LUCHINO VISCONTI


Cineasta italiano (2/11/1906-17/3/1976). Um dos líderes do neo-realismo italiano. Nascido em Milão, membro de uma aristocrática família da Lombardia – tem direito ao título de duque –, passa a infância em meio às artes e recebe uma sólida educação clássica. Aos poucos, interessa-se por cinema e se torna diretor de cena de vários teatros italianos. Ganha fama como encenador de óperas, tendo dirigido grandes divas do canto lírico, como Renata Tebaldi e Maria Callas. Em 1935 viaja para Paris e conhece Jean Renoir, que o convida a trabalhar como assistente nos filmes Les Bas-Fonds e Une Partie de Campagne. Volta à Itália durante a II Guerra Mundial e reencontra Renoir. Os dois filmam juntos La Tosca, baseado na ópera de mesmo nome. Seu primeiro sucesso como diretor é Obsessão (1942), adaptação de um romance de suspense do norte-americano James Cain. Em 1948 dirige La Terra Trema, que ganha o Grande Prêmio no Festival de Veneza. Trata-se de um documentário sobre a vida de pescadores sicilianos, feito no local e sem atores profissionais, que leva o diretor a assumir, ao lado de Vittorio De Sica e de Roberto Rossellini, a liderança do movimento neo-realista. Rocco e Seus Irmãos (1960), que revela o ator Alain Delon, é mais um trabalho nessa linha. Depois de Morte em Veneza (1971), o cineasta adota um estilo mais reflexivo e pessoal. Morre cinco anos depois, em Roma, ao concluir a edição de O Inocente.
publicado por LUCIANO às 10:50