Vladimir Palmeira

Economista e político alagoano. Importante líder estudantil durante o Regime Militar e deputado constituinte em 1986. Vladimir Gracindo Soares Palmeira (11/12/1944-) nasce em Maceió, em família de marcante atuação política. Seu pai, Rui Palmeira, participou da elaboração da Constituição de 1946. Um de seus irmãos, Guilherme Palmeira, governou Alagoas e outro, Miguel Palmeira, foi deputado estadual. Inicia a militância ainda na juventude, no Rio de Janeiro. Estudante de direito, é eleito em 1967 presidente da União Metropolitana dos Estudantes (UME) e, em junho de 1968, lidera a organização da Passeata dos 100 Mil. O ato, que reúne estudantes, intelectuais, operários, profissionais liberais e religiosos, foi uma das primeiras grandes manifestações contra a ditadura militar. Em outubro de 1968, participa do encontro clandestino organizado pela União Nacional dos Estudantes (UNE) em Ibiúna (SP). Acaba preso juntamente com centenas de universitários, mas fica detido por causa de sua atuação na liderança do movimento. É libertado em setembro de 1969 com outros 14 presos políticos, em troca do embaixador norte-americano Charles Elbricke, seqüestrado por guerrilheiros de esquerda. Viaja para o exílio. Dez anos depois, com a anistia, retorna ao Brasil e participa da criação do Partido dos Trabalhadores (PT). Em 1986, é eleito deputado federal pelo Rio de Janeiro e participa da elaboração da nova Constituição. Em 1998, chega a ser escolhido pelo diretório estadual do PT como candidato ao governo fluminense, mas a direção nacional do partido intervém e não permite sua candidatura, alegando que ela pode quebrar a aliança política mantida com o PDT, o que provoca protestos da ala mais radical do partido. No mesmo ano, é publicado o livro que escreve com o companheiro de partido José Dirceu, Abaixo a Ditadura, sobre o movimento estudantil de 1968.

publicado por LUCIANO às 14:27