Pedro Aurélio de Góis Monteiro

Militar e político alagoano. Destacado líder das Forças Armadas na era getulista. Pedro Aurélio de Góis Monteiro (12/12/1889-26/10/1956) nasce em São Luís do Quitunde. Descendente de proprietários de engenho, é o mais velho de nove irmãos. Após a morte de seu pai, ingressa no Exército e estuda na Escola Preparatória do Realengo. Em 1909 conclui o curso na Escola Militar de Porto Alegre (RS). Na capital gaúcha, colabora no jornal O Debate, dirigido por Getúlio Vargas. Transfere-se para o Rio de Janeiro no posto de tenente, em 1913. Como oficial, encarrega-se da repressão à Coluna Prestes entre 1925 e 1926, acompanha o movimento da coluna de Goiás até sua chegada na Bolívia. Na Revolução de 1930 chefia as tropas militares que se insurgem no Rio Grande do Sul e marcham contra o presidente Washington Luís até o Rio de Janeiro. É um dos fundadores da organização política Legião de Outubro (1930), cujo manifesto apresenta idéias nacionalistas e fascistas. Comanda as forças legalistas que derrotam a Revolução Constitucionalista de 1932 irrompida em São Paulo. General, atua como ministro da Guerra entre 1934 e 1935 e, como chefe do Estado-Maior do Exército, é um dos inspiradores do golpe de 1937, que implanta o Estado Novo de Getúlio Vargas. Sustenta inicialmente uma política externa favorável às potências do Eixo (Alemanha nazista e Itália fascista). Em 1944 é delegado para o Comitê de Defesa do Continente, com sede em Montevidéu, no Uruguai. Retorna ao Ministério da Guerra e atua como um dos líderes do movimento militar que depõe o presidente Getúlio Vargas em outubro de 1945. Elege-se senador por Alagoas (1947-1950) e encerra sua vida pública como ministro do Superior Tribunal Militar (1952). Morre no Rio de Janeiro.



publicado por LUCIANO às 13:01