MARIA LENK - Nadadora paulista

Nadadora paulista. Primeira brasileira a se tornar recordista mundial de natação. Maria Lenk (15/1/1915-) nasce em São Paulo, primogênita de um casal de alemães. Na infância, reside às margens do rio Tietê, então um dos principais locais onde eram realizadas provas de nado na cidade. É incentivada pelo pai, que era ginasta, a dedicar-se à natação. Aos 15 anos, participa de sua primeira competição, organizada pelo jornal Gazeta Esportiva. Em 1931, entra para o Clube Atlético Tietê, que acabara de inaugurar a primeira piscina olímpica do Brasil, de 50 metros. Vence em 1935 o primeiro campeonato sul-americano feminino nas provas de peito e costas, realizada no Rio de Janeiro. Forma-se no curso de educação física da Universidade de São Paulo no mesmo ano. Viaja durante alguns anos por Europa, Japão e Estados Unidos e aprimora sua técnica. Em uma competição estadual, no Rio de Janeiro, em 1939, bate dois recordes mundiais no nado de peito: 2min56s, nos 200 m, e 7min10s, nos 400 m. Perde a chance de ganhar uma medalha olímpica com o cancelamento das Olimpíadas de 1940 devido ao início da II Guerra Mundial. Nesse ano, passa a lecionar na escola de educação física da Universidade do Brasil, hoje Universidade Federal do Rio de Janeiro, até aposentar-se em1982. Casada com um norte-americano, é mãe de um casal, é avó e participa de competições masters de natação. Em 2002 obteve três títulos no Campeonato Mundial de Masters na Nova Zelândia, elevando para 35 a coleção de campeonatos conquistados em sua carreira. Em 2003, conquista cinco medalhas de ouro no Campeonato Brasileiro de Masters de Natação, e duas medalhas de ouro e quatro pratas no United States Masters Championship, campeonato nacional da categoria nos EUA. Sofre uma queda em novembro, que lhe quebra o fêmur e a faz passar por uma cirurgia. Recuperada, volta logo às competições, conquistando duas medalhas de prata e duas de bronze no Campeonato de Mundial de Masters, na Itália (2004).É também autora de vários livros. O mais recente é Longevidade e Esporte (2003).

publicado por LUCIANO às 06:03