Tarcísio Meira


Ator paulista. Protagonista da primeira telenovela diária brasileira, já interpretou mais de 75 personagens na televisão, no cinema e no teatro. Tarcísio Magalhães Sobrinho (5/10/1935-) nasce em São Paulo em uma família de classe média. Aos 22 anos, é reprovado no exame do Instituto Rio Branco e desiste de seguir a carreira diplomática. Dois anos depois, recebe convite do ator e diretor Sérgio Cardoso para contracenar com ele em O Soldado Tanaka. A partir daí, apresenta-se em várias montagens no teatro, entre elas Chá e Simpatia e Quando as Paredes Falam. Estréia na televisão em 1961, fazendo papéis secundários. Em 2-5499 Ocupado (1963), a primeira telenovela diária do país, atua ao lado de sua mulher, a atriz Glória Menezes. A dupla protagoniza a seguir telenovelas de grande apelo popular, como Irmãos Coragem (1970/1971) e O Semideus. Na década de 70, trabalha intensamente no cinema. Destaca-se em Independência ou Morte (1972), de Carlos Coimbra, no papel de dom Pedro I, e em O Marginal (1974), de Carlos Manga. Participa da consagrada novela policial do cinema brasileiro, O Descarte, dirigida por Anselmo Duarte. Filma ainda A Idade da Terra (1980), de Glauber Rocha, e Amor, Estranho Amor (1982), de Walter Hugo Khouri. Em 1983, interpreta pela primeira vez um papel cômico, na telenovela Guerra dos Sexos. Tem atuação marcante nas minisséries O Tempo e o Vento, como o romântico capitão Rodrigo; e Grande Sertão: Veredas, na qual representa Hermógenes, chefe do bando que mata Diadorim, personagem central do romance de Guimarães Rosa. Em 1986, encena com Glória Menezes a peça Um Dia Muito Especial, adaptação para os palcos do filme do diretor italiano Ettore Scola, na qual vive um homossexual perseguido pelo fascismo. No mesmo ano, estrela um dos principais filmes de Khouri, Eu, no papel de um homem rico obcecado por mulheres. Em 1987, faz o vilão Renato Villar na telenovela Roda de Fogo, um de seus maiores sucessos. Na minissérie A Muralha (2000) é bastante elogiado pela encenação do perverso Dom Jerônimo. Para que sua interpretação ganhe maior dramaticidade, utiliza uma máscara de silicone. Em 2002, interpreta o papel de um vampiro na novela O Beijo do Vampiro, da Rede Globo.

publicado por LUCIANO às 12:41