a uniformização do padrão com que são divulgadas transformariam o mundo numa grande aldeia global. Entre suas obras mais importantes estão O Meio É a Mensagem: Um Inventário dos Efeitos, escrita com Quentin Fiore, em 1967, e A Galáxia de Gutenberg, na qual apresenta o conceito de aldeia global para definir a sociedade eletrônica emergente de seu tempo. Morre em Toronto.



publicado por LUCIANO às 16:21
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Marta suplicy


Psicanalista, política paulistana, prefeita da Cidade de São Paulo. Marta Teresa Smith de Vasconcellos (18/3/1945-) nasce em São Paulo, na casa de uma tradicional família paulistana. Seu avô, Júlio Fracalanza, é renomado fabricante de talheres de prata. Marta estuda em colégios de elite, forma-se em psicologia pela Pontifícia Universidade de São Paulo e faz pós-graduação nas universidades americanas de Michigan e Stanford. Em 1965, aos 20 anos, casa-se com Eduardo Matarazzo Suplicy, político brasileiro, com quem teria três filhos. Em 1980, acompanhando o marido, filia-se ao Partido dos Trabalhadores. Membro da Sociedade Brasileira de Psicanálise e da International Psychoanalytical Association (IPA), Marta escreve livros sobre comportamento sexual e projeta-se nacionalmente como apresentadora, entre 1980 e 1986, de um quadro sobre sexualidade no programa TV Mulher, exibido diariamente pela Rede Globo. Em 1982 é condecorada como Mulher do Ano do Conselho Nacional das Mulheres Brasileiras. Deputada federal pelo PT, de 1995 a 1998, atua notadamente em defesa da mulher, da criança, do consumidor, das minorias. Funda o Grupo de Trabalho de Pesquisa e Orientação Sexual (GTPOS), que desenvolve trabalhos de capacitação para profissionais de saúde e educação na área da sexualidade e prevenção da aids. Em 2000, com 58% dos votos válidos, elege-se prefeita de São Paulo. Em 2001 termina o casamento de 36 anos com Eduardo Suplicy, com quem tem três filhos, e é submetida a duas cirurgias. Em 2003, casa-se com o assessor político Luiz Favre, e anuncia que concorrerá à reeleição no ano seguinte, disputa que perde para José Serra (PSDB).


publicado por LUCIANO às 16:18
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Martim Afonso de Sousa


Militar português. Comandante da primeira expedição colonizadora de Portugal ao Brasil. Martim Afonso de Sousa (1500-21/7/1571) nasce em Vila Viçosa. De origem nobre, estuda matemática, cosmografia e navegação. É escolhido para ser pajem do infante dom João, príncipe herdeiro. Ao subir ao trono, dom João III nomeia-o comandante da expedição de reconhecimento do Brasil em 1530. Depois de combater os franceses na costa, é nomeado donatário da Capitania de São Vicente e do Rio de Janeiro, mas não permanece na colônia. Transformado em capitão-mor do mar das Índias, em 1533, é encarregado de proteger as possessões de Portugal na região. Defende a feitoria de Diu, ilha ao sul da península de Kathiawar, na Índia, do ataque de mouros e hindus, derrota o rajá de Calicute e combate os corsários que saqueiam as embarcações portuguesas. Vitorioso, é feito vice-rei das Índias por dom João III, em 1542. Há controvérsia quanto ao fim de sua carreira. Para alguns historiadores, ele retorna a Portugal em 1545 e se torna um dos membros do Conselho de Estado. Outros dizem que é chamado de volta, sob acusação de desvio de dinheiro da Coroa, mantendo-se afastado da vida pública até morrer, em Lisboa.



publicado por LUCIANO às 16:16
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Martin Heidegger


Filósofo alemão (26/9/1889-26/5/1976). Um dos teóricos mais importantes do existencialismo do século XX. Nasce em Messkirch, sudoeste da Alemanha, filho de um sacristão. Revela vocação religiosa muito jovem e começa o noviciado jesuítico após terminar o curso secundário, mas não conclui a formação religiosa. Prefere estudar teologia e filosofia na Universidade de Freiburg, onde é influenciado particularmente por Husserl. Em 1915 torna-se colega de Husserl na universidade, mas não segue o pensamento do mestre. Define seu próprio caminho no livro O Ser e o Tempo, de 1927, no qual pergunta: "O que é ser, como é ser, o que significa perguntar qual o significado de ser?" A obra influencia pensadores da Europa e da América Latina, entre eles o filósofo francês Jean-Paul Sartre. Para Heidegger, o homem é sobretudo vontade, livre-arbítrio e pertence a um universo que só adquire significado a partir de sua reflexão. Entre seus principais trabalhos estão ainda Kant e o Problema da Metafísica (1928), Sobre a Essência da Verdade (1930), Introdução à Metafísica (1935), Carta sobre o Humanismo (1946) e Caminhos Que Não Levam a Lugar Nenhum (1950).



publicado por LUCIANO às 16:13
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Martin Luther King


Líder negro norte-americano (15/1/1929-4/4/1968). Nasce em Atlanta. O pai e o avô materno eram pastores batistas, carreira que ele também decide seguir. Aos 22 anos forma-se em teologia e dois anos depois casa-se com Coretta Scott, com quem tem quatro filhos. Em 1954 assume as funções como pastor em Montgomery, Alabama, foco dos maiores conflitos raciais do país. Nos estados do sul, a segregação racial era amparada pela lei. Nos ônibus de Montgomery, por exemplo, o motorista tinha de ser branco e só os últimos bancos ficavam disponíveis aos negros. Em 1955, por causa da prisão de uma negra que se recusara a ceder o lugar para um branco, King lidera um boicote contra a segregação nos ônibus. O movimento dura 381 dias e termina com a decisão da Suprema Corte americana de proibir a discriminação. King passa então a organizar campanhas pelos direitos civis dos negros, baseadas na filosofia de não-violência do líder indiano Gandhi. Em 1960 consegue liberar o acesso de negros a bibliotecas, parques públicos e lanchonetes. Lidera a Marcha sobre Washington, que reúne 250 mil pessoas em 1963. Ao fim dela, profere um famoso discurso que começa com a frase "I have a dream" (Eu tenho um sonho) e descreve uma sociedade em que brancos e negros vivem em harmonia. Da marcha resulta a Lei dos Direitos Civis (1964), que garante igualdade de direitos entre brancos e negros. Recebe o Prêmio Nobel da Paz de 1964. É assassinado por um branco.



publicado por LUCIANO às 16:11
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Martinho Lutero


Teólogo alemão (10/11/1483-18/2/1546). Iniciador da Reforma Protestante e fundador da Igreja Luterana. Nasce em Eisleben e, a partir de 1501, estuda na Universidade de Erfurt. Torna-se mestre em filosofia em 1505 e ingressa na Ordem dos Agostinianos. Em 1512 doutora-se em teologia. Cinco anos depois passa a criticar a venda de indulgências pela Igreja Católica e a defender a tese de que o homem só se salva pela fé. Acusado de herege, fixa na porta da igreja do Castelo de Wittenberg as 95 teses que iniciam a reforma. Não reconhece a autoridade papal, nega o culto aos santos e só aceita os sacramentos do batismo e da eucaristia. Convidado pelo papa Leão X a se retratar, recusa-se e queima em praça pública a bula pontifical. Excomungado em 1520, publica Manifesto à Nobreza Alemã, Do Cativeiro Babilônico da Igreja e Da Liberdade do Cristão, os grandes escritos reformistas. Em 1521 é banido da Alemanha pelo imperador Carlos V. Apoiado por setores da nobreza, traduz o Novo Testamento para o alemão. Abandona a ordem agostiniana em 1524 e, no ano seguinte, casa-se com uma ex-freira. Morre em sua cidade natal.



publicado por LUCIANO às 14:24
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Maurice Maeterlinck


Poeta e dramaturgo belga (29/8/1862-6/5/1949), nascido Maurice Polydore-Marie-Bernard Maeterlinck na cidade de Ghent. Estuda direito, mas logo abandona a advocacia pela literatura. Entre 1885 e 1886 muda-se para Paris e participa do movimento simbolista. Em 1889 estréia com o livro de poesias simbolistas Estufas Quentes e o drama A Princesa Maleine, o primeiro de uma série de peças teatrais vagamente místicas. Seguem-se A Intrusa, Os Cegos, Pelléas et Melisande, todas de 1890, que tornam Maeterlinck o maior nome do teatro simbolista francês. Em tom místico escreve livros que discutem o destino humano, como O Tesouro dos Humildes (1896), A Sabedoria e o Destino (1898), e sobre os mistérios da natureza, como A Vida das Abelhas (1901), A Vida das Térmitas, A Vida das Formigas e A Inteligência das Flores (1907), que mesmo sem rigor científico foram amplamente lidos em todo o mundo. Em 1902 publica Doze Canções, cantigas populares em estilo medieval e profundamente místicas, e o drama histórico Monna Vanna, de grande sucesso. Influencia D’Annunzio, na Itália, Hofmannsthal, na Áustria, Blok, na Rússia, e a música de Debussy. Em 1908 encena no Teatro de Arte de Moscou a peça O Pássaro Azul, fantasia alegórica em que o otimismo do mundo infantil na busca da felicidade se extingue progressivamente com a vida. Escreveu ainda Le Bourgmestre de Stilmond (O Prefeito de Stilmond), peça patriótica na qual explora os problemas de Flandres, região belga, sob o clima de guerra, e As Sete Princesas (1891), A Morte de Tintagiles (1894), Interior (1894), A Morte (1913), O Milagre de Santo Antônio (1920), O Grande Segredo (1921). Morre em Nice.



publicado por LUCIANO às 14:22
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Maurice Merleau-Ponty


Filósofo francês (14/3/1908-4/5/1961). Considerado um pensador moderno importante pela contribuição ao estudo do mecanismo psicológico que baseia o conhecimento e a prática científica. Nasce em Rochefort-sur-Mer, no departamento de Charente-Maritime. Freqüenta a Escola Normal Superior, em Paris, formando-se em filosofia em 1931. Durante a II Guerra Mundial (1939-1945), participa do Exército francês como oficial. Em 1945 torna-se professor de filosofia na Universidade de Lyon e, em 1949, assume a cátedra da mesma disciplina na Sorbonne, em Paris. A partir de 1952, é convidado a lecionar no Collège de France. Nesse período também colabora na revista Les Temps Modernes, com o filósofo Jean-Paul Sartre. Rompe com ele em 1953, por causa da simpatia de Sartre pelo partido comunista francês, pela União Soviética (URSS) de Stalin – acusado de vários crimes contra a população camponesa – e pelos grupos de oposição de seu país. Entre suas principais obras estão a Fenomenologia da Percepção (1945), O Elogio da Filosofia (1953) e Sinais (1961). Também produz ensaios sobre política, como Humanismo e Terror (1947). Morre em Paris.



publicado por LUCIANO às 14:18
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Maurice Ravel


Compositor francês (7/3/1875-28/12/1937). Considerado o mais clássico dos compositores modernos franceses, apresenta no início da carreira a mesma qualidade artística das obras da maturidade. Joseph-Maurice Ravel nasce em Cibourne e, aos 3 meses de idade, muda-se com sua família para Paris. Inicia cedo os estudos de música e, aos 14 anos, começa a freqüentar o Conservatório de Paris. As primeiras apresentações de seus trabalhos, em 1898, não agradam aos críticos. Em 1891, fica em segundo lugar no Prêmio de Roma de composição, mas é sistematicamente preterido nas reedições do concurso, mesmo apresentando obras de reconhecido valor técnico e artístico. Dominado pelo conservadorismo, em 1905, o júri o declara inelegível. Pelo estilo, harmonia e temática, é freqüentemente associado ao impressionista Debussy, mas diferencia-se deste por sua atração pelas estruturas abstratas da música. Introduz inovações revolucionárias na arte da orquestração. Fica famoso com obras para orquestra, como Rapsódia Espanhola (1908) e pelos balés Bolero (1928) e Daphnis e Chloé (1912). Em 1932, por causa um desastre de automóvel, sofre um colapso nervoso do qual nunca se recupera. Morre em Paris.



publicado por LUCIANO às 14:16
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Maurício de Nassau


Militar e administrador holandês de origem alemã. Sob sua administração, Recife vive um período de florescimento cultural, liberdade religiosa e reformas urbanas. Johann Mauritius van Nassau-Siegen (17/6/1604-20/12/1679) nasce no Castelo de Dillemburg. É membro da casa de Nassau, família aristocrática que disputava os tronos da Alemanha e da Holanda. Em 1618, durante a Guerra dos Trinta Anos, ingressa no Exército da Holanda e participa de várias campanhas. Em 1632 se estabelece na cidade de Haia, onde contrai muitas dívidas para construir o Palácio Mauritius. De acordo com os historiadores, é por esse motivo que aceita, em 1636, a proposta da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais para administrar a recém-conquistada colônia holandesa no Brasil, que se estende do litoral de Sergipe ao do Maranhão. Desembarca no Recife em 1637 e passa sete anos na colônia. Consegue a simpatia dos senhores de terra ao propor financiamentos para a recuperação de engenhos e plantações de açúcar. Em sua administração, promove melhorias urbanísticas na vila do Recife, assegura a liberdade de culto e atrai para a colônia artistas e cientistas de diversas áreas, entre eles o pintor Frans Post. Desentende-se com a Companhia das Índias e pede demissão em 1644. Volta à Holanda, onde ocupa cargos diplomáticos e militares importantes. Em 1652 recebe o título de príncipe do Império Germânico. Retira-se da vida pública em 1674 e morre cinco anos depois em Kleve, na Alemanha.



publicado por LUCIANO às 14:14
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Maurício de Sousa


Desenhista paulista. Principal criador brasileiro de histórias em quadrinhos. Mauricio Araújo de Sousa (27/10/1935-) nasce em Santa Isabel. Passa a infância e a adolescência em Moji das Cruzes. Começa a desenhar ainda criança e muda-se para São Paulo aos 17 anos para tentar uma vaga de desenhista na imprensa da capital. Em 1954, inicia o trabalho como repórter policial da Folha de S.Paulo, função que exerce por cinco anos, antes de começar a publicar suas tiras no mesmo jornal. Os primeiros personagens são o Capitão Picolé, o Franjinha e seu cachorro Bidu. No início dos anos 60, lança a Turma da Mônica, com personagens como Cebolinha, Magali e Cascão, inspirados em suas filhas e em lembranças da infância. Realiza também filmes comerciais e longas-metragens, como As Novas Aventuras da Turma da Mônica (1985) e Mônica e a Sereia do Rio (1987). Tem seus quadrinhos distribuídos nos Estados Unidos, na Europa e na América Latina. Seguindo os passos do norte-americano Walt Disney, monta uma empresa em que vários desenhistas executam idéias suas. Faz dois Parques da Mônica, um em São Paulo e outro em Curitiba, no Paraná, e prevê a construção de outros no exterior. Em dezembro de 1998, é premiado no Festival Internacional de Animação em São Paulo. Em 2002, a Maurício de Souza Produções registra patente nos Estados Unidos para sua tecnologia de "aromatização digital" para filmes, DVDs, CD-ROMs e outras mídias eletrônicas. Em 2003, anuncia uma parceria com o Ministério da Educação para a produção de uma séria de 60 desenhos educativos para a TV.



publicado por LUCIANO às 14:11
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Maurício Rocha e Silva


Farmacologista fluminense. Descobridor da bradicinina, substância essencial para o controle da hipertensão. Maurício Oscar da Rocha e Silva (19/9/1910-19/12/1983) nasce na cidade do Rio de Janeiro, o quinto entre seis irmãos de uma família pobre. Aos 11 anos ingressa no Colégio Dom Pedro II. Em 1933 torna-se médico pela Faculdade de Medicina do Rio. Muda-se em seguida para São Paulo e, três anos depois, começa a trabalhar no Instituto Biológico. Um de seus primeiros sucessos é a demonstração de que uma doença de gado cujos sintomas são fotofobia e icterícia se deve à intoxicação por alecrim, erva comum nos pastos. Na década de 40 faz estágios no exterior. Entre 1940 e 1942 estuda na Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, substâncias que agem na corrente sanguínea, como a histamina. Em 1946 continua as pesquisas sobre a circulação do sangue na Universidade London College, na Inglaterra. De volta ao Instituto Biológico, em 1947, descobre a bradicinina, substância até então desconhecida e liberada pelas células humanas após contato com o veneno da cobra jararaca. A substância reduz a pressão arterial, é parte essencial do mecanismo de controle da circulação sanguínea e sua descoberta serve de ponto de partida para a investigação de medicamentos que controlem a hipertensão arterial. Trabalha nesse campo nos anos seguintes, afastando-se apenas para articular a formação de uma organização de cientistas nos moldes de sociedades semelhantes na Europa. Em 1949 participa da fundação da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que preside por três vezes entre 1963 e 1969.



publicado por LUCIANO às 14:09
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Max Bill


Escritor e pintor suíço (22/12/1908-9/12/1994). Populariza o conceito de arte concreta, proposto pelo artista Van Doesburg, em 1930, para contrapor à expressão arte abstrata. Nasce em Winterthur e cresce interessado em trabalhar com ourivesaria de prata. Estuda na Escola de Artes e Ofícios de Zurique, de 1924 a 1927, na qual conhece o trabalho do arquiteto Le Corbusier. A admiração pelo arquiteto o incentiva a fazer arquitetura na Bauhaus, de 1927 a 1929. Em 1930 monta o próprio estúdio em Zurique, onde passa a produzir esculturas e projetos arquitetônicos. Para ganhar dinheiro, no início, trabalha em publicidade. De 1932 a 1936 participa do grupo Abstraction-Création, em Paris. Começa a desenvolver a partir daí seu trabalho de arte concreta. Baseia-se no uso de fórmulas matemáticas para compor obras de arte, literalmente. Em 1941, em visita ao Brasil e à Argentina, difunde o conceito de arte concreta. Depois de 1944 torna-se designer de móveis e objetos. No final da carreira, divide o tempo entre a produção artística e gráfica e a atividade de professor de desenho. Morre em Berlim.



tags:
publicado por LUCIANO às 13:07
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mem de Sá


Administrador colonial português, terceiro governo geral do Brasil. É responsável pela pacificação de índios em várias capitanias e pela expulsão dos franceses da Baía de Guanabara. Mem de Sá (1500? - 2/3/1572) nasce em Coimbra. Forma-se em letras e torna-se desembargador da Casa de Suplicação de Lisboa. É nomeado, em julho de 1556, governador-geral. Em dezembro do ano seguinte chega à Bahia, sede do governo geral. Sua primeira providência é estabelecer a harmonia na colônia, abalada por desavenças entre colonos e jesuítas. Cuida também de acalmar os índios hostis, contando para isso com a ajuda dos padres Manuel da Nóbrega e José de Anchieta. Em 1560 ataca os franceses estabelecidos na Baía de Guanabara, mas só consegue afugentá-los para o interior. Retorna à Guanabara em 1567, em socorro ao sobrinho, Estácio de Sá, que fora mandado para combater os invasores. Estácio havia fortificado o litoral, lançando as bases da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. Juntando forças, os dois expulsam os franceses. Mem de Sá morre em Salvador, já desejoso de deixar o governo geral para voltar para Portugal.



publicado por LUCIANO às 13:05
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Menotti del Picchia

Escritor e jornalista paulista (20/3/1892-23/8/1988). É um dos idealizadores e participantes da Semana de Arte Moderna de 1922. Paulo Menotti del Picchia, nascido em São Paulo, forma-se em ciências e letras. Estréia na literatura ainda estudante, com Poemas do Vício e da Virtude (1913). Mudando-se para Itapira (SP), publica o poema Juca Mulato (1917), que o deixa famoso em todo o país. De volta a São Paulo funda as revistas A Cigarra e Nossa Revista, além de colaborar em vários jornais. Trabalha intensamente pela divulgação dos ideais da Semana de 1922, usando como tribuna os jornais em que publica suas crônicas. Como escritor caracteriza-se pela abordagem de temas marcadamente nacionais, enfatizando os valores brasileiros. Deixa uma vasta obra, da qual são exemplos os romances A Tormenta (1924) e Salomé (1940). Entre seus livros de poema estão Angústia de Dom João (1922) e República dos Estados Unidos do Brasil (1940). Escreve peças de teatro, como Máscara (1920). Dedica-se também à literatura infantil, sendo pioneiro no tratamento de temas ecológicos, como No País das Formigas (1939). Em 1972 publica um livro de memórias, A Longa Marcha. Morre em São Paulo.



publicado por LUCIANO às 13:02
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mestre Vitalino - Ceramista


Ceramista popular pernambucano. É considerado um dos maiores artistas populares do Nordeste e seu estilo é copiado por muitos artesãos.Vitalino Pereira dos Santos (1909-1963) nasce em Caruaru, filho de um lavrador e de uma artesã de panelas de barro. Aprende o ofício com a mãe e, a partir dos 6 anos, usa as sobras das panelas para fazer pequenos animais e vendê-los na feira. Em 1930 começa a modelar grupos humanos e, a partir de 1935, grandes conjuntos que o tornam conhecido. Ao oferecer seu trabalho na feira de Caruaru, contribui para fazer da cidade o grande centro ceramista do Nordeste. Em 1947, esse trabalho chama a atenção do pintor Augusto Rodrigues, que organiza no Rio de Janeiro a I Exposição de Cerâmica Pernambucana, que dá fama nacional a Mestre Vitalino. Sua obra compreende mais de 100 peças de diversos tamanhos feitas de massapé, extraído do rio Ipojuca, que se encontram nos principais museus do país. Destacam-se Casa de Farinha, Zabumba, Lampião e Vaquejada. Assina, a partir de 1949, peças marcadas com o carimbo VPS. Morre em Caruaru.



publicado por LUCIANO às 12:59
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Miguel Arraes

Político cearense radicado em Pernambuco. Uma das figuras mais destacadas da esquerda brasileira, cassado e exilado, e três vezes governador de Pernambuco. Miguel Arraes de Alencar (15/12/1916-) nasce em Araripe, no Ceará, sétimo filho e único homem de uma família de pequenos agricultores. Em 1932, conclui o curso secundário em sua cidade natal e, em seguida, vai para o Rio de Janeiro estudar direito. Com dificuldades para se manter na cidade, presta concurso para o Instituto do Açúcar e do Álcool (IAA) no Recife, Pernambuco. Aprovado, começa a carreira de funcionário público. Inicia sua vida na política em 1947, indicado para a chefia da Secretaria da Fazenda pernambucana pelo ex-presidente do IAA. Em 1950, elege-se deputado estadual pelo Partido Social Democrático (PSD). Reassume a Secretaria da Fazenda em 1959 e, no mesmo ano, vence as eleições para a prefeitura do Recife pelo Partido Social Trabalhista (PST). Chega ao governo do estado em 1962, apoiado pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB), e faz uma administração de caráter popular. É responsável, por exemplo, pelo Acordo do Campo, uma negociação entre as ligas camponesas e os usineiros que estende o salário mínimo aos trabalhadores rurais. Em 1964, é cassado e preso pelos militares e exila-se na Argélia. Só regressa com a anistia, em 1979. Retoma a atividade política no Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). É o deputado federal mais votado do Nordeste em 1980 e, quatro anos depois, torna-se governador de Pernambuco. Em 1990, filia-se ao Partido Socialista Brasileiro (PSB) e elege-se deputado federal. De 1994 a 1998, ocupa pela terceira vez o cargo de governador de Pernambuco. Nas eleições do ano 2000, Miguel não se candidata a nenhum cargo, mas participa do processo democrático como presidente nacional do PSB. Em 2002 elege-se deputado federal. Reelege-se presidente do PSB em 2003.


publicado por LUCIANO às 12:56
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Miguel Costa

Militar e político de origem argentina. Um dos principais líderes da Coluna Prestes, ao lado de Luís Carlos Prestes, e da Revolução de 1930. Miguel Alberto Crispim da Costa Rodrigues (3/12/1885 - 2/9/1959) nasce em Buenos Aires e ainda criança se muda para São Paulo com a família. Inicia carreira militar em 1901, na Força Pública paulista, e chega a major em 1922. É um dos líderes do movimento tenentista de julho de 1924, em São Paulo. Com a decisão dos revoltosos de promover uma marcha revolucionária, comanda as tropas que se deslocam para o Paraná. Em abril de 1925 juntam-se a elas os integrantes das forças gaúchas lideradas por Luís Carlos Prestes, o que dá origem à Coluna Miguel Costa-Prestes, mais conhecida como Coluna Prestes. Depois da dissolução da Coluna, em 1927, exila-se na Argentina, de onde retorna para participar da Revolução de 1930. Comanda uma força que parte da cidade de Marcelino Ramos (RS) rumo a Santa Catarina e Paraná. Com a vitória do movimento, recebe, por decreto, o posto de general-de-brigada e volta para São Paulo. Opõe-se à Revolução Constitucionalista de 1932, sendo preso e confinado em Mato Grosso. Libertado ao final do movimento, aposenta-se. É um dos fundadores do Partido Socialista Brasileiro e presidente da Aliança Nacional Libertadora (ANL). Morre em São Paulo.




publicado por LUCIANO às 12:53
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Max Ernst


Pintor e escultor alemão (2/4/1891-1/4/1976). É um dos nomes mais importantes do dadaísmo e do surrealismo. Maximillian Ernst nasce em Brühl. Em 1909 cursa filosofia na Universidade de Bonn, mas abandona os estudos para se dedicar à pintura. Depois de servir no Exército alemão durante a I Guerra Mundial, identifica-se com as propostas sociais e artísticas do dadaísmo. Cria um grupo dadá na cidade de Colônia e começa a trabalhar com colagem. Em 1922 muda-se para Paris e dois anos mais tarde se torna um dos fundadores do surrealismo. Trabalha com decalque e, em 1925, desenvolve a técnica do frottage: uma folha de papel, colocada sobre madeira ou tecido, é raspada com grafite; das marcas resultantes desse processo surgem paisagens e animais estranhos. Suas primeiras experiências com essa técnica são publicadas em 1926, com o título de Histoire Naturelle. Começa a esculpir em 1934, improvisando técnicas, como fazia com a pintura. Durante a II Guerra Mundial emigra para os Estados Unidos, onde continua as pesquisas plásticas. Volta à França em 1949 e, aos poucos, seu trabalho se torna menos experimental. Morre em Paris.



tags:
publicado por LUCIANO às 12:45
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Max horkheimer

Filósofo alemão (14/2/1895-9/7/1973). Expoente da "teoria crítica" na década de 30, volta a ganhar evidência nos anos 60 como um dos inspiradores do movimento estudantil que começa na França e se espalha pelo mundo ocidental. Nasce em Stuttgart, filho de um rico fabricante de tecidos. Estuda filosofia em Frankfurt, tornando-se professor em 1930. Com Theodor Adorno, funda o Instituto de Pesquisas Sociais, mais conhecido como Escola de Frankfurt, instituição dedicada a pesquisas de filosofia, sociologia, economia e psicologia. Durante a década de 30, escreve uma série de artigos, reunidos em dois volumes sob o título Teoria Crítica (1968), em que postula que o futuro da humanidade depende da adoção de um pensamento crítico a respeito do que ela produz, entre teorias tradicionais e elementos da cultura atual. Quando o regime nazista assume o poder, muda-se com sua escola para Nova York, nos Estados Unidos (EUA). Escreve em 1947 O Eclipse da Razão e, em parceria com Adorno, Dialética do Esclarecimento. Retorna para a Alemanha apenas em 1950 e volta a lecionar filosofia em Frankfurt. Morre em Nüremberg.



publicado por LUCIANO às 12:42
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Max Planck


Físico alemão, criador da Teoria Quântica, um dos pilares da física moderna do século XX, ao lado da Teoria da Relatividade.Max Karl Ernst Ludwig Planck (23/4/1858-4/10/1947) nasce em Kiel, capital de Achleswig-Holstein, condado do norte da Alemanha. Estuda física nas universidades de Munique e de Berlim. Depois de concluir o doutorado em termodinâmica em 1879, torna-se catedrático de física teórica nas universidades de Munique, de Kiel e de Berlim. Pesquisa as radiações eletromagnéticas e desenvolve a fórmula da radiação, afirmando que a energia se difunde em pequenos pacotes chamados quantum – chega à constante de Planck, como passa a ser conhecida a sua descoberta. Cria, assim, sua Teoria Quântica, cuja fórmula de radiação recebe seu nome. Ela estabelece que a energia de cada quantum é igual a sua freqüência de difusão multiplicada pela constante de Planck. Por essa descoberta recebe o Prêmio Nobel de Física de 1918. Sua vida familiar é marcada pela tragédia após os 50 anos. Perde a mulher e os quatro filhos, um deles morto em ação na I Guerra Mundial e outro fuzilado por conspirar contra o nazismo. As duas filhas morrem de complicações no parto. Planck casa-se novamente em 1910 e morre com 89 anos em Göttigen.



publicado por LUCIANO às 12:40
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Max Weber


Sociólogo e economista alemão (21/4/1864-14/6/1920). Teórico das ciências sociais e autor do estudo sobre a ética protestante e o espírito do capitalismo. Nasce em Erfurt, filho de um deputado liberal da Câmara Prussiana, rico industrial da área têxtil. Estuda direito em Heidelberg e economia em Berlim. Começa a lecionar economia na Universidade de Freiburg em 1893, mas é obrigado a se afastar três anos depois em virtude de um sério colapso nervoso. Volta a dar aulas somente em 1917, mesmo assim por breve período, na Universidade de Viena. Crises nervosas recorrentes abalam sua saúde e ele acaba por deixar a cátedra. A herança paterna lhe permite manter-se e escrever livros no decorrer da vida. Sua obra mais célebre, A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo, de 1905, em que analisa a religião calvinista como alicerce fundamental para o desenvolvimento do capitalismo, exerce profunda influência sobre a sociologia do século XX. Escreve também Estudos Reunidos sobre a Sociologia da Religião (1922) e História Econômica Geral (1923), entre outros trabalhos que analisam o papel das idéias filosóficas e religiosas no desenvolvimento econômico das sociedades.



tags:
publicado por LUCIANO às 12:36
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Maximilien de Robespierre

Revolucionário e político francês. Maximilien François Marie Isidore de Robespierre (6/5/1758-28/7/1794) nasce em Arras, numa família da pequena nobreza. É criado pelos avós paternos. Com uma bolsa de estudos, forma-se em direito em Paris. Advogado do povo, luta contra o absolutismo real e a arbitrariedade da justiça. Ganha admiração por sua austeridade e dedicação, o que lhe vale o apelido de "incorruptível". Começa a carreira política, aos 30 anos, como deputado na Assembléia dos Estados Gerais, convocada por Luís XVI às vésperas da Revolução e embrião da Assembléia Nacional Constituinte, da qual ele também participa. Influenciado pelas idéias do filósofo iluminista Jean-Jacques Rousseau, defende uma pauta inovadora para a época, que inclui sufrágio universal com eleição direta, educação gratuita obrigatória e imposto de renda progressivo. Na Assembléia, torna-se líder do partido jacobino, facção política radical que defende os interesses da pequena burguesia e dos sans-culotte (artesãos e camponeses), e ganha o controle do governo. Tenta implantar à força uma democracia popular. É o Período do Terror (junho de 1793 a julho de 1794), marcado pela repressão violenta a qualquer crítico do novo regime, como o ex-aliado Georges-Jacques Danton, executado em 1794. Seu radicalismo provoca uma conspiração entre os dissidentes do partido. Tenta o suicídio, mas morre guilhotinado em Paris.


publicado por LUCIANO às 12:32
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Menachem Begin

Político israelense (16/8/1913-9/3/1992). Nasce em Brest-Litovsk, na Rússia. Em 1935 gradua-se em direito pela Universidade de Varsóvia, na Polônia. Nessa época, passa a liderar a organização sionista Betar, que visa organizar um estado judeu na Palestina. Durante a II Guerra Mundial, alista-se no Exército polonês. Em 1942 vai para a Palestina, onde comanda o grupo Irgun Zvai Leumi, de resistência às autoridades britânicas que ocupam a região desde a I Guerra Mundial. Lidera o grupo até 1948, quando o Estado de Israel é proclamado na Palestina e o Irgun transforma-se no partido político Herut. No ano seguinte é eleito para o parlamento do novo país. Em 1977, na liderança do bloco Likud, que une os partidos de oposição ao governo trabalhista, vence as eleições e torna-se primeiro-ministro. Um ano mais tarde, encontra-se com o presidente egípcio Anuar al-Sadat e inicia as negociações de paz entre os dois países, em conflito desde a Guerra dos Seis Dias, em 1967. Pelo esforço em negociar a paz, os dois líderes recebem o Prêmio Nobel da Paz de 1978. Em 1979 é assinado o acordo pelo qual Israel devolve o Sinai ao Egito. Em 1982, Begin autoriza a invasão do Líbano, para destruir ali o quartel-general da Organização para a Libertação da Palestina, o que lhe vale a oposição da opinião pública mundial. Deixa o governo em setembro de 1983 e afasta-se da política. Morre em Telavive.



publicado por LUCIANO às 12:29
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Michael Collins


Astronauta norte-americano (31/10/1930-). Co-piloto da Gemini 10 e piloto da Apollo 11, primeira missão espacial a levar o homem à Lua. Filho de militar, nasce em Roma, na Itália, e estuda nos Estados Unidos. Gradua-se em ciências pela Academia Militar de West Point em 1952 e decide entrar para a Força Aérea. Após servir em bases norte-americanas na Europa, vai para a Escola de Pilotos de Testes na Base Aérea de Edwards, na Califórnia. Em 1963, entra para o programa de treinamento da Nasa (Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço). Em julho de 1966, faz sua primeira viagem espacial, como membro da tripulação da Gemini 10. Três anos depois, como integrante da missão lunar Apollo 11, pilota a cápsula orbital enquanto Neil Armstrong e Edwin Aldrin Jr. realizam o primeiro pouso lunar. Em 1969, deixa a Nasa para assumir o cargo de secretário-assistente de Negócios Públicos. Em 1971, torna-se o primeiro diretor do Museu do Ar e do Espaço, em Washington, cargo que ocupa até 1980. Na década de 70, publica um livro de memórias e dois outros para crianças, sobre vôos espaciais e sobre sua viagem à Lua. Em 1999, com os companheiros Aldrin e Armstrong, recebe homenagem do governo americano pelos 30 anos da missão Apolo 11. Atualmente, é consultor para assuntos aeroespaciais.



publicado por LUCIANO às 12:26
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Michael Faraday


Físico e químico inglês (22/9/1791-25/8/1867). Descobridor da indução eletromagnética. Nasce em Newington, filho de um ferreiro, e começa a trabalhar aos 14 anos como aprendiz de encadernador. Dedica-se desde cedo à leitura de obras científicas. Entra em contato com as descobertas das ciências por meio das conferências do renomado químico sir Humphry Davy, detentor do conhecimento mais avançado disponível na época. Torna-se seu assistente aos 21 anos e o acompanha em viagens pela Europa, visitando importantes centros de cultura. De volta à Inglaterra, usa o laboratório da Royal Institution para fazer suas experiências. Apesar da pouca noção teórica, revela grande talento para a experimentação, conseguindo desenvolver avanços nos campos da química e da física. Entre suas contribuições nas duas áreas, encontram-se experiências como a da liquefação de quase todos os gases conhecidos, o isolamento do benzeno, a criação do primeiro motor eletromagnético, a elaboração da teoria da eletrólise e o domínio da noção de energia eletrostática. Em 1824 é eleito para a Royal Society, em Londres.



publicado por LUCIANO às 12:20
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Michael Jackson

Cantor, compositor, músico e dançarino norte-americano (29/8/1958-). Um dos maiores fenômenos da música pop, com 120 milhões de discos vendidos em 30 anos de carreira e 12 prêmios Grammy. Michael Joe Jackson começa a cantar aos 4 anos. Com os irmãos mais velhos, forma o grupo Jackson Five. Em 1972 lança-se em carreira-solo com o álbum Got to Be There e atinge o estrelato em 1979, com Off the Wall. De personalidade excêntrica e com forte esquema mercadológico, torna-se um dos personagens de maior exposição na mídia nos anos 1980. Seu álbum Thriller recebe oito prêmios Grammy, em 1984, e é o disco mais vendido na história fonográfica, com 55 milhões de cópias em todo o mundo. Multimilionário, constrói para si um ostentoso rancho nos Estados Unidos chamado de Neverland (Terra do Nunca, onde, entre outros luxos, mantém um zoológico particular. No auge da fama, Jackson começa a fazer cirurgias plásticas para a mudança dos traços faciais e clarear a pele por meio de medicamentos. As excentricidades de seu comportamento – como a fobia de contaminação e de envelhecimento – são evidenciadas pela mídia. Em 1993, é acusado de envolvimento sexual com uma criança. O processo é encerrado por um acordo financeiro com a família do garoto. No ano seguinte se casa com a filha de Elvis Presley, Lisa Marie Presley, que pede o divórcio em janeiro de 1996, alegando "diferenças incontestáveis". Em 1995, Jackson declara que tem vitiligo (doença cutânea que causa despigmentação), que alega ser a razão de sua pele ter se tornado clara ao longo dos anos. Em fevereiro de 1996, vem ao Brasil filmar o videoclipe de They Don''t Care about Us, que é gravado no Pelourinho, em Salvador, e na favela carioca do Morro Dona Marta. Em 1997, casa-se com a enfermeira Debbie Rowe, com quem tem dois filhos, Prince Michael Jackson Junior, nascido em 1997, e Paris Michael Katherine Jackson, de 1998.Divorcia-se dois anos depois do casamento, mas fica com a guarda das crianças. Com a imagem desgastada, passa a viver recluso, cancela shows agendados para a entrada do Terceiro Milênio e chega a anunciar o fim de sua carreira em 2000. Seu último álbum, Invincible, tem resultados abaixo das expectativas. Em 2002, responde a processo movido por seu ex-empresário. Em viagem a Berlim, na Alemanha, para o recebimento de um prêmio, protagoniza cenas que repercutem negativamente na opinião pública: exibe os filhos com os rostos cobertos por um véu e mostra seu terceiro filho, Prince Michael II, segurando-o perigosamente na sacada do hotel. Em 2003, é novamente acusado de abusar pedofilia. O cantor se entrega à polícia da Califórnia e é liberado depois de pagar fiança de três milhões de dólares, aguardando em liberdade seu julgamento, em 2005.



publicado por LUCIANO às 12:15
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Michael Jordan


Jogador de basquete norte-americano (17/2/1963-). Nasce em Nova York e é criado na Carolina do Norte. Em 1982 recebe uma bolsa de estudos para jogar basquete pela Universidade da Carolina do Norte e ajuda a escola a conquistar o campeonato universitário. Ganha medalha de ouro com a equipe olímpica norte-americana em 1984 e, no mesmo ano, abandona a faculdade para entrar no time profissional Chicago Bulls, em Chicago. Lidera o ranking de pontuação da National Basketball Association (NBA) por sete temporadas consecutivas, de 1987 a 1993, com média de mais de 30 pontos por partida. Recebe o prêmio de jogador de passe mais caro da NBA em 1988, 1991 e 1992 e leva a equipe a vencer o campeonato na temporada de 1991-1992 e de 1992-1993. Em 1992 ganha nova medalha de ouro nas Olimpíadas, com o chamado Dream Team. Antes do início da temporada 1993-1994, desmotivado e irritado com o assédio da mídia, se retira do Bulls para tentar carreira como jogador de beisebol, mas volta ao basquete e ao Chicago Bulls em março de 1995. No ano seguinte, estréia nas telas com o filme Space Jam, mistura de autobiografia e ficção. Em 1998 é escolhido pela quinta vez o melhor jogador da NBA. Em janeiro de 1999, anuncia sua retirada do basquete e diz que pretende apenas jogar golfe. Em 2001, aos 38 anos, volta a jogar pelo Washington Wizards. Em 2002, torna-se um dos quatro jogadores americanos a quebrar o recorde de 30 mil pontos em partidas e divorcia-se de Juanita Jordan, com quem teve três filhos em 13 anos de casamento. Em 2003, despede-se pela terceira vez das quadras de basquete.



publicado por LUCIANO às 12:11
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Michel Foucault


Filósofo francês. Pensador polêmico, cuja teoria põe em dúvida as teses de, no mínimo, dois pilares da cultura contemporânea: Karl Marx e Sigmund Freud.Michel Paul Foucault (15/10/1926-25/6/1984) nasce em Poitiers e estuda na Escola Normal Superior de Paris, diplomando-se em psicologia e psicopatologia. A partir de 1960 leciona na Universidade de Clermont-Ferrand e em instituições de ensino superior da Alemanha e da Suécia. Professor no Collège de France a partir de 1970, procura mostrar que as verdades sobre a natureza e a sociedade humana, tidas como permanentes, variam ao longo da história. Em História da Loucura na Idade Clássica (1961), observa como o pensamento é moldado pela hegemonia de um discurso e uma prática social determinados. Em Vigiar e Punir (1975), um de seus principais livros, analisa historicamente como o poder e condições políticas específicas afetam a produção do conhecimento. Visita o Brasil várias vezes e exerce grande influência em nossos meios intelectuais. De 1976 a 1984 trabalha na redação de sua História da Sexualidade, da qual publica apenas os três primeiros volumes.



publicado por LUCIANO às 12:08
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Michelangelo


Pintor, escultor, poeta e arquiteto italiano (6/3/1475-18/2/1564). Um dos maiores nomes do Renascimento. Nascido em Caprese, perto de Arezzo, aos 13 anos ingressa como aprendiz na oficina do pintor Ghirlandaio, um dos principais mestres do Quattrocento florentino. Em 1489 entra para a Escola de Escultura de Florença e lá permanece até a morte de Lorenzo de Medici, seu mecenas e amigo, em 1492. Nesse período se converte aos ideais de beleza e às concepções filosóficas da Grécia antiga. Estuda as esculturas gregas e romanas da coleção dos Medici e aprende anatomia humana. Em 1496 vai para Roma. Esculpe a Pietà, que se encontra ainda hoje na Basílica de São Pedro, no Vaticano. De volta a Florença, em 1501, faz a estátua David. Em 1505 o papa Júlio II encomenda-lhe seu túmulo. O artista passa oito meses escolhendo mármores para o mausoléu, mas não termina o projeto. Após a morte do papa, em 1513, esculpe duas grandes estátuas, Moisés e Os Escravos. De 1508 a 1512 pinta o teto da Capela Sistina com cenas do Velho Testamento. Nomeado primeiro arquiteto, pintor e escultor do Vaticano pelo papa Paulo III, projeta a enorme cúpula da Basílica de São Pedro. Já no fim da vida se dedica principalmente à arquitetura. Morre em Roma.



publicado por LUCIANO às 12:06
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Michelangelo Antonioni


Cineasta italiano (29/9/1912-). Um dos principais nomes da cinematografia contemporânea, influencia com sua obra toda uma geração de realizadores. Nasce em Ferrara, forma-se em economia e comércio, mas prefere trabalhar no jornalismo, como crítico de cinema Torna-se depois assistente de direção do francês Marcel Carné e roteirista do diretor Federico Fellini. A solidão, os problemas existenciais da classe média e o estilo de vida da burguesia são os temas centrais de seus filmes, que aprofundam a temática introspectiva do neo-realismo italiano inaugurado por Roberto Rossellini, Vittorio de Sica e Luchino Visconti. A trilogia A Aventura (1959), A Noite (1960) e O Eclipse (1961), sobre a incomunicabilidade do ser humano, obtém aplausos da crítica, mas pouco sucesso comercial. O reconhecimento do público vem com Blow-Up – Depois Daquele Beijo (1967), filmado em Londres. Dirige, entre outros, Zabriskie Point (1969), retratando a sociedade de consumo norte-americana, O Passageiro – Profissão: Repórter (1975) e Identificação de uma Mulher (1982). Afasta-se do cinema após sofrer um derrame cerebral em 1986. Em 1995, ganha um Oscar especial por sua carreira cinematográfica. A estatueta é roubada de sua casa no Natal de 1996. No início de 1995, surpreende com o lançamento de mais um filme, Além das Nuvens, rodado em colaboração com o cineasta alemão Wim Wenders. Em 2002, é homenageado no Festival de Veneza com um prêmio especial e uma retrospectiva de seu trabalho, e filma Eros, longa composto por três segmentos, um dirigido por ele e os outros por Wong Kar-wai e Steven Soderbergh, lançado em 2004 no Festival de Veneza. No mesmo ano exibe o curta Lo Sguardo de Michelangelo, no Festival de Cannes.



publicado por LUCIANO às 12:03
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mick Jagger


Cantor e compositor inglês (26/7/1943-). Líder dos Rolling Stones, considerados uma das maiores bandas de rock’n’roll de todos os tempos. Nasce em Dartford, cidade-dormitório de Londres. Em 1962, é bolsista de Administração de Empresas na London Scholl of Economics, que abandona após dois anos. Começa a freqüentar clubes de jazz com seu amigo Keith Richards. Os dois conhecem o guitarista Brian Jones, com quem montam um conjunto. Bill Wyman e Charlie Watts completam a formação original dos Rolling Stones. Em 1963, o grupo lança o primeiro disco, uma gravação de Come On, de Chuck Berry. Jagger e Richards começam a compor e, em 1964, a banda já lidera as pesquisas de popularidade, suplantando os Beatles. A canção Satisfaction, maior sucesso do grupo, sai em 1965. Em 1968, é lançado Beggar’s Banquet, considerado um dos melhores álbuns do conjunto. Em 1969, com a morte de Brian Jones, Jagger assume a liderança da banda. Em 1994, depois de cinco anos sem gravar, os Rolling Stones lançam o álbum Voodoo Lounge e realizam uma turnê mundial. Em janeiro de 1995, Jagger, com 51 anos, cinco filhos e um neto, apresenta-se pela primeira vez com os Stones no Brasil, feito que repetiria em 1998, na turnê de lançamento do disco Bridges to Babilon. Em 2001, Jagger produz o filme Enigma, uma ficção sobre a II Guerra Mundial, e dá prioridade à carreira-solo, assinando um contrato com a gravadora Virgin Records para o lançamento de um novo projeto pessoal -- o CD Goddess in the Doorway. Apesar de sua carreira solo provocar alguns desentendimentos entre os outros stones, no ano seguinte o grupo sai em uma turnê internacional, comemorando seus 40 anos de carreira. No mesmo ano, sai o anúncio de que Jagger receberia o títulode cavaleiro do Império Britânico. O músico recebe a condecoração em 2003, das mãos do príncipe Charles, o que provoca protestos dos demais Rolling Stones, especialmente Keith Richards, que declarou que a aceitação do título era algo "ridículo".



publicado por LUCIANO às 12:01
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Miguel Angel Asturias

Poeta, escritor e diplomata guatemalteco (19/10/1899-9/6/1974). Ganha o Prêmio Nobel de Literatura de 1967 por sua obra, que combina o misticismo maia com o protesto social e as aspirações morais de seu povo. Nasce na Cidade da Guatemala e forma-se em direito pela Universidade de San Carlos em 1923. Estuda etnologia na Sorbonne, em Paris, onde adere ao surrealismo, sob a influência do poeta francês André Breton. Em 1930 publica na França o primeiro livro, Lendas da Guatemala, no qual descreve a vida e a cultura maias antes da conquista espanhola. De volta à Guatemala, edita a revista radiofônica El Diario del Aire. Nessa época escreve livros de poesia, entre eles Sonetos (1936). Em 1946 inicia carreira diplomática, servindo em vários países das Américas Central e do Sul, e publica romances de sucesso, começando com El Señor Presidente (O Senhor Presidente, 1946), uma feroz denúncia das atrocidades cometidas pelo ditador guatemalteco Manuel Estrada Cabrera, retratado como uma espécie de arquétipo do tirano latino-americano. Homens de Milho, de 1949, que condena a exploração dos camponeses guatemaltecos, é considerado seu romance mais importante. Morre em Madri, na Espanha.



publicado por LUCIANO às 11:58
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Miguel de Cervantes


Escritor, dramaturgo e poeta espanhol (29/9/1547-23/4/1616). Miguel de Cervantes Saavedra nasce em Alcalá de Henares e, a partir de 1569, serve como soldado na Itália. Luta contra os turcos na Batalha de Lepanto (1571), na qual perde os movimentos da mão esquerda. Em 1575 participa da expedição contra Túnis. É preso por um corsário árabe e passa cinco anos em cativeiro. De volta à Espanha, escreve, até 1587, cerca de 30 peças de teatro e o primeiro livro, A Galatea (1585). Sem êxito na literatura, passa a trabalhar como coletor de impostos. O sucesso chega com Don Quixote de la Mancha (1605), sua principal obra, que ironiza as novelas de cavalaria ao contar as aventuras e desventuras de Quixote, o personagem-título, e de seu desastrado escudeiro, Sancho Pança. Dividido entre a ilusão e a realidade, Don Quixote é considerado o símbolo do espírito idealista e aventureiro do ser humano. Já Sancho Pança é o arquétipo do lado realista e do bom senso. Antes de morrer, em Madri, redige ainda Novelas Exemplares (1613), uma série de 12 pequenas histórias, e a segunda parte de Don Quixote (1615).



publicado por LUCIANO às 11:57
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mike Tyson


Pugilista norte-americano. É o mais jovem boxeador a conquistar o título mundial dos pesos pesados, aos 20 anos. Michael Gerald Tyson (30/6/1966-) nasce em Nova York. Por causa de pequenos crimes, vai em 1979 para um reformatório, onde conhece o treinador Cus D'Amato, sob cuja custódia deixa a instituição no ano seguinte. Depois de bem-sucedida carreira de boxeador amador, profissionaliza-se. Em 1985, vence 14 lutas, 11 das quais por nocaute no primeiro assalto. Em 1986, torna-se campeão mundial pelo Conselho Mundial de Boxe e, no ano seguinte, pela Associação Mundial de Boxe (WBA) e pela Federação Internacional de Boxe. Apesar do sucesso, tem uma conturbada vida pessoal. Em 1988, após um breve casamento, separa-se da atriz Robin Given. Em 1990, perde o título para James 'Buster' Douglas. Dois anos depois, acusado de estuprar uma jovem de 18 anos, é sentenciado a dez anos de prisão, pena depois reduzida para quatro. É libertado em 1995. Na prisão, conhece a médica Monica Turner, com quem se casa e tem dois filhos. Ela se torna uma das pessoas mais influentes em sua vida. No ano seguinte, Tyson recupera o título, mas perde-o novamente para Evander Holyfield. Em 1997, em revanche contra Holyfield, quase arranca a orelha do adversário com uma mordida e é desclassificado, além de tomar uma suspensão de um ano. Em 1998, desfaz sua parceria de 11 anos com o empresário Don King. Apesar de todos seus problemas legais e decadência no esporte, a possibilidade de empresariar Tyson atrai até o ex-jogador de basquete Magic Johnson, mas quem leva a melhor é a empresa de promoção America Presents. Em agosto de 1998, viola a liberdade condicional referente à condenação por estupro ao agredir dois homens. Após três meses e meio de prisão, sai novamente em condicional. Tem permissão da Justiça para lutar. Em 2001, sofre nova acusação de estupro por uma americana de 50 anos. Em 2002, desafiou o então o detentor do título dos pesos pesados, o inglês Lenox Lewis, mas foi nocauteado no oitavo round. Em 2003 derrota Clifford Etienne com um nocaute aos 49 segundos do primeiro assalto, lembrando seus bons tempos. No entanto, no mesmo ano volta a ser detido pela polícia, após uma briga em Nova York (EUA). Volta aos ringues em 2004, sendo nocauteado pelo inglês Danny Williams, a quinta derrota de uma carreira que acumula 50 vitórias, 43 por nocaute, e dois títulos mundiais.



publicado por LUCIANO às 11:52
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mikhail Bakúnin


Político russo (30/5/1814-1o/7/1876). Um dos teóricos do anarquismo, defende o uso da violência para promover mudanças na sociedade em direção a relações mais justas entre os homens. Nasce em Premukhino e entra na Universidade de Berlim em 1840. A partir do ano seguinte, dedica-se a atividades políticas. Propõe uma revolução universal liderada pelo campesinato. Entre 1843 e 1848 viaja pela Europa e conhece o filósofo alemão Karl Marx, defensor do comunismo, e o jornalista francês Pierre-Joseph Proudhon, principal pensador do anarquismo. Participa de movimentos revolucionários na Alemanha e acaba condenado à morte. Foge para a Rússia, onde é preso e deportado para a Sibéria (1857). Escapa da prisão em 1860 e volta para a Europa, envolvendo-se em atividades políticas na Polônia e na Itália. Em 1868 funda a Aliança Internacional Democrática Social, entidade responsável pela introdução do anarquismo na Espanha. Desenvolve intensa militância a favor do anarquismo, o que não o impede de produzir significativa obra teórica. Entre outros, escreve Deus e o Estado (1871), Federalismo, Socialismo e Antiteologismo (1872) e O Estado e a Anarquia (1873). Morre em Berna, na Suíça.



publicado por LUCIANO às 11:49
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mikhail Gorbachev


Estadista soviético (2/3/1931-), laureado com o Prêmio Nobel da Paz em 1990. Mikhail Serguéevich Gorbatchev nasce em Stavropol, na URSS, e estuda direito em Moscou. Casa-se em 1953 com Raísa Gorbacheva, com quem tem uma filha. Faz carreira no Partido Comunista da União Soviética (PCUS) e, em 1978, é eleito um dos secretários de seu Comitê Central. Em Moscou, torna-se braço direito de Iuri Andropov, o secretário-geral do PCUS. Em 1985, chega a secretário-geral e fortalece seu poder ao renovar a cúpula dirigente do partido. Durante o 27º Congresso do PCUS, em 1986, anuncia a perestroika (em russo, reestruturação) na economia e a glasnost (abertura e transparência) na política. As reformas são necessárias por causa da situação da economia soviética, à beira do colapso. Gorbatchev transfere parte do poder, antes centralizado pelo PCUS, para as assembléias das repúblicas que formam a URSS e liberta dissidentes, entre eles o físico Andrei Sakharov. Presidente da República eleito pelo Soviete Supremo em 1989, termina com a Guerra Fria entre a URSS e os Estados Unidos, assinando com o presidente norte-americano Ronald Reagan um acordo de destruição de armas nucleares. No ano seguinte, recebe o Prêmio Nobel da Paz. Em agosto de 1991, sofre uma tentativa de golpe por parte dos setores conservadores, mas retoma o poder em menos de 72 horas. Em dezembro do mesmo ano, a URSS vota sua autodissolução e Gorbatchev renuncia à Presidência. Desde então, faz conferências e escreve para vários jornais do mundo. Em 1992 cria a Fundação Gorbachev, um centro de estudos políticos e econômicos. No ano seguinte lança a Cruz Verde Internacional, que atua principalmente na área de educação ambiental. Em 2001 funda o Partido Social Democrata na Rússia, mas o deixa em 2004 após divergências com outros dirigentes. No mesmo ano recebe o prêmio Grammy de Melhor Álbum Falado para Crianças, junto com o ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, e a atriz Sophia Loren.




publicado por LUCIANO às 08:21
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Miles Davis


Trompetista e compositor norte-americano (25/5/1926-28/9/1991). Um dos maiores músicos do jazz. Miles Dewey Davis nasce em Alton, Illinois, filho de um próspero cirurgião dentista. Começa a tocar aos 13 anos e logo se apresenta com as bandas de Saint Louis. Em 1944 vai para Nova York, a fim de estudar no Institute of Musical Art, atual Juilliard School. Ali toca com o saxofonista Charlie Parker, o pai do bebop (primeiro estilo do jazz moderno), Dizzy Gillespie e outros até 1948, quando se torna o líder de sua própria banda, com nove componentes. Muda então do bebop para estilos mais experimentais e passa a ser o mais admirado instrumentista do pós-guerra. Introduziu o estilo cool jazz: introvertido, melancólico, de lirismo expressivo (como em Round About Midnight, 1955), com novas estruturas modais (Milestones, 1958), solos em orquestrações elegantes (Porgy and Bess, 1958) e fusão de harmonias de jazz com instrumentos e ritmos do rock (In a Silent Way, 1969). Depois de se aposentar por seis anos, por cause de problemas de saúde, retoma a carreira no Kool Jazz Festival, de Nova York, 1981. Vem ao Brasil em 1974 e 1986. Publica em 1989 sua autobiografia. Faz a última apresentação no Festival de Montreux em 1991, ano de sua morte.


publicado por LUCIANO às 08:18
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Millôr Fernandes

Jornalista, escritor, cartunista, tradutor, teatrólogo e humorista fluminense. Fundador do jornal independente O Pasquim e autor de mais de 100 peças teatrais. Milton Fernandes (16/8/1924-) nasce no Rio de Janeiro, no bairro do Meyer. Aos 14 anos, ao ver sua certidão de nascimento, descobre que não se chama Milton como supunha: o escrivão do cartório havia grafado incorretamente seu nome como Millôr. Começa a trabalhar nessa época na revista O Cruzeiro, na qual permanece até 1963. No ano seguinte, lança a revista humorística Pif-Paf. O projeto dá vida própria à seção homônima que assinara por quase dez anos em O Cruzeiro como Emmanuel Vão Gôgo, trocadilho que brinca com o nome do pintor Van Gogh e o do filósofo alemão Emmanuel Kant. A revista, porém, pára de circular no número 8. Em 1969, funda O Pasquim, juntamente com Tarso de Castro e Jaguar, entre outros. O jornal, em formato tablóide (a metade do tamanho dos diários), que mistura humor, cultura e política, é um dos pilares da imprensa contra a ditadura militar e inspira a criação de pequenos jornais em todo o país, conhecidos como imprensa alternativa. No primeiro número de O Pasquim, que chega às bancas em 26/6/1969, Millôr escreve que "se o jornal fosse independente, seria fechado, e que, se não fosse fechado, era porque deixara de ser independente". Entre 1968 e 1982, publica semanalmente uma seção de textos e charges em Veja. Em razão da censura política, Millôr cria uma fórmula de humor nonsense que se torna uma das marcas editoriais da revista. Colabora com várias revistas e jornais, como Isto É, Jornal do Brasil, Correio Braziliense, O Dia, O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo. Atua no teatro como autor (Flávia, Cabeça, Troncos e Membros, 1963 e É, 1977) e como tradutor de obras de Molière e de Shakespeare. No cinema, escreve os roteiros de O Judeu (1986, em parceria com Geraldo Carneiro e Tom Job Azulay), Últimos Diálogos (1995) e Matria (1999, com Geraldo Carneiro). Em 2000, lança seu irreverente site de internet Millôr Online. Em 2002, lança o livro Crítica da Razão Impura ou O Primado da Ignorância, satirizando os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e José Sarney. Lança em 2004 a coletânea Apresentações e volta a colaborar com a revista Veja.




publicado por LUCIANO às 08:14
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Milton Friedman

Economista norte-americano (31/7/1912-). Prêmio Nobel de Economia de 1976, importante teórico da escola monetarista, adepto da mínima intervenção do Estado na economia. Nasce em Nova York e estuda nas universidades de Rutgers e de Chicago antes de concluir o Ph.D. na Universidade de Columbia em 1946. É um dos líderes da escola monetarista de economia, segundo a qual o ciclo econômico é determinado mais pela oferta de dinheiro no mercado que pelo controle fiscal do Estado na economia. Para ele, tais intervenções deveriam ser substituídas pelo estudo da quantidade de moeda em circulação, em termos nacionais, e pelas taxas cambiais flexíveis, determinadas pelas oscilações de mercado, no plano internacional. Elabora suas idéias entre 1946 e 1983, como professor da Universidade de Chicago. Suas concepções influenciam governos de direita latino-americanos como o do general Augusto Pinochet, no Chile. Recebe a Medalha Nacional das Ciências e a Medalha Presidencial da Liberdade, ambas concedidas pelo governo dos Estados Unidosem 1988. Estão entre suas obras principais os Ensaios de Economia Positiva (1953), Capitalismo e Liberdade (1962), escrita com sua mulher, Rose D. Friedman, Uma História Monetária dos Estados Unidos e Inflação: Causas e Conseqüências (1963). Na década de 1990, torna-se senior research fellow na Stanford Hoover Institution e escreve, com a esposa, sua autobiografia, Two Lucky People. O livro é publicado em 1998 pela Universidade de Chicago. Atualmente, dirige com Rose, com quem é casado há mais de 50 anos, a Milton & Rose D. Friedman Fundation.


publicado por LUCIANO às 08:12
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Milton Nascimento


Cantor e compositor fluminense radicado em Minas Gerais. Um dos mais importantes artistas da música popular brasileira, premiado e reconhecido internacionalmente. Milton Silva Campos do Nascimento (26/10/1942-) nasce na cidade do Rio de Janeiro, filho de uma empregada doméstica. É adotado pela família de um bancário de Três Pontas, Minas Gerais, onde fica até a juventude, formando-se técnico em contabilidade. Aos 15 anos, monta seu primeiro conjunto e posteriormente se torna cantor do grupo W's Boys. Durante o ano de 1963 vive em Belo Horizonte, interpretando jazz ao lado de Wagner Tiso. Quatro anos depois, Elis Regina faz sucesso com uma composição sua, Canção do Sal. Alcança prestígio nacional em 1967, ao cantar Travessia no 2º Festival Internacional da Canção, no Rio de Janeiro, e ganhar o prêmio de melhor intérprete. Grava em 1968 o disco Courage, nos Estados Unidos (EUA). Entre outros trabalhos, lança a seguir o álbum duplo Clube da Esquina (1972), Milagre dos Peixes (1974) e Minas (1975), que são alguns dos pontos altos de sua carreira. Seguem-se Geraes (1976) e Clube da Esquina 2 (1978). Na década de 80 faz espetáculos e gravações de repercussão internacional nos Estados Unidos e na Europa. Destaca-se o disco Yauaretê (1987), do qual participam Paul Simon e Wayne Shorter. Em defesa da Amazônia, grava Txai (1990). Vêm em seguida os discos Angelus (1993) e Amigos (1995). Em 1997 enfrenta uma crise de diabetes, mas lança o CD Nascimento, pelo qual recebe, em 1998, o Prêmio Prêmio Grammy na categoria World Music. Em 1999 grava o CD Crooner, em que relembra o início da carreira no interior mineiro. Faz parceria com Gilberto Gil no álbum Gil & Milton, lançado em 2000. O disco traz músicas dos dois e de outros compositores brasileiros, como Dorival Caymmi. Apresentam o repertório do disco juntos, na Suíça, em 2001, no Festival de Montreux. Em 2001, Milton apresenta-se ainda no Rock in Rio. Em 2002, seu 60º. aniversário é comemorado com a exibição de especiais das TVs Multishow e Canal Brasil e o relançamento dos discos Maria Maria e Travessia, e no final do ano lança o inédito Pietá.



publicado por LUCIANO às 08:08
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Milton Santos

Geógrafo baiano. Autor de mais de 40 obras publicadas no Brasil e exterior, ganhador do Prêmio Internacional de Geografia Vautrin Lud (1994), o maior na sua especialidade. Milton Almeida dos Santos (3/5/1926- 24/06/2001) nasce em Brotas de Macaúbas, filho de professores primários. Alfabetizado pelos pais, começa o ginásio em Salvador em 1937. Com 15 anos, já dá aulas particulares de geografia. Estuda direito, chega a advogar em Ilhéus, mas paralelamente ensina geografia em escolas públicas. Mais tarde, muda-se para Salvador, onde continua lecionando -- agora em universidades --, além de trabalhar como repórter no jornal A Tarde. Em 1950, doutora-se em geografia pela Faculdade de Estrasburgo, na França. Com o golpe militar, em 1964, passa 100 dias preso em Salvador. Libertado, deixa voluntariamente o país e segue para a França. É nomeado professor da Universidade de Bordeaux e ensina na Sorbonne, em Paris. Posteriormente, vai para os Estados Unidos, onde faz pesquisa no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e dá aulas na Universidade de Columbia, em Nova York. Também ensina em Toronto, no Canadá, e presta consultoria sobre questões urbanas aos governos da Argélia e de Guiné-Bissau. Volta ao Brasil em 1977. Em 1984, é aprovado em concurso da Universidade de São Paulo (USP), na qual é hoje professor emérito. É consultor da ONU (Organização das Nações Unidas), da Organização dos Estados Americanos (OEA) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Em 1994, ganha o prêmio Vautrin Lud, espécie de Nobel da geografia. Morre em São Paulo, em junho de 2001, de câncer. No mesmo ano, a 53ª SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), ocorrida em Salvador, presta homenagens a ele. Em 2002, uma coletânea de seus artigos é publicada com o título de O País Distorcido.



publicado por LUCIANO às 08:06
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mino Carta

Jornalista italiano naturalizado brasileiro. Um dos mais destacados do país, participa da criação e direção das principais revistas semanais de informação. Demetrio Carta (3/9/1933-) nasce em Gênova, neto e filho de jornalistas. Mitino, apelido de infância, entra pela primeira vez numa redação aos 4 anos, quando seu pai, Gianino Carta, é redator-chefe do jornal Século XIX. Aos 12 anos, muda-se para o Brasil com a família, após o pai ser contratado para dirigir a Folha de S.Paulo. Começa a escrever na adolescência, fazendo crônicas de futebol. Em 1956, viaja para a Itália, onde trabalha nos jornais Gazeta del Popolo e Il Messagero. Volta ao Brasil e, a partir de 1960, participa da criação e direção da revista Quatro Rodas, na Editora Abril. Em seguida, faz o mesmo com o Jornal da Tarde, vespertino do grupo O Estado de São Paulo. Volta para a Editora Abril e assume a direção de redação de Veja, em 1968, na qual desenvolve uma nova concepção de revista semanal no país, destacando a cobertura de acontecimentos políticos. Desliga-se de Veja oficialmente em março de 1976 e, a partir daí cria e dirige, entre outros veículos, a revista semanal IstoÉ, o Jornal da República, a revista Senhor e Carta Capital, que dirige atualmente. Dedicado também à pintura, faz exposições em Milão, em 1957, e no Museu de Arte de São Paulo, em 1994. Em 2000, lança o livro Castelo de Âmbar, e em 2003 sua continuação, A Sombra do Silêncio, nos quais, misturando ficção e elementos auto-biográficos cifrados, trata das relações entre o poder e a mídia.



publicado por LUCIANO às 08:03
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mira Schendel

Pintora e desenhista brasileira de origem suíça. Torna-se famosa por suas composições geométricas simplificadas, com elementos mínimos. Mira Schendel (1919-24/7/1988) nasce em Zurique. Estuda filosofia em Milão, Itália, onde inicia a carreira artística. Autodidata no uso das técnicas de pintura, aos 29 anos chega ao Brasil e se estabelece em Porto Alegre. Depois de participar de 22 exposições individuais no país e no exterior, fixa-se definitivamente em São Paulo, em 1952. Entre os prêmios que recebe em seus primeiros anos no país estão o 1º Prêmio da Primeira Exposição de Arte Moderna de Santa Maria, no Rio Grande do Sul (1952); o 1º Prêmio no Salão Universitário de Salvador, na Bahia (1953); e o Prêmio Aquisição no XI Salão Paulista de Arte Contemporânea, em São Paulo (1962). Chega a expor duas vezes por ano, como em 1966, quando tem seus quadros no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e na Galeria Signals, em Londres. Eles também são vistos em Graz, na Áustria (1969), Nova Délhi, na Índia (1971), e em Washington, nos Estados Unidos (1973). Nos anos 70 lança seus inovadores "cadernos" - trabalhos em papel vegetal organizados em seqüência de forma a permitir justaposições e múltiplas leituras. Participa de sete Bienais Internacionais de São Paulo, cidade onde morre.



publicado por LUCIANO às 08:01
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mobutu Sese Seko


Militar e político congolês (14/10/1930-7/9/1997). Joseph Désiré Mobutu nasce em Lisala, no então Congo Belga. Aos 19 anos, entra para o exército colonial, no qual se torna coronel aos 30 anos. Em 1960, após a independência do Congo, é nomeado chefe da defesa nacional. Cinco anos mais tarde, lidera um golpe que derruba o presidente Moise Tshombe e assume o governo. Na política externa, sua principal atitude é incentivar os investimentos estrangeiros, o que lhe vale o apoio norte-americano. Em 1971 lança sua política de "retorno à autenticidade africana", mudando o nome do país para República do Zaire e o próprio nome para Mobutu Sese Seko. Candidato único nas eleições presidenciais de 1970, 1977 e 1984, continua no poder à custa da repressão à oposição. Seu governo é marcado pela corrupção e pela má administração – a fortuna pessoal, porém, calculada em 4 bilhões de dólares na época, só faz crescer. Em 1994, mais de 1 milhão de ruandeses, na maioria da etnia hutu, ingressam no leste do Zaire, para escapar do genocídio em seu país. A chegada dos refugiados desestabiliza a região, habitada pelos tutsis, inimigos históricos dos hutus e cuja presença Mobutu tolera. Inicia-se uma guerrilha dos tutsis contra o governo e os hutus, que prossegue até 1997. Em maio, Mobutu é derrubado pela guerrilha, liderada por Laurent-Désiré Kabila, e foge do país, que volta a se chamar República Democrática do Congo. Morre de câncer em setembro, no Marrocos.



publicado por LUCIANO às 07:57
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Mohammad Reza Pahlevi


Político iraniano (26/10/1919-27/7/1980). Nascido em Teerã, filho do xá Reza Pahlevi, é educado na Suíça e no Colégio Militar de Teerã. Sobe ao trono em 1941, quando os Aliados, acreditando que o Irã colaborava com os nazistas, forçam a abdicação de seu pai. Em 1953, o primeiro-ministro Mohammad Mussadeq rompe relações com o Reino Unido depois que nacionaliza companhias petrolíferas estrangeiras, quase todas britânicas. A União Soviética apóia o Irã e a crise atinge o auge em agosto de 1953, quando Mussadeq é deposto por um golpe militar conduzido com a ajuda dos serviços secretos do Reino Unido e dos Estados Unidos (EUA). Pahlevi assume poderes ditatoriais e inicia um programa de desenvolvimento chamado de revolução branca, que, entre outras iniciativas, estabelece a reforma agrária e o direito de voto às mulheres. Com a crescente importância do petróleo na década de 70, o Irã torna-se uma grande força militar no Oriente Médio, com o apoio dos EUA. Acusado de promover a ocidentalização do país, o xá sofre intensa oposição dos xiitas, seita islâmica ultraconservadora liderada pelo aiatolá Ruhollah Khomeini. O governo não consegue controlar a insurreição, e Khomeini sobe ao poder. Em janeiro de 1979, Reza Pahlevi é obrigado a exilar-se com a família. Vai para Egito, Marrocos e México antes de se estabelecer nos EUA, onde faz tratamento de câncer. Morre no Cairo.



publicado por LUCIANO às 07:54
Sábado, 16 DE Fevereiro DE 2008

Molière


Dramaturgo francês (15/1/1622-17/1/1673). Pseudônimo de Jean-Baptiste Poquelin, considerado o mais talentoso escritor de peças de teatro da comédia francesa. Nasce em Paris, em família rica, e tem educação privilegiada. Estuda no Colégio Jesuíta de Clermont e se interessa cedo por literatura e filosofia. Em 1643 começa a fazer teatro com a família de atores de uma jovem por quem se apaixona. Atua como ator, diretor e autor no Grupo L''Illustre Théâtre, que se apresenta em Paris e pelo interior da França. De volta à capital, em 1658, participa de apresentações no Louvre e faz sucesso com o público jovem e com o rei Luís XIV ao satirizar no palco alguns de seus adversários religiosos. Critica a hipocrisia e as convenções sociais repressoras, a crendice dos beatos e a presunção do médico, do fidalgo e do burguês. Trata da natureza humana em suas comédias, revelando o lado cômico e melancólico de suas atitudes e crenças. De 1660 até a morte, ocorrida em Paris, escreve 28 peças, numa média de duas por ano. Entre elas estão obras-primas como Escola de Mulheres (1662), Tartufo (1664), O Avarento (1668), O Burguês Fidalgo (1670) e O Doente Imaginário (1673).



tags:
publicado por LUCIANO às 07:51

pesquisar

 

Fevereiro 2008

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9

comentários recentes

  • quando cipriano sai da cadeia pq ele decide ir par...
  • Acabei de ler "As Regras do Tagame":http://numadel...
  • Boa iniciativa, a de publicar biografias relevante...
  • O Barão de Cotegipe é um grande pers...
  • este é o escultor victor brecheret, não é aldo bon...
  • Para saberem mais sobre Ledoux sigam este link:htt...
  • Caro amigo, esta "biografia" do sr.Amador Aguiar e...
  • CIRO, O GRANDE!!!!!!!!!!!!WHITE PRIDE!!!!!!!!!!!!w...
  • Muito interessante!Tenho um texto muito parecido n...
  • your blog is really good! http://sot77.blogspot.co...

Posts mais comentados

arquivos

Feedjit

Visitantes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro