JORGE BORNHAUSEN


Político carioca com atuação em Santa Catarina (1º/10/1937-). É o atual presidente do Partido da Frente Liberal (PFL). Nasce na cidade do Rio de Janeiro, para onde sua família se muda depois da Revolução de 1930, quando o pai é impedido de continuar a exercer suas atividades políticas em Santa Catarina. Possui ascendência suíça pelo lado paterno, e alemã, pelo materno. Forma-se em direito na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) em 1960. Em seguida, vai para Santa Catarina trabalhar como escriturário no Banco da Indústria e Comércio (Inco), do qual o pai é acionista majoritário. Passa por todos os setores da instituição até ser nomeado vice-governador pela Aliança Renovadora Nacional (Arena), em 1967, e seguir a carreira política. É presidente da Arena de 1972 a 1975, presidente do Banco do Estado de Santa Catarina até 1978 e governador nomeado pela Assembléia Legislativa catarinense até 1982. No final do mandato, elege-se senador pelo Partido Democrático Social (PDS), que substitui a Arena. No ano seguinte, participa da fundação do Partido da Frente Liberal (PFL), tornando-se presidente da legenda. Reelege-se para o mesmo cargo em 1993 e em 1999. Na iniciativa privada, é membro do conselho consultivo das Indústrias Chapecó e da Mercedes-Benz do Brasil. Com a renúncia do senador Antônio Carlos de Magalhães em 2001 (que volta a se eleger em 2002), Bornhausen consolida a posição de líder do PFL e de principal interlocutor do partido com o governo de Fernando Henrique Cardoso. Com a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva, Bornhausen passa a ser um dos principais nomes da oposição.



publicado por LUCIANO às 11:47