Oscar Schmidt

Jogador de basquete potiguar. Maior nome do basquete masculino nacional, maior cestinha do mundo, com mais de 46 mil pontos marcados. Oscar Daniel Bezerra Schmidt (16/2/1958-) nasce em Natal. Filho de um oficial da Marinha, vai para Brasília aos 13 anos, onde começa a jogar no clube Unidade Vizinhança. Em 1974, muda-se para São Paulo, treina no infantil do Palmeiras e em seguida chega à seleção juvenil. Em 1977, é eleito o melhor pivô sul-americano da categoria e convocado para a seleção principal de basquete, campeã sul-americana daquele ano e medalha de bronze no Mundial das Filipinas, em 1978. Transfere-se então para o Clube Sírio Libanês, no qual conquista, em 1979, um dos títulos mais importantes de sua carreira: a Copa William Jones, espécie de campeonato mundial interclubes. Participa de todas as Olimpíadas entre 1980 (Moscou) e 1996 (Atlanta). Não ganha nenhuma, mas termina como cestinha em três delas. Em Seul (1988) faz 338 pontos, 55 numa só partida, estabelecendo um recorde em jogos olímpicos. Atua por 11 anos na Itália, batendo dois recordes: 13.957 pontos na liga local e 66 numa só partida, jogando pelo Fernet Branca (Pavia). Tem passagem pelo Forum, de Valadolid (Espanha), e pelo Corinthians, de São Paulo, no qual obtém seu sétimo título nacional. Em 1997, torna-se secretário municipal de Esportes de São Paulo e em 1998 candidata-se ao Senado pelo Partido Popular Brasileiro (PPB), mas não consegue eleger-se. Em junho de 1999, fecha contrato de três anos com o Flamengo, do Rio de Janeiro. "Mão Santa", como é conhecido, é o recordista mundial de participação em Olimpíadas, tendo jogado em cinco competições. Detém ainda o recorde olímpico de pontos: 1.092. Foi cestinha de 32 competições como profissional, sendo o maior pontuador do campeonato Nacional Masculino de 96 a 2000. Em 2001, bate o recorde de Kareen Abdul-Jabbar, de 46.725 pontos, e torna-se o maior pontuador do mundo. Em 2002, os 45 anos, tenta encerrar a carreira de jogador, mas o tumulto do jogo de despedida o faz adiar a aposentadoria para 2003, depois de uma carreira de 33 anos e 49.743 pontos (que, porém, não tem o reconhecimento oficial da Federação Internacional de Basquete). Em homenagem ao jogador, o Flamengo aposenta também a camisa 14, número de Oscar.


publicado por LUCIANO às 13:14