MARIA DELLA COSTA - Atriz gaúcha

Atriz gaúcha. Uma das maiores empreendedoras do teatro brasileiro, amplia o repertório nacional e lança novos autores.Gentile Maria Marchioro Polloni (1º/1/1926-) nasce em Flores da Cunha, interior do Rio Grande do Sul, filha de pai italiano e mãe brasileira. Tem uma infância pobre. Seus pais se separam e ela vai viver com a mãe em Porto Alegre. Dos 10 aos 14 anos, estuda num internato de freiras e, ao sair, consegue emprego num laboratório fotográfico. Sua carreira começa quando é vista, num parque da capital, por Justino Martins, então editor da Revista Globo, que a convida para ser modelo fotográfico. Aos 15 anos, casa-se com o jornalista Fernando de Barros, então profissional de maquiagem, que a leva para ser show girl no Cassino Copacabana, no Rio de Janeiro. Começa a ser requisitada para fotos em anúncios publicitários. Viaja e estuda por três anos no Conservatório de Arte Dramática de Portugal. Volta ao Brasil em 1946 e, logo depois, casa-se com o ator Sandro Polloni. Funda o Teatro Popular de Arte com o marido e passa a fazer montagens itinerantes por todo o Brasil. Em 1954, inaugura seu próprio teatro em São Paulo, interpretando Joana d'Arc em O Canto da Cotovia. Sua companhia é responsável por montagens antológicas de Nélson Rodrigues (Anjo Negro, Vestido de Noiva), além de inaugurar nos palcos brasileiros textos de Jean-Paul Sartre, Bertolt Brecht e Jorge Andrade. Participa do Festival das Nações, em Paris, e ganha o Prêmio Sarah Bernhardt pela peça Gimba, de Gianfrancesco Guarnieri. Em Depois da Queda (1964) também ganha destaque ao representar Marilyn Monroe. Na televisão, atua em Estúpido Cupido (1976), As Bruxas, Beto Rockefeller (1968-1969) e Te Contei? (1978). Em razão da censura no regime militar, decide ficar fora dos palcos em 1976 e viver em Parati (RJ), onde compra um hotel. Volta em 1982, com a peça Motel Paradiso. Não tem filhos. Em 2000, é homenageada, ao lado da a atriz Maria Fernanda Cândido, na 16ª edição do Prêmio Internacional Lumière concedido pelo Instituto Italiano de Cultura, em São Paulo. As duas recebem a menção honrosa por terem desenvolvido trabalhos culturais ligados à Itália. Em 2003, uma exposição no Centro de Estudos e Memória do Teatro Paulista, no Arquivo do Estado (SP), homenageia a carreira de Maria Della Costa como atriz e produtora.


publicado por LUCIANO às 06:11