FRANCIS BACON


Filósofo e político inglês (22/1/1561-9/4/1626). Fundador do empirismo moderno, corrente filosófica que vincula a teoria ao aprendizado pela experiência. Nasce em Londres e tem uma educação orientada para a carreira política. Sua habilidade como orador o leva à Câmara dos Comuns em 1584. Exerce vários cargos públicos durante o reinado de Jaime I, até se tornar grande chanceler, em 1618. No mesmo ano recebe o título de barão de Verulam e, três anos mais tarde, o de visconde de St. Albans. Acusado de corrupção, é condenado a pagar pesada multa e proibido de exercer funções públicas, além de passar algum tempo na prisão. Como pensador, é pioneiro ao traçar o primeiro esboço racional de uma metodologia científica. Escreve, entre outras obras, Novum Organum – Novo Método (1620) e De Dignitate et Augmentis Scientiarum – Sobre a Dignificação e o Progresso das Ciências (1623). Seus Ensaios, produzidos em 1597, 1612 e 1625, servem de modelo para a moderna prosa inglesa. Morre em Londres.



publicado por LUCIANO às 20:10