Vladimir Nabókov


Romancista, poeta e crítico russo naturalizado norte-americano (22/4/1899-2/7/1977). Vladímir Vladimirovitch Nabókov nasce em São Petersburgo, em uma família aristocrática. Aos 17 anos escreve seu livro Poemas. Em 1919, após a Revolução Russa, muda-se com os pais para a Inglaterra e gradua-se pela Universidade de Cambridge (1922). No ano seguinte vai para a Alemanha e, sob o pseudônimo de Vladimir Sirin, publica poemas no jornal da colônia russa em Berlim. Sua primeira novela, Mashenka, é escrita em 1926. A principal obra desse período é o romance O Presente, de 1937, no qual cria a fórmula que marcará seus escritos posteriores: o uso da paródia com objetivos sérios. Em 1940 muda-se para os Estados Unidos, obtendo a cidadania norte-americana em 1945. Bend Sinister, sua primeira novela em inglês, é publicada em 1947. Como crítico, escreve um trabalho sobre o escritor russo Nikolai Gogol (1944) e um alentado comentário ao livro Eugene Onegin, de Pushkin (1964). Seu romance mais conhecido é Lolita (1955), história da paixão doentia de um intelectual de meia-idade por uma menina de 12 anos. Em 1959 muda-se para a Suíça. Morre em Montreux.

publicado por LUCIANO às 14:30