mais sobre mim

subscrever feeds

tags

todas as tags

Visitas Hoje

Quarta-feira, 19 DE Março DE 2008

JOÃO CÂMARA

Câmara, João (1944) Artista Plástico

Vietnose (1966);
Efusivos e Saudosos (1975).
publicado por LUCIANO às 14:27
Quarta-feira, 19 DE Março DE 2008

FRANCISCO BRENNAND

Brennand, Francisco (1927-) Artista Plástico

Os Pássaros (1990);
Inês de Castro (1994).

Escultor, artista plástico e artesão, ele é o maior artista vivo do País. Fez seu primeiro painel em cerâmica em 1954, em 1961 pintou um mural para o Colégio Anchieta, Itanhaém - São Paulo. Não se adaptou à Paris, e volta ao Brasil.

Nascia em 11 de junho de 1927, em Recife - Pernambuco, Francisco de Paula de Almeida Brennand, filho de Ricardo Monteiro Brennand e Olímpia Padilha Nunes Coimbra. Vai morar no Rio de Janeiro, em 1937, e ingressa no Colégio Aldridge - Praia de Botafogo-, e no ano seguinte, no Colégio São Vicente de Paula, em Petrópolis -RJ, como interno. Retorna ao Recife em 1939, e após concluir o curso ginasial [ensino fundamental] vai trabalhar na Cerâmica São João, como aluno informal do escultor Abelardo da Hora . Seu talento para caricaturas foi detectado desde cedo ao retratar seus professores e colegas. Em 1945, Ariano Suassuna, então um colega de classe, o convida para ilustrar os poemas que ele publicava no Jornal Literário do colégio, por ele organizado. Conhece o pintor Álvaro Amorim, restaurador e pintor, que começa a orientá-lo. Seu pai, Ricardo Brennand, convida diversos artistas para pintar a paisagem natural do engenho São João, entre eles, Álvaro Amorim, Balthazar da Câmara, Mário Nunes e Murilo La Greca. Francisco acompanha os trabalhos e começa a pintar paisagens. Estuda pintura com Murilo La Greca, mas seu primeiro trabalho foi em escultura, "Cabeça de Deborah", em barro. No ano de 1947 foi ganhador do prêmio de pintura do Salão de Arte do Museu do estado de Pernambuco, cuja pintura tinha como inspiração uma paisagem do engenho São João, denominada de " Segunda visão da terra". No ano seguinte, novamente recebe o primeiro prêmio e menção honrosa por seu autoretrato posando como Cardeal inquisidor, Dom Fernando Nino de Guevara, de El Greco.

publicado por LUCIANO às 14:21
Quarta-feira, 19 DE Março DE 2008

MARIA BONOMI

Bonomi, Maria (1935-) Artista Plástica

Xilogravura I (1953);
Antiprojeto (1966).

Nascida em Meina, na Itália, de mãe brasileira e pai italiano, ela se naturalizou brasileira. A partir de seu país de adoção, consolidou uma carreira de renome internacional, que se revela na pintura, na gravura, na escultura, na cenografia e em várias outras manifestações artísticas. Tendo iniciado sua formação, por sugestão de Lasar Segall, com Yolanda Mohalyi, Karl Plattner e Lívio Abramo, no começo da década de 50, hoje Maria Bonomi possui obras nos principais museus do mundo e coleciona numerosos prêmios nacionais e internacionais.
publicado por LUCIANO às 12:41
Quarta-feira, 19 DE Março DE 2008

ALDO BONADEI

Bonadei, Aldo (1906-1974) Artista Plástico

Fundo de Quintal (1944);
Paisagem (1964).
publicado por LUCIANO às 12:38
Quarta-feira, 19 DE Março DE 2008

RODOLFO BERNADELLI

Estátua feita pelo escultor Rodolfo Bernardelli.
Bernardelli, Rodolfo (1857-1936) Artista Plástico

Moema (1895);
Cristo e a Adúltera (1878-1879).
publicado por LUCIANO às 12:34
Quarta-feira, 19 DE Março DE 2008

HÉRCULES BARSOTTI

Barsotti, Hércules (1914-) Artista Plástico

Preto, Branco, Preto (1960);
Impulso Central (1964)

Hércules Rubens Barsotti (São Paulo, 1914), pintor, desenhista, programador visual e gravador. Começou estudando desenho e composição sob a tutela do pintor Enrico Vio. Graduado em química industrial pela Faculdade Mackenzie, iniciou seu trabalho plástico no início da década de 40. Dez anos depois de seu início na pintura, passou a interessar-se e produzir obras geométricas não-figurativas ao mesmo tempo em que trabalhou como desenhista têxtil e desenhista de figurinos para teatro (peça Mimodrama apresentada no Teatro Cultura Artística). Foi integrante da Associação Brasileira de Desenhistas Industriais. Em 1954, fundou com Willys de Castro, o Estúdio de Projetos Gráficos, onde elaboraram imagens ilustradas para alguns periódicos e desenvolveram, em sua própria tecelagem, estampas de tecidos. Foi para a Europa com o intuito de estudar novas tendências e aprimorar suas técnicas. Lá conheceu Max Bill, na época, um dos maiores teóricos da arte concreta.
publicado por LUCIANO às 12:29
Quarta-feira, 19 DE Março DE 2008

GERALDO DE BARROS

Barros, Geraldo de (1923-1998) Artista Plástico

Pássaros Noturnos (1951);
Objeto Forma (1953); Tríptico (1986).

Nasceu na cidade de Xavantes (SP), em 1923. Aos 23 anos começou a estudar desenho e pintura com o pintor Clóvis Graciano e, em seguida, com o artista Takaoka. Em 1948 participou com outros artistas do Grupo XV, no qual exercitou a pintura de influência expressionista. Por essa época adquiriu uma câmera Rolleiflex 1939 e começou a descobrir as possibilidades expressivas da fotografia.
Em 1949 ingressou no Foto Cine Clube Bandeirante. Suas pesquisas formais chocaram os integrantes do Bandeirante, que ainda cultivavam a corrente pictórica. No mesmo ano foi convidado por Pietro Maria Bardi para organizar o laboratório fotográfico do Masp, recém inaugurado. No mesmo lugar, um ano depois, expôs a série "Fotoformas". A repercussão do trabalho o fez ganhar uma bolsa para estudar na Europa, onde decidiu retomar suas pesquisas com o desenho e a pintura, deixando a fotografia de lado.
Em 1952, de volta ao Brasil, participou da criação do movimento Ruptura, marco do início da arte concreta no Brasil. A aplicação de seus estudos da forma em novas estruturas o levou, em 1964, a fundar a loja de móveis Hobjeto, pela qual arrebatou diversos prêmios como designer.
Apenas em 1979 Barros retomou o contato com a fotografia. Após sofrer a primeira de quatro isquemias cerebrais que o fizeram perder parte dos movimentos, reencontra fotografias suas feitas nas décadas de 40 e 50 e passa a realizar a série "Sobras", intervindo sobre as cópias com recortes para criar diversos tipos de colagens. "Sobras" foi o projeto que o manteve estimulado até sua morte, em abril de 1998.
publicado por LUCIANO às 12:26
Quarta-feira, 19 DE Março DE 2008

FABIANA DE BARROS

Barros, Fabiana de (1957-) Artista Plástica

7/R3 – Instalação das Torres (1989);
Allerretour (1996).
publicado por LUCIANO às 12:22
Quarta-feira, 19 DE Março DE 2008

LUÍS PAULO BARAVELLI

Baravelli, Luís Paulo (1942-) Artista Plástico

A Ilha (1973);
Belina Azul a Álcool (1983);
Primeiras Considerações sobre o Espaço/Tempo (1987).

Nascido em São Paulo, em 1942, estudou pintura e desenho na Fundação Armando Álvares Penteado, FAAP-SP, dos dezoito aos vinte anos. Dois anos depois ingressou no curso de arquitetura na Universidade de São Paulo e, simultaneamente, começou a estudar pintura e desenho com Wesley Duke Lee. Nesse período, começou a trabalhar com modelo ao vivo, método que mantém até hoje. Fez sua primeira exposição coletiva em 1971, no Museu de Arte Moderna de São Paulo. No ano seguinte já participou com sala especial na exposição Brasil Plástica 72, na Fundação Bienal de São Paulo, quando recebeu o Prêmio Aquisição. Segue-se uma série de prêmios, entre os quais o de Melhor Pintor de 1982 e 1992, concedido pela Associação Paulista de Críticos de Arte. Fez várias exposições internacionais, podendo-se destacar a de 1984, quando participou da XLI Bienal de Veneza; e a de 1985, exposição individual no Hara Museum of Contemporaly Art, em Tóquio.

Segundo o crítico de arte Roberto Pontual, "Baravelli situa-se como pesquisador de múltiplas técnicas e materiais, desde o desenho e a pintura até a escultura e objeto, desde o ferro e a madeira até o acrílico e a fórmica. Ao mesmo tempo introspectivo e crítico, sua obra se desenvolve como anotação e transfiguração constantes, a nível quase de diário autobiográfico."

Sua última exposição em São Paulo, inaugurada na galeria Nara Roesler, em 13 de agosto de 1996, intitulada Série Branca, teve grande repercussão. Ao falar desse seu trabalho, Baravelli diz: "O fundo branco raramente é figurativo, no sentido de representar objetos brancos; é mais neutro mas multidimensional, onde a ação se passa; estas pinturas são narrações, representação de cenas. As figuras tem o mesmo papel do espectador: olham."

publicado por LUCIANO às 06:20
Quarta-feira, 19 DE Março DE 2008

FRIDA BARANEK

Baranek, Frida (1961-) Artista Plástico

Bolo (1990);
Sem Título (1990).

eboren in Rio de Janeiro
1978-83 Studium der Architektur an der Universidade Santa Ursula in Rio
1982-84 Museu de Arte Moderna und der Escola de Artes Visuais in Rio
1984-85 Parsons School of Design in New York (Master's Program)
Zwischen 1988-91 lebte sie in São Paulo, 1991-98 in Paris, 1998-2002 in Berlin; seither in New York.
Frida Baranek war Stipendiatin der Island Press, Washington University, St. Louis, USA (1992/2003)
Gastkünstlerin am Pusan International Contemporary Art Festival in Korea (1998);
sie war als Professorin für Skulptur an der Internationalen Sommerakademie Salzburg (1992, 2002, 2004 and 2006) tätig


publicado por LUCIANO às 06:16

pesquisar

 

Março 2008

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
14
15
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

comentários recentes

  • quando cipriano sai da cadeia pq ele decide ir par...
  • Acabei de ler "As Regras do Tagame":http://numadel...
  • Boa iniciativa, a de publicar biografias relevante...
  • O Barão de Cotegipe é um grande pers...
  • este é o escultor victor brecheret, não é aldo bon...
  • Para saberem mais sobre Ledoux sigam este link:htt...
  • Caro amigo, esta "biografia" do sr.Amador Aguiar e...
  • CIRO, O GRANDE!!!!!!!!!!!!WHITE PRIDE!!!!!!!!!!!!w...
  • Muito interessante!Tenho um texto muito parecido n...
  • your blog is really good! http://sot77.blogspot.co...

Posts mais comentados

arquivos

Feedjit

Visitantes

blogs SAPO


Universidade de Aveiro