EDVARD MUNCH


Pintor norueguês (12/12/1863-1944). É o principal representante do expressionismo de seu país. Nascido em Löten, perde a mãe na infância e a irmã na adolescência, ambas vitimadas pela tuberculose. Outra irmã sofre de doenças mentais. Também morrem um irmão e o pai, abatido pela depressão. A doença e a morte são temas recorrentes nas obras do artista. Estuda na Escola de Arte e Artesanato de Christiania (hoje Oslo) e aprende com Paul Gauguin, em Paris, o uso não naturalista da cor, ou seja, o céu não precisa ser azul. Em 1892 expõe 45 trabalhos a convite da União de Artistas Berlinenses e causa polêmica com a expressão de emoções violentas em suas obras. Abalado por excesso de trabalho e uma desilusão amorosa, o pintor entrega-se ao alcoolismo, sofrendo o que ele mesmo chama de "colapso mental completo". Em 1908 decide internar-se em uma clínica para doenças nervosas em Copenhague. Oito anos mais tarde instala-se em sua casa em Ekely, perto de Oslo. Em 1937, os nazistas apreendem 82 de suas obras. As restantes o autor deixa em testamento para a cidade de Oslo, onde é fundado o Museu Munch. Morre em Ekely.



publicado por LUCIANO às 08:43