GIANFRANCESCO GUARNIERI


Dramaturgo e ator brasileiro de origem italiana. É considerado um dos responsáveis pela renovação do teatro nacional. Gianfrancesco Sigfriedo Benedetto Martinenghi Guarnieri (6/8/1934-) nasce em Milão, filho de um casal de músicos. Aos dois anos, chega ao Brasil com a família, que fugia do fascismo. Começa seus estudos no Rio de Janeiro e em 1953 se muda para São Paulo. Dois anos depois ajuda a fundar o Teatro Paulista do Estudante. Seu primeiro trabalho como ator, na peça Está Lá Fora um Inspetor, lhe rende o Prêmio Arlequim no Festival de Teatro Amador de São Paulo. Estréia como profissional em Escola de Maridos, no Teatro Arena. Aos 21 anos escreve seu primeiro texto, Eles Não Usam Black-Tie, que é encenado em 1958 e se torna um clássico da dramaturgia brasileira. Em seguida realiza Gimba (1959), A Semente (1961) e o Filho do Cão (1964). Cria, com Augusto Boal, Arena Conta Zumbi (1964) e Arena Conta Tiradentes (1966). Também escreve Animália (1968) e Um Grito Parado no Ar (1973), entre outras obras. Estréia na televisão em 1967, na novela A Hora Marcada, da TV Tupi. Também participa de Mulheres de Areia, Cambalacho, Rainha da Sucata e A Próxima Vítima. Como roteirista, escreve as séries Carga Pesada (1977) e Sampa (1989), exibidas pela TV Globo. Em 1981, adapta Eles Não Usam Black-Tie para o cinema. O filme recebe cinco prêmios no Festival de Veneza, entre eles o Leão de Ouro Especial do Júri. Torna-se secretário de Estado da Cultura de São Pauloem 1984. Afastado do teatro desde 1976, retorna aos palcos em 1982, com Pegue e Não Pague. Um dos autores e atores mais aclamados do país, Guarnieri ganha durante sua carreira vários prêmios no Brasil e no exterior, como o do Festival Internacional de Paris (1960), da Associação Paulista de Críticos de Arte (sete vezes) e o Prêmio Molière (quatro). Entre seus trabalhos mais recentes como autor estão a peça Anjo na Contramão (1998), escrita por ele em parceria com o filho, Cacau Guarnieri, que contou com o próprio Gianfrancesco no palco, e A Luta Secreta de Maria da Encarnação (2001). Com a saúde abalada por problemas renais, Guarnieri volta a atuar em 2003, no espetáculo O Pequeno Livro das Páginas em Branco, dirigido pelo autor Jaime Celiberto.




publicado por LUCIANO às 13:46