HERBERT MARCUSE


Filósofo alemão radicado nos Estados Unidos (EUA) (19/7/1898-29/7/1979). Um dos principais críticos da sociedade capitalista de consumo, inspirador ideológico do movimento estudantil de protesto que eclode na França e nos EUA em maio de 1968. Nasce em Berlim e forma-se pela Universidade de Freiburg. Com a ascensão dos nazistas, muda-se para a Suíça e depois para os EUA. Afirma em sua obra que o proletariado dos países desenvolvidos é interessado na conservação do capitalismo porque se beneficia dele. E que, assim, somente as minorias oprimidas, as camadas marginalizadas representadas pelos povos do Terceiro Mundo, têm potencial revolucionário para derrubar o capitalismo e construir uma sociedade sem exploração. Para ele, a repressão sexual e a repressão social são dois lados de uma mesma moeda, ou seja, estão indissociáveis na cultura capitalista. E a tolerância percebida entre certas sociedades industriais avançadas não passa de pseudoliberdade, a qual, no fundo, conduz ao conformismo. Suas principais obras são: Razão e Revolução (1941), Eros e Civilização (1955), O Homem Unidimensional (1964) e O Fim da Utopia (1967), além da coletânea de artigos Cultura e Sociedade (1965). Morre em Starnberg, na Alemanha.


publicado por LUCIANO às 04:42