Milton Friedman

Economista norte-americano (31/7/1912-). Prêmio Nobel de Economia de 1976, importante teórico da escola monetarista, adepto da mínima intervenção do Estado na economia. Nasce em Nova York e estuda nas universidades de Rutgers e de Chicago antes de concluir o Ph.D. na Universidade de Columbia em 1946. É um dos líderes da escola monetarista de economia, segundo a qual o ciclo econômico é determinado mais pela oferta de dinheiro no mercado que pelo controle fiscal do Estado na economia. Para ele, tais intervenções deveriam ser substituídas pelo estudo da quantidade de moeda em circulação, em termos nacionais, e pelas taxas cambiais flexíveis, determinadas pelas oscilações de mercado, no plano internacional. Elabora suas idéias entre 1946 e 1983, como professor da Universidade de Chicago. Suas concepções influenciam governos de direita latino-americanos como o do general Augusto Pinochet, no Chile. Recebe a Medalha Nacional das Ciências e a Medalha Presidencial da Liberdade, ambas concedidas pelo governo dos Estados Unidosem 1988. Estão entre suas obras principais os Ensaios de Economia Positiva (1953), Capitalismo e Liberdade (1962), escrita com sua mulher, Rose D. Friedman, Uma História Monetária dos Estados Unidos e Inflação: Causas e Conseqüências (1963). Na década de 1990, torna-se senior research fellow na Stanford Hoover Institution e escreve, com a esposa, sua autobiografia, Two Lucky People. O livro é publicado em 1998 pela Universidade de Chicago. Atualmente, dirige com Rose, com quem é casado há mais de 50 anos, a Milton & Rose D. Friedman Fundation.


publicado por LUCIANO às 08:12