JOSÉ LINS DO REGO

Escritor paraibano. Um dos expoentes da literatura regional nordestina, suas obras denunciam as injustiças sociais do Nordeste.José Lins do Rego Cavalcanti (3/6/1901-12/9/1957) nasce no engenho Corredor, município de Pilar. Estuda em Itaibaiana e João Pessoa, então Paraíba. Muda-se depois para o Recife, onde entra em contato com intelectuais como Gilberto Freyre, que têm influência em sua formação. Diplomado em direito em 1925, é nomeado promotor público em Manhuaçu (MG). Logo abandona essa carreira para se dedicar à literatura. Cria dois tipos de personagem, símbolos do novo e do ultrapassado: o branco rico que vai estudar na capital, mas sem ter um ideal; e o negro pobre que foge em busca de independência. Seus romances Menino de Engenho (1932), Bangüê (1934) e Usina (1936), entre outros, pertencem à primeira fase de sua produção, o ciclo da cana-de-açúcar. Em 1935 muda-se para o Rio de Janeiro e escreve crônicas na imprensa. Publica mais alguns romances, já fora do ciclo, entre eles Água-Mãe (1941), o primeiro ambientado fora do Nordeste e Fogo Morto (1943), considerado seu melhor romance. Morre no Rio de Janeiro.



publicado por LUCIANO às 05:40