DERCY GONÇALVES

Atriz fluminense. Uma das principais estrelas da era do teatro de revista, é a comediante brasileira com a mais longa carreira na mídia. Dolores Costa Bastos (23/6/1907-) nasce em Santa Maria Madalena, no Rio de Janeiro. Filha de alfaiate, vive uma infância muito pobre. Rebelde e apaixonada pelo teatro, não completa os estudos e decide sair de casa em 1929, acompanhada de Eugenio Pascoal, cantor da companhia de teatro Maria Castro. Com ele forma a dupla Os Pascoalinos e estréia com grande sucesso nos palcos de Niterói, com o espetáculo Minha Terra. Ao contrair tuberculose, passa seis meses internada em Santos Dumont (MG), onde conhece Ademar Martins, pai de sua única filha, Decimar. Em 1936, chega ao Rio de Janeiro, onde ingressa no elenco de um circo na Praça Afonso Pena. Ao cantar e fazer imitações dos grandes astros do rádio, descobre o talento para a comédia e aceita o convite do compositor Custódio Mesquita para ser vedete no teatro de revista, em que atua nos espetáculos As Filhas de Eva e Do Que Elas Gostam, que lotam durante meses o Teatro República. Casa-se em 1942 com Danilo Bastos, jornalista e publicitário, e, no ano seguinte, estréia no filme Samba em Berlim, de Luís Barros. Nessa época conhece o empresário Walter Pinto, que passa a gerenciar sua carreira. Nas décadas de 40 e 50, sua trajetória profissional chega ao auge, com participações em filmes, como Absolutamente Certo (1957), de Anselmo Duarte, e em peças, como Dorotéria (1956), de Nélson Rodrigues. A carreira na televisão começa em 1961, na TV Excelsior, marcada por seu jeito debochado de contar piadas e histórias. Assina contrato com a TV Globo em 1965 e, no ano seguinte, estréia o programa dominical Dercy de Verdade, que seria tirado do ar pela censura anos depois. A partir dos anos 70, trabalha no teatro, em São Paulo, e participa também de programas e novelas na televisão, como Cavalo Amarelo (1980) e Que Rei Sou Eu? (1989). Em 1999, assina contrato com o SBT para apresentar o programa humorístico Fala Dercy, que entra no ar em 2000. Em 2002, recebe do então presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, uma placa comemorativa de seus 75 anos de carreira e 95 de vida.



publicado por LUCIANO às 06:32