GYORGY LUKÁCS


Filósofo e crítico húngaro (13/4/1885-4/6/1971). Conhecido por ter elaborado uma teoria marxista da arte, é chamado de o Marx da estética. Nasce em Budapeste, onde começa os estudos, complementados em Berlim e Heidelberg, na Alemanha. Sua primeira obra de repercussão na Europa é a coletânea de ensaios A Alma e as Formas, de 1911. Entra para o Partido Comunista Húngaro em 1918 e é nomeado comissário do povo para a educação. Vive exilado em Viena entre 1919 e 1929, quando publica História e Consciência de Classe (1923), obra fundamental do marxismo heterodoxo. Entre 1930 e 1933 dá aulas no Instituto Marx-Engels, em Moscou. De volta à terra natal, leciona estética e filosofia da cultura na Universidade de Budapeste. Os críticos de esquerda reprovam seu apreço por escritores "da burguesia", como Goethe, Shakespeare e Balzac. Embora defenda uma estética com base no marxismo, opõe-se ao controle político dos artistas. Durante a intervenção soviética na Hungria, em 1957, é preso e deportado para a Romênia, onde permanece cinco meses. Morre em Budapeste.



publicado por LUCIANO às 14:17